Resumo sobre Donatello


O Renascimento foi um dos períodos mais importantes da História da Europa. Aconteceram mudanças culturais muito significantes, que refletem até os dias de hoje. A região italiana de Toscana foi o primeiro local onde o movimento se manifestou, sendo as cidades de Florença e Siena os palcos principais dessa nova tendência artística. Mais tarde, o Renascimento se difundiu por toda a Itália, e, após alguns anos, por toda a Europa Ocidental. Isso se deveu muito pela ajuda da recém-criada imprensa gráfica, pelo alemão Johannes Gutenberg.

Donatello

Foi nesse ambiente que nasceu o escultor Donato di Niccoló di Betto Bardi, conhecido por Donatello. Ele se tornou um dos nomes mais importantes do Renascimento Cultural desde o começo de sua carreira artística em Florença, sua cidade natal. As obras mais conhecidas de Donatello são:

  • Davi, no Museu Nacional do Bargello, em Florença;
  • Gattamelata, em Pádua;
  • Judite e os Holofernes, em Palazzo Vecchio, Florença;
  • Maria Madalena, em Duomo, Florença;
  • O Banquete de Herodes, na Catedral de Siena;
  • São Marcos, em Florença;
  • Tabernáculo de São Jorge, no Museu Nacional do Bargello, em Florença;

Leia abaixo um resumo sobre Donatello, dos seus primeiros momentos artísticos à sua morte.

O começo de um dos maiores escultores da história

No ano de 1386, em Florença, nasceu Donatello, filho de Nicollo di Betto Bardi, um modesto tecelão de lã. Logo cedo teve contato com o trabalho artístico. Sua primeira escola foi uma oficia de ourives, na qual trabalhou e obteve o conhecimento necessário para o início de sua técnica.

Donatello também teve um professor ilustre, o famoso escultor Lorenzo Ghiberti. O jovem foi assistente de Ghiberti na época em que ele construiu as monumentais portas de bronze do Batistério de San Giovanni, em Florença.

Em 1408, Donatello criou a obra “Davi”, para a catedral de Duomo. Para especialistas, essa escultura é um resumo sobre Donatello estudante. Feita em mármore, a escultura já apresenta uma técnica que demostra um estudo aprofundado de anatomia humana. Produziu muitas outras obras nesse mesmo período para a catedral de Florença. Fez uma série de esculturas para a Porta dela Mandorla, estátuas de profetas e um “São João Evangelista”, entre 1409 e 1411.

Também em 1411 ele começou a trabalhar a pedra para ornamentar a igreja de Orsanmichele, também de Florença. Construiu um “São Marcos” entre 1411 e 1412 e um “São Jorge” em 1417. Essa última obra, que representa o santo lutando com o dragão, é uma das primeiras a apresentar uma perspectiva que utiliza um único ponto de fuga. Se “Davi” demonstra o estudante, essas outras obras iniciais demostram um belo resumo sobre Donatello jovem.

Passou a trabalhar com outro famoso escultor, Michelozzo di Bartolommeo, que havia sido seu aprendiz. Ele ajudou Donatello na construção de túmulos de Baldassare Cossa e também do cardeal Rainaldo Brancacci, localizados em Nápoles, na igreja de Sant’Angelo. Nesse período, Donatello dividia seu atelier com Michelozzo.

Trabalhou também para o batistério de Siena, entre 1425 e 1427, onde criou as estátuas “Fé” e “Esperança”, além de elaborar relevos com “O Banquete de Herodes”. O escultor viajou então para Roma, onde realizou outras esculturas célebres. Num período de 3 anos, entre 1430 e 1433, ele criou o Tabernáculo do Sacramento para a Basílica de São Pedro e o famoso “Davi” de bronze. Essa obra foi feita por comissão de Cosme de Médici, e buscava unir numa só escultura o Davi bíblico, representando as virtudes cívicas, e o deus Mercúrio, representando a razão que triunfa perante a irracionalidade da força bruta.

Da volta a Florença ao fim da vida

Ao retornar a sua cidade natal, Donatello voltou a trabalhar no Duomo. Criou a obra “Anunciação” para a igreja de Santa Cruz, em 1435. Trabalhou para a Igreja de São Lourenço entre 1437 a 1443, onde construiu muitas obras famosas, como a “Apóstolos”, os santos “Cosme e Damião” e “Estevão e Lourenço”, patronos dos Médici.

A famosa estátua “São João Batista” foi esculpida em 1438, para a igreja de Santa Maria Gloriosa, localizada em Veneza. Em 1440, Donatello criou o “Busto de um Jovem com Camafeu”, uma obra que trouxe de volta um conceito de busto da Antiguidade.

Entre 1443 e 1450 ele trabalhou numa de suas obras mais famosas, a estátua “Gattamelata”. Inspirado por obras clássicas como a “Estatua de Marco Aurélio” e os “Cavalos de São Marcos”, Donatello criou um modelo ideal para esculturas equestres feitas no mundo todo até o século XIX.

Ao retornar a Florença, em 1453, criou outra estátua famosa: a “Madalena”. A obra feita em madeira para o Duomo vai contra a beleza física, levando em conta a expressão de tristeza e dor. A força expressiva nessa obra é um resumo sobre Donatello.

Depois de terminado o “São João Batista”, também para o Duomo, o escultor trabalhou em suas duas últimas obras, com ajuda de outros artistas: “O Púlpito da Ressurreição” e “O Púlpito da Paixão”. Em 1466, Donatello morreu em Florença.