Cemitério de corais


O planeta Terra está sofrendo. O aquecimento global impacta, dia a dia, o meio ambiente ao redor de todo o mundo. Em decorrência do aumento de gás carbônico na atmosfera – principal causa do aquecimento global –, consequentemente, sentimos, ano após ano, mudanças climáticas mais brutas e prejudiciais a todo o sistema vivo da natureza. Geleiras derretendo, calor acima da média em regiões já quentes, estações com climas diferentes do seu ciclo natural, entre tantos outros sintomas que são noticiados nos jornais.

Cemitério de corais

Uma das consequências do aquecimento global é a temperatura mais quente das águas dos mares. Além desse aspecto, as águas dos oceanos estão ficando cada vez mais ácidas, afetando todo o tipo de vida que reside nela, como os milhões de corais, peixes e outras espécies submarinas que habitam o mar.

Degradação dos corais

Os corais estão sendo um dos mais afetados com essa nova temperatura dos oceanos e o resultado está sendo bem visível para todo mundo. Primeiro, vamos lembrar o que são os corais. Os corais são colônias de animais e plantas marinhas, que se juntam e formam uma espetacular biodiversidade e produtividade nas águas dos mares. A característica mais conhecida dos corais é a sua variedade de cores, que fascina por causa da sua beleza, e suas formas gigantescas e, até mesmo, espantosas.

No entanto, como falamos, o aquecimento global e o aumento da água dos oceanos trouxeram uma consequência bem triste para a humanidade e a saúde do planeta. Os corais estão morrendo em um tempo muito rápido e ficando brancos. O fenômeno criou a expressão “cemitério de corais”, justamente por estarem perdendo seu brilho e beleza colorida e dando espaço para uma imensa camada branca nos mares.

A estimativa é que existem, hoje em dia, 1.400 espécies de corais conhecidas e, deste total, cerca de 231 espécies estão correndo risco de extinção, cada uma com um grau diferente, havendo casos mais alarmantes que outros. Para se ter uma ideia, se comparar este dado com um período de 10 anos atrás, apenas 13 espécies de corais corriam risco de extinção. Com o agravamento do aquecimento global e das mudanças climáticas abruptas que continuam ocorrendo no nosso planeta, o aumento é preocupante. São mais de 2 milhões de espécies de criaturas marinhas que eram abrigadas por estes corais e, com a formação dos cemitérios de corais, também correm o risco de desaparecer da face da Terra.

Explicação científica

Há uma explicação lógica e científica para este fenômeno chamado de cemitérios de corais. Os corais estão sendo afetados diretamente pela temperatura do planeta, pela radiação solar e pela química que é jogada nos oceanos. Com isso tudo acontecendo, as águas mais quentes dos mares fazem com que os corais se contraiam e comecem e sufocar suas algas para dentro de si mesmo. Isso faz com que elas soltem toxinas que forçam o coral a expulsem. A cor branca ocorre devido a essa doença nas algas. O único meio de salvá-las é com a diminuição da temperatura da água do mar. Caso elas não voltem ao normal, as algas acabam morrendo, deixando os corais brancos.

A acidez do mar é outra causa que vem devido ao aumento da poluição no mundo, justamente por causa do aumento de dióxido de carbono na atmosfera, que vem devido às tantas práticas industriais que as empresas causaram. O oceano absorve esses gases, que se diluem na água e formam o ácido carbônico.

Um dos piores cemitérios de corais registrados é o da Grande Barreira de Corais australiana. Esse era um lugar conhecido por sua beleza natural e corais coloridos, impulsionada pela presença de tartarugas marinhas e peixes. No entanto, todos estão sofrendo com o enfraquecimento dos corais, que estão pálidos e brancos. O termo cemitério de corais se refere justamente a estes que não aguentam essas mudanças climáticas na natureza e acabam morrendo.

Outras espécies também sofrem

Infelizmente, o aquecimento da água dos mares não para com os corais. Ele ainda pode ser a principal causa da morte da perda da concha para caranguejos, ostras e mexilhões. A água quente deixam as conchas com quebradiças.

Vale dizer que da tamanha quantidade de dióxido de carbonos que lançamos para a atmosfera por meio de veículos automotores, grandes fábricas e etc, quase metade – cerca de 30% a 50% – vai parar no oceano.

Outro mal causado devido a quase extinção de algumas espécies marinhas é o desequilíbrio nas cadeias de alimentação de toda a população marinha. É importante ressaltar que além da beleza natural, os corais são fundamentais para o mar, assim como a vegetação é importante para a terra. Os corais atuam como uma espécie de protetora de substâncias produzidas pela natureza e que podem ser utilizadas para o benefício da saúde humana, por exemplo.

A formação de cemitérios de corais é muito ruim para o equilíbrio dos mares e da natureza. As consequências já começam a ser sentidas e ainda podem causa muitos danos ao planeta e a humanidade.