Resumo sobre Sócrates


A primeira vez que ouvimos falar de Sócrates é certamente durante o Ensino Fundamental. Porém, é no Ensino Médio que aprofundamos o conhecimento sobre as suas teorias. E há ainda mais: para os estudantes de cursos de humanas, é certo de que esse filósofo ainda lhe acompanhará por mais alguns anos.

Sócrates é um filósofo de grande importância, já que foi o pioneiro do que hoje conhecemos como Filosofia Ocidental. Porém, para definir as bases desse pensamento ocidental, ele precisou da ajuda de outros dois filósofos (também gregos): Aristóteles e Platão.

Nascido na capital da Grécia, Atenas, o filósofo deve ter dado os seus primeiros passos por volta de 470 antes de Cristo, trazendo a filosofia “dos céus para a terra”, como dizia o filósofo romano Cícero. De início, ele seguiu o ofício do pai, que era um escultor. Porém, anos depois, voltou-se completamente para a prática da filosofia, mesmo que sem esperar absolutamente nada da mesma no viés financeiro. Exatamente por conta disso, há quem diga que o filósofo sempre foi um grego pobre, que trabalhou só o suficiente para garantir o sustento de sua mulher e de seus três filhos.

Sócrates

Sócrates trouxe ao mundo e aos seres humanos a possibilidade de um pensamento diferente. Na época, a população tinha um pensamento cosmológico grego, que tinha como principal reflexão a origem do mundo e do universo como um todo. Porém, com a chegada de Sócrates, ele tenta converter esse pensamento em preocupações que realmente importavam: a existência dos seres humanos, a ética, o trabalho. Um de seus mais famosos lemas foi (e ainda é): “Conhece-te a ti mesmo”, em uma época em que o homem não parava para pensar sobre a sua própria existência.

Sócrates, diferentemente de outros filósofos, nunca teve como característica marcante a escrita. Por isso, não deixou nada em seu nome para o estudo posterior à sua morte. Grande parte do que sabemos sobre o filósofo grego nos dias de hoje é por conta da exposição de seus ideais e personalidade em obras escritas por Platão, que foi o seu principal discípulo. Além disso, uma famosa obra que fala bastante sobre os pensamentos de Sócrates foi “Memorabilia”, escrita pelo historiador grego Xenofonte.

Porém, a principal problemática na exposição das ideias de Sócrates por meio desses dois filósofos é o fato de que ambos são, pelo menos, 40 anos mais jovens do que ele. Dessa forma, eles só puderam acompanhar os pensamentos de Sócrates em seus últimos 10 anos de vida. Vale destacar que a principal atividade de Sócrates era discutir temas envolvendo a filosofia ocidental, com conceitos e noções extremamente moralistas.

Características do pensamento de Sócrates

Há quem diga que no início de sua “carreira” Sócrates era muito similar com outros pensadores, que na época, eram chamados de sofistas: ele retomou muitos valores e princípios com o intuito de universalizar o mesmos, tornando o pensamento grego comum a várias esferas da sociedade.

Os seus primeiros estudos envolviam a própria alma dos seres humanos. Por conta disso, até os dias de hoje o filósofo é relacionado com integridade moral, além é claro de muito conhecimento e sabedoria. Desde o início da repercussão de suas ideias até a sua morte, Sócrates sempre direcionou as suas ações baseadas em ética e total responsabilidade, o que inclusive, tornou o filósofo uma grande inspiração para as bases de uma cidadania moral e perfeita.

Vida pública não era de grande aceitação por parte de Sócrates, por mais que durante a sua vida ele tenha exercido algumas funções no setor político. Porém, seus pensamentos demonstravam imenso desprezo pela política e sua manipulação de controle.

O principal método utilizado para suas expressões filosóficas foi o diálogo, sendo este o modelo mais simples pelo qual ele poderia se comunicar com os seus contemporâneos, transmitindo de maneira cada vez mais ampla os seus entendimentos filosóficos para o resto da população grega.

Sócrates teve três filhos principalmente pelo fato d que acreditava que tinha na terra uma grandiosa missão: reproduzir-se, afim de criar seres dotados de tanta sabedoria quanto o próprio.

Entre as características mais marcantes de Sócrates podemos destacar a rigidez de sua fala, a personalidade marcante e forte, seus entendimentos críticos e ideias que muitas vezes eram totalmente contra os métodos educativos e a própria estrutura social da época.

A prisão de Sócrates

Seus comportamentos, por vezes exagerados, acabaram levando à sua prisão, sendo o mesmo acusado por renegar os principais deuses que eram cultuados em território grego, fazendo uma troca dos mesmos por outros.

Ele teve acesso a todos os direitos de um cidadão normal, podendo advogar diante da população e do tribunal em nome de sua liberdade. Porém, ele não quis renunciar, preferindo a condenação pela justiça de um lado, porém, a preservação de seus pensamentos e de sua alma de outro, mantendo a integridade de seus valores.