Ciclo da Água: O que é, Características e Inimigos


Quando um ser vivo morre, a matéria que o compõe é desedificada pelos decompositores. Dessa maneira, as moléculas liberadas e os elementos químicos que compõem os seres vivos são reciclados, ou seja, reaproveitados pelos produtores e assim, reintroduzidos na cadeia alimentar.

Além de ser indispensável para todos as formas de vida existente no nosso planeta, a água atua como um amortecedor contra choques mecânicos, regulador térmico e solvente, entre muitas outras funções. Além disso ela desempenha um importante papel na composição dos seres vivos. Também é certo dizer que a água é a molécula mais abundante em nosso planeta e compõe cerca de ¾ da superfície da Terra, sendo 97% dela salgada, o que significa dizer que o principal reservatório de água do nosso planeta é o mar. Apenas 3% dela é doce e menos de 1% localiza-se em lagos, rios e lençóis subterrâneos.

Ciclo da Água

A água é o único elemento que existe em três estados de matéria na natureza (sólido, líquido e gasoso), onde existem transferências contínuas de um estado para o outro, processo que recebe o nome de ciclo da água, também conhecido pelo termo científico ciclo hidrológico.

Devido ao calor ambiental e à radiação solar, toda a água existente no ambiente sofre evaporação, passando assim do estado líquido para o estado gasoso, originando a formação de nuvens. Quando as nuvens se sobrecarregam e atingem elevada temperatura, ocorrem as chuvas. Na atmosfera o vapor d’água sofre condensação e através da chuva (precipitação), a água em sua forma líquida retorna à superfície, escorrendo para os lençóis subterrâneos e para os rios, e depois para os oceanos, mares e lagos, ficando novamente exposta à ação da radiação solar e ao calor. Vale salientar, que este ciclo ocorre sem a participação de seres vivos, ou seja, ele é apenas geoquímico.

Relação dos Vegetais com a água

Já os vegetais absorvem a água na sua forma líquida presente no solo, através de suas raízes, processo que se denomina transpiração. Isso equivale dizer que os vegetais devolvem a água para o ambiente através da transpiração ou pela direta e simples evaporação que ocorre em suas folhas. Este processo também recebe o nome de evapotranspiração, ou seja, evaporação e transpiração.

Por sua vez, os animais e os seres humanos, conseguem a água bebendo-a ou ainda através de alimentos ingeridos. Essa água que foi ingerida será utilizada em diversos processos de seu metabolismo, atuando dessa maneira como reagente e solvente. Através da respiração, da transpiração, das fezes e da urina, essa água acaba sendo eliminada. Devemos ainda salientar que a água presente nos vegetais e nos tecidos dos animais e seres humanos acaba sendo devolvida ao ambiente quando estes morrem, graças à ação dos decompositores.

Toda a água que é devolvida para a atmosfera através do processo de evaporação, infiltra-se no solo, alimentando dessa maneira os lençóis freáticos. O restante de toda essa água vai em direção às altitudes mais baixas, alimentando de maneira direta os nossos riachos, os oceanos, os mares e os lagos. Por isso, podemos afirmar sem sombra de dúvidas que a infiltração é importante para a regulamentação dos rios, de maneira a se evitar inundações.
Vale dizer, que o ciclo da água acaba atuando com um agente modelador da crosta terrestre, devido a deposição de sedimentos e também à erosão do solo, condicionando dessa maneira toda a forma de vida existente no planeta Terra.

Todos esses processos existentes no ciclo da água, existem há muitos anos e tem por finalidade garantir a distribuição de água por todo o planeta. Mas, em contrapartida, esse processo natural vem sofrendo alterações em larga e rápida escala por causa da ação do homem. Apesar da quantidade de água ter permanecido praticamente inalterada desde a criação do universo, o que mudou foi a forma de utilização e a maneira que toda essa água se encontra disponível no nosso ambiente.

Poluição x Água

Atualmente, o maior inimigo existente da água é a poluição. Como já sabemos, apenas 3% da água de todo o planeta é doce, o que significa dizer, que apenas essa pequena parcela está apta para ser consumida por humanos. E é justamente essa parte que estamos poluindo cada dia mais. Normalmente, o ciclo da água conseguiria recuperar facilmente a qualidade da mesma, mas como a quantidade de poluentes é grande e aumenta cada vez mais, isso não é mais possível, o que acaba fazendo que as chuvas façam também o transporte de poluentes e que o fenômeno conhecido como chuva ácida se torne cada vez mais comum.

Como consequência da chuva ácida, temos a destruição da fauna e da flora, além do solo ficar totalmente exposto à erosão. Além disso, ela acaba desiquilibrando e matando as espécies do ecossistema aquático e corroendo as pinturas, os metais e até mesmo os monumentos históricos dos grandes centros urbanos que acabam acumulando alto índice de poluição.