As empresas e o ecossistema


Todo exercício humano, especialmente de natureza empresarial, tem consequências ambientais. Há alguns anos, a origem dos poluentes pelas indústrias era percebida como um efeito infalível nos procedimentos industriais, o que gerou um nível de degradação ambiental intensificado em muitos lugares do mundo.

Em 1972, a Organização das Nações Unidas (ONU) criou a I Conferencia Mundial a respeito do meio Ambiente, que ocasionou a criação e instituições de proteção ambiental em vários países. Ao longo de muito tempo essas instituições cuidavam somente de supervisionar o atendimento dos modelos ambientais estipulados. Por sua vez, as entidades virtualmente poluidoras estavam empenhadas somente em obedecer a legislação ambiental.

empresas e o ecossistema

Conforme os problemas ambientais ficaram mais claros e a noção de qualidade no ramo produtivo adquiriu solidez, se constatou que o monitoramento de impactos ambientais só seria eficaz por meio de um Sistema de Gestão Ambiental.

Simultaneamente o ponto central do monitoramento ambiental mudou das técnicas de tratamento de fim de ducto para as atividades no interior do setor produtivo, por meio de Programas de Prevenção a Poluição e da escolha de Tecnologias Limpas.

Certas empresas começaram a compreender que produzir lixo é sinônimo de carências economias a longo prazo, uma vez que isso demonstra:

– Perda de capital, ou seja, dissipação de matéria primas, energia e água;

– Despesas extras com o armazenamento, tratamento e distribuição final dos lixos;

– Perigo potencial ao meio ambiente e a saúde pública: detritos podem ocasionar sérios acidentes ambientais quando tratados, manuseados ou dispostos de maneira incorreta.

Por fim, parece evidente que uma boa ação ambiental já é dominante no ramo industrial.

Gestão Ambiental

Gestão Ambiental é o monitoramento dos impactos ambientais gerados por um exercício empresarial indeterminado. A implantação de um Sistema de Gestão Ambiental estabeleceu um plano para que o gestor, em regime permanente, reconhece-se chances de melhorias que diminuam os impactos dos exercícios de sua empresa a respeito do meio ambiente.

Hoje em dia, a disposição das empresas é fazer do seu comportamento ambiental um elemento distinto no mercado. O que indica, em certos casos, escolher condições internas até mais limitantes que as legalmente obrigadas no país.

O Sistema de Gestão Ambiental, de acordo com a ordem ISSO 14000, baseia-se na adesão de práticas preventivas a situações de impactos inadequados ao meio ambiente. Trata-se de admitir uma posição pró-ativa sobre assuntos ambientais.

Os cinco fundamentos do Sistema de Gestão Ambiental são:

1) Entende o que deve ser feito, estabelecendo sua política de meio ambiente;

2) Preparar o Plano de ação para obedecer as condições de sua política ambiental;

3) Adquirir condições para o desempenho das metas e objetivos ambientais e implantar os instrumentos de sustentação indispensáveis;

4) Executar avaliações quantitativas e qualitativas periódicas da performance ambiental da empresa;

5) Reformular e melhorar a política do meio ambiente, as metas e propósitos ambientais e atividades implantadas para possibilitar a melhoria constante da performance ambiental da empresa.

O objetivo do Sistema de Gestão Ambiental é proporcionar a melhoria constante da performance ambiental da empresa.

Uma fase fundamental do método de estabelecimento do Sistema de Gestão Ambiental é a Auditoria de Efluentes. Pode-se separar esse método em quatro fases: diagnóstico e elaboração; avaliação de massa; identificação de escolhas e programa de ação.

Avaliação de massa pode ser determinada como uma contabilização exata das saídas e entradas de uma operação. O processo de administração e compilação de dados pode ser usado para aprimorar a avaliação de massa de um processo, uma planta ou uma operação única.

Produção Limpa e Prevenção da Poluição

A Produção mais Limpa é o emprego frequente de uma tática ambiental preventiva, associada aos processos, serviços e produtos, para ampliar a ecoeficiencia e diminuir as ameaças ao meio ambiente e ao homem. Sua implantação exige transformações de atitude, certeza de administração ambiental de responsabilidade, elaboração de políticas nacionais direcionadas e teste de opções tecnologias.

A Produção Limpa emprega-se a:

– Procedimentos produtivos: preservação de energia e matérias-primas, exclusão de matérias-primas nocivas, diminuição da toxidade e quantidade dos detritos e emissões;

– Produtos: diminuição dos choques negativos no decorrer do ciclo de vida de um produto, desde a comercialização das matérias-primas até sua arrumação final;

– Serviços: inclusão de cuidados ambientais no programa e entrega dos serviços.

O cuidado da poluição é um procedimento vinculado a Produção Limpa. É o uso de práticas, processos, matérias, energia ou produtos que diminuam ou impeçam a origem de resíduos e poluentes na fonte de produção e diminuição dos perigos globais para o meio ambiente e a saúde humana.