Resumo das Vanguardas Europeias


As vanguardas europeias podem ser definidas como manifestações artísticas e literárias que surgiram no início do século XX, na Europa, e foram responsáveis pela ruptura dos paradigmas da época. O contexto histórico da época teve forte influência sobre este movimento. Primeira Guerra Mundial, Revolução Russa, crises financeiras, surgimento de novas tecnologias, descobertas nos campos da medicina e da ciência além de avanços industriais são eventos que estavam acontecendo nas primeiras décadas do século XX.

O contraste social era marcado pelo desenvolvimento industrial de um lado e de outro a exclusão social, o aumento do desemprego e a insatisfação dos trabalhadores. O cenário político estava agitado com o surgimento de correntes ideológicas como o fascismo, o nazismo e o comunismo. Neste contexto, surgiu a necessidade de romper com os padrões estabelecidos e criar novas tendências e estéticas na arte que representassem a realidade social e histórica da época.

Vanguardas Europeias

As vanguardas europeias também tiveram influência no Brasil. O país estava consolidando sua nova realidade, que tinha como base a extinção da escravatura e a passagem de monarquia para república. Os artistas brasileiros usavam as tendências europeias como referência e as vanguardas contribuíram com a literatura, o movimento modernista e a Semana de Arte Moderna. A união dos movimentos resultou no fim da estética vigente até então no país.

As manifestações das vanguardas europeias foram expressas principalmente em cinco movimentos culturais e artísticos: Cubismo (1907), Futurismo (1909), Expressionismo (1910), Dadaísmo (1916) e Surrealismo (1924). Confira abaixo o resumo das vanguardas europeias, com suas principais características e personagens mais importantes.

Resumo das Vanguardas Europeias – Cubismo

O Cubismo foi destaque entre 1907 e 1914, principalmente na pintura. Este movimento tinha como característica a fragmentação das formas geométricas. Sua ideologia era baseada no fato de que um objeto poderia ser analisado por diferentes ângulos e por isso era preciso interpretar as obras de maneira subjetiva. A literatura ganhou uma nova forma de representação da realidade, na qual os fragmentos do real eram descritos por palavras que tinham como meta montar uma imagem.

O humor, a falta de lógica, a superposição de temas, tempos e espaços eram muito presentes no Cubismo. Este movimento teve artistas importantes na pintura como Pablo Picasso, Juan Gris, Fernand Léger, Georges Braque e André de Lothe. Na literatura, os nomes mais famosos são Cendras e Apollinaire. No Brasil, destaca-se a literatura de Oswald de Andrade.

Resumo das Vanguardas Europeias – Futurismo

O Futurismo surgiu na Itália, com a criação do Manifesto Futurista, por Fillippo Tommaso Marinetti, em 1909. O manifesto incitava a negação do passado, do tradicionalismo e das regras formalizadas pela academia na arte. Ao mesmo tempo, o documento pregava a necessidade de trazer para a arte outros elementos como a tecnologia, ideologias, estudos e experimentação.

Na literatura, o Futurismo previa o uso de verbos no infinitivo, versos livres, eliminação dos adjetivos, advérbios e da pontuação e o fim da sintaxe. Além disso, o movimento exaltava a vida moderna. Entre os artistas mais conhecidos estão Giacomo Balla, Umberto Boccioni, Luigi Rossolo, Carlo Carrá, Ambrogio Casati, Vladimir Maiakovski, Émile Verhaeren e Anitta Malfatti.

Resumo das Vanguardas Europeias – Expressionismo

O início do Expressionismo aconteceu em 1910 e representava os questionamentos sobre o contexto da época, com o desejo de mudar a estética. O expressionismo retratava as mudanças culturais que estavam acontecendo na Europa e tinha como foco o estado do homem, especialmente seus medos e vícios.

Os artistas expressionistas queriam mostrar que sua arte refletia o seu próprio mundo interior e suas sensações durante a criação. Ernst Barlach, Wilhelm Lehmbruck, Käthe Kollwitz, Ernst Ludwig Kirchner, Marc Chagall, Paul Klee, Georges Rouault, Kurt Hilher, Georg Büchner, Frank Wedekind, Bertolt Brecht, Arnold Schönberg e Friedrich Wilhelm Murnau fizeram parte do Expressionismo.

Resumo das Vanguardas Europeias – Dadaísmo

O Dadaísmo foi um movimento que apareceu em 1916, em meio a Primeira Guerra Mundial. Os artistas, que estavam refugiados, queriam chocar a sociedade burguesa. Agressividade, indignação e revolta foram sentimentos provocados pela guerra e que foram representados nas obras do Dadaísmo.

A falta de ordem, coerência e lógica na composição das palavras e a renúncia das normas formais da poética caracterizaram a literatura. A improvisação e o pessimismo eram valorizados, assim como a técnica de utilização de formas prontas. Marcel Duchamp, Tristan Tzara, Francis Picabia, Max Ernst, Man Ray e Raoul Hausmann foram os principais artistas do Dadaísmo.

Resumo das Vanguardas Europeias – Surrealismo

O Surrealismo nasceu na França, após o fim da Primeira Guerra Mundial, em 1924. Os artistas trouxeram referências da psicanálise para suas obras. A ideologia surrealista defendia que a arte não poderia sofrer interferências da razão, ela tinha que surgir do inconsciente e ser retratada da forma como fosse concebida.

A loucura, a fantasia, a imaginação, os sonhos e o delírio faziam parte das obras. Os artistas criavam metáforas surreais com a finalidade de fugir da lógica e da razão. Entre os grandes nomes do Surrealismo estão André Breton, Salvador Dalí, Joan Miró, Max Ernst, René Magritte, Frida Kahlo, Jacques Prévert, Benjamin Péret, Leonora Carrington, Antonin Artaud e Luis Buñuel.