Célula


Considerada a menor unidade estrutural básica dos seres vivos, a célula, teria sido descoberta no ano de 1667 por Robert Hooke. Estima-se que o corpo humano seja constituído de 10 trilhões de células, a partir desta informação torna-se viável explicar que – diferentemente do ser humano que é pluricelular – a maioria dos organismos são unicelulares.

Um pouco de história

Como já mencionado neste artigo as células foram descobertas entre os anos de 1663 e 1665 quando o inglês Robert Hooke observava, em um tipo de microscópio bem “rústico” uma fatia de cortiça.

Célula

Hooke verificou que o objeto era constituído de cavidades poliédricas, as quais denominou célula, uma palavra que tem sua origem no latim “cella”, que significava pequena cavidade. Hoje, sabe-se que o que o pesquisador conseguiu observar eram, na verdade as paredes da célula vegetal morta.

Pode-se dizer que a partir da descoberta de Robert Hooke diversas técnicas de observação microscópicas avançaram, inclusive corantes passaram a ser utilizados para permitir uma melhor identificação do núcleo celular e cromossomos – unidade genética responsável por determinar as características de um indivíduo.

Por volta de 1838 Mathias Schleiden e Theodor Schwann realizaram importantes pesquisas em direção a uma grande descoberta que ficou conhecida como “Teoria Celular”, e assim, foi definido que todo ser vivo é formado a partir de células tronco.

Também não demora em se comprovar que todas as células de um organismo têm o mesmo número de cromossomos.

Estrutura

As células são envolvidas por uma membrana celular e preenchidas com um tipo de solução aquosa concentrada formada por substâncias químicas e físicas. Dependendo da organização estrutural de uma célula está poderá ser eucariótica, ou, procariótica, pode-se dizer que a grande diferença entre as duas é a seguinte: uma célula procariótica geralmente é independente, enquanto que as eucarióticas são encontradas em organismos do tipo multicelular. Vamos a cada uma delas:

Células procarióticas

Também conhecidas como “protocélulas” são, extremamente diferentes das eucariontes. Uma de suas características principais é que é pequena e complexa, estruturalmente falando. Observa-se como uma de suas propriedades a inexistência de uma carioteca, responsável por individualizar o chamado núcleo celular – também conhecido por nucleoide.

O DNA de tais células é em formato de anel associado a proteínas básicas e não a histonas – caso das células eucarióticas nas quais o DNA dispõe-se em filamentos em formato espiral e associados a histonas.

Também é importante dizer que tais células são desprovidas de plastídeos, mitocôndrias, retículo endoplasmático, Complexo de Golgi, e mesmo cariomembrana – responsável por fazer o DNA ficar disperso no citoplasma – mas cabe dizer também que possuem ribossomos.

Células eucariontes

As células eucariontes, ou, eucarióticas são muito mais complexas se comparadas as procariontes. Vamos a algumas características dessa classe: as eucarióticas possuem membrana nuclear individualizada, além de vários tipos de organelas, além disso, cabe dizer que todo animal e planta será dotado desta célula.

Especialistas em biologia acreditam que as células eucariontes surgiram após evoluções, e mesmo aperfeiçoamentos das procariontes, processo que levou milhões de anos e pode ser denominado “endossimbiose”. Inclusive existe a “Teoria da Endossimbiose”, segundo a qual seres com células maiores possuem dentro de si células menores, as quais apresentam características melhores.

No grupo das células procariontes destacamos a células vegetais, e também, as animais.

Cabe dizer que as células animais são formadas por membranas, fosfolipídios, glicoproteínas, retículo endoplasmático, além de apresentarem mitocôndrias, lisossomos, Complexo de Golgi e centríolos. As células vegetais, por sua vez, apresentam: cloroplasto, parede celulósica e vacúolo.

Alguns componentes

Tanto eucariontes quanto procariontes possuem uma membrana responsável por envolver a célula, além disso, é esta membrana que separa o interior do ambiente e regula o que se move dentro e fora, além de manter o potencial elétrico da célula. Dentro da membrana o citoplasma salino ocupa grande parte do volume da célula.

É válido lembrar que todas as células possuem DNA – material hereditário dos genes – e também RNA, ambos portam informações necessárias para sintetização de proteínas, tais quais as enzimas, consideradas partes fundamentais e primárias em uma célula.

Dentro das células existe ainda outros tipos de “biomoléculas”. Os componentes primários de uma célula são: membrana, citoesqueleto (tem a função de organizar e manter a célula), material genético (ácido desoxirribonucleico e ácido ribonucléico, utilizados na maioria das vezes para armazenamento de informações a longo prazo), e as organelas (responsáveis por realizar uma, ou mais, funções vitais).

Outros importantes componentes são aqueles que formam a estrutura da chamada parede celular, são eles: cílios (apêndices das células eucarióticas), cápsula (pode ser de polissacárido, ou, polipéptido), os flagelos (atuam juntamente com os cílios, como uma espécie de hélice rotativa), e por fim, a fímbria (responsável pela capacidade das bactérias em se fixar aos receptores específicos da célula humana, portanto, tem função de aderência).

Como pudemos observar as células são consideradas “unidades de vida”, afinal são as grandes responsáveis por tudo o que acontece no corpo humano.