Alcalose Metabólica


Alcalose é a condição em que os líquidos do corpo ficam muito básicos, isto é, com pH maior que 7,45. Acontece especialmente quando existe acumulo de base no sangue. É uma condição oposta a acidose, onde os líquidos do corpo se tornam mais ácidos. Estar com acidose ou alcalose repercute na estabilidade do pH corporal, o que pode gerar instabilidade no corpo.

Tipos de Alcalose

Há diversos modelos de alcaloses, conforme a razão do problema. São elas:

– Alcalose respiratória

Alcalose

– Alcalose metabólica

– Alcalose hipoclorêmica

– Alcalose compensada

– Alcalose hipocalêmica

Causas

Cada modelo de alcalose tem uma razão própria:

1) A Alcalose respiratória é provocada pela taxa baixa de dióxido de carbono no sangue, que pode ser ocasionado por hiperventilação, geralmente, derivada de certa ansiedade ou dor.

2) A Alcalose metabólica é provocada pelo predomínio de bicarbonato no sangue, que pode ser conseqüência tanto pela intensificação dessa substancia, quanto pela ausência de substancias ácidas.

3) A Alcalose hipoclorêmica é conseqüência da ausência de misturas químicas denominadas coletos, o que pode ocorrer, por exemplo, no decorrer de ataques de vômitos.

4) A Alcalose compensada, é quando as taxas de misturas básicas e ácidas estão altas simultaneamente.

5) A Alcalose hipocalêmica é a resposta do rins quando o metabolismo apresenta queda de potássio.

Fora isso, a alcalose diversas vezes pode ser ocasionada por certos problemas nos rins, que expeli mais ou menos substâncias básicas ou ácidas.

Sintomas

Dentro os sinais comuns de alcalose, estão:

– Náuseas

– Espasmos musculares prolongados

– Sensação de torpor

– Contração muscular

– Tremor nas mãos

Se o quadro avançar para algo mais sério, ele manifestará sinais como:

– Tonturas

– Confusão

– Dificuldade para respirar

– Estupor

Cada modelo de alcalose possui sinais próprios. A Alcalose metabólica, por exemplo, possui sintomas somente quando avança para algo mais sério, provocando a hipocalemia e com isso:

– Letargia

– Dor de cabeça

– Excitação neuromuscular

Dentre os sinais de alcalose respiratória observa-se:

– Confusão

– Delírio

– Parestesias periféricas

– Sincope

– Cólicas

Já a alcalose respiratória crônica pode não manifestar sintomas.

Diagnostico

A Alcalose é uma enfermidade difícil de ser identificada, uma vez que os sinais podem ser confundidos com demais problemas de saúde. Geralmente, ela só é descoberta quando o médico pede análises diagnósticas como:

– Dosagem de eletrólitos séricos

– Gasometria arterial

– Urina tipo I

– pH da urina

De acordo com os resultados, o médico pode solicitar novas análises para tentar achar o motivo do problema.

Tratamento

O tratamento da alcalose muda de acordo com a razão do problema. A Alcalose respiratória, geralmente, é tratada com diminuição da respiração, por exemplo. Isso pode ser amenizado com a redução de certas dores estimuladoras do problema. Quando a razão da hiperventilação é a ansiedade, respirar no interior de um asco de papel pode elevar o nível de dióxido de carbono no sangue e ajudar no quadro. Porém isso não é aconselhado a todos os enfermos.

Já no caso da alcalose metabólica tem no tratamento a compensação de água e dos eletrólitos de potássio e sódio, além do tratamento próprio da razão dessa instabilidade. Quando a situação é muito séria, pode ser gerenciada por meio venoso com ácido diluído.

Prevenção

É possível diminuir o perigo de reproduzir um quadro de alcalose condicionando bons hábitos de saúde, como por exemplo, comer de maneira saudável: quanto mais nutrientes as pessoas colocarem no prato, menos a probabilidade de acontecer uma instabilidade entre bases e ácidos no organismo. Por essa razão, opte por uma dieta de vegetais e frutas, que são cheias de minerais e vitaminas. Alimentos cheios de potássio, como cenouras, bananas, espinafre e feijões são boas opções para ajudar na proporção do pH do sangue.

Evitar a desidratação também é fundamental. O melhor é que um adulto ingira entre 35 a 40 ml de água por quilo. Para os atletas ou aquelas pessoas que praticam exercícios físicos de alta intensidade mais de uma hora por dia, também é necessário recolocar seus eletrólitos com bebidas isotônicas, como por exemplo, água de coco ou soro caseiro.

Quando a alcalose é gerada por certa circunstância nos rins, ela não é aversiva.