Como funciona o Mapa de risco


O principal objetivo de um mapa de risco é evitar acidentes no ambiente de trabalho e garantir que todos os colaboradores estejam seguros e confortáveis durante o desempenho de suas atividades cotidianas. Isso é possível por meio da criação de mapa que identifique todos os riscos presentes no ambiente em questão. O mapa de risco consiste em uma representação gráfica composta por círculos – sendo eles de diferentes tonalidades e tamanhos. Cada um deles indica possíveis ameaças presentes naquele ambiente de trabalho.

Como funciona o Mapa de risco

Neste artigo, vamos conhecer por completo como funciona um mapa de risco.

Como funciona o mapa de riscos?

Em um mapa de riscos, cada possível ameaça é representada de um modo. Esses riscos podem ser:

  • Verdes: riscos do tipo físicos – como umidade, calor, frio, vibração, pressões ou radiações;
  • Marrons: riscos do tipo biológicos – como presença de bactérias, parasitas, vírus, bacilos, fungos e outros capazes de afetar a saúde humana;
  • Vermelhos: riscos do tipo químicos – como fumos, vapores, gases, neblinas, fumaças e presença de demais componentes químicos;
  • Azuis: riscos de acidentes de trabalho – que podem ser causados pela falta de proteção dos funcionários, por equipamentos ou máquinas em más condições de uso, por armazenamento errôneo de determinados componentes, pela presença de animais ou insetos peçonhentos, pela possibilidade de explosões, incêndios, pela má iluminação e assim por diante;
  • Amarelos riscos do tipo ergonômicos – causados pelo transporte ou levantamento irregular de pesos, pela monotonia, pela constante repetição de determinados movimentos, pelo esforço mental ou físico excessivo, pelo controle da produtividade, trabalhos demasiadamente complicados em períodos noturnos, situações de estresse físico ou psíquico e assim por diante.
  • Além da separação por cores, a interpretação de um mapa de riscos também deve levar em consideração o tamanho de cada círculo.

Eles podem ser pequenos, médios ou grandes – seus tamanhos variam relativamente de acordo com o ‘tamanho’ do risco. Sendo assim, em um mapa de riscos, é possível identificar tanto o tipo de ameaça, como também, o quão grande ela é.

Mais informações sobre como funciona um mapa de riscos

O mapa de riscos funciona de modo a reduzir (ou até mesmo eliminar por completo) riscos e ameaças capazes de trazer danos à saúde física, mental ou psíquica dos funcionários de uma determinada empresa.

Após identificados quais são os principais riscos naquele ambiente, há a melhor conscientização dos colaboradores, assim como a melhora da própria imagem da empresa.

Sendo assim, um mapa de riscos funciona para assegurar que os funcionários estarão em um ambiente agradável, saudável e seguro de trabalho. Isso permite ainda que eles se tornem mais participativos, motivados e empenhados, uma vez terão a certeza de segurança e conforto naquele espaço.

  • O mapa de riscos tem validade? Se sim, qual é?

O mapa de riscos precisa ser avaliado e possivelmente refeito por completo toda vez que haja alguma mudança em procedimentos tomados pela empresa. Uma reestruturação no ambiente também pode ser motivo para a sua reelaboração.

Sendo assim, o mapa de riscos não tem uma validade específica, porém, precisa ser renovado após qualquer transformação no ambiente de trabalho.

  • Que tipo de empresa precisa criar um mapa de riscos?

Empresas de todos os portes e segmentos do mercado que apresentem qualquer tipo de risco na operação de suas atividades precisam realizar um mapa de riscos.

  • Há algum tipo de penalidade para as empresas que não o tem?

Sim. Empresas que apresentem riscos ou danos para seus colaboradores sem conscientizá-los acerca dos mesmos (por meio da criação de um mapa de riscos) estão sujeitas ao descumprimento da NR. 1.7 da Segurança do Trabalho. Neste sentido, a multa varia de acordo com o porte e número de funcionários da empresa. Uma instituição com 500 funcionários irá pagar o equivalente a R$3500, por exemplo.

  • Como posso elaborar um mapa de riscos?

Cada instituição deve elaborar o seu mapa de riscos com base em sua área de atuação. Porém, alguns itens em comum a todas elas são:

1. Realização de um diagnóstico sobre como vai a segurança do trabalho da empresa;

2. Divulgação para os colaboradores de que o mapa de riscos será realizado, de modo a contar com a ajuda dos mesmos;

3. Conhecimento de todos os procedimentos e atividades desempenhadas no ambiente de trabalho, o que inclui: número de funcionários, treinamentos necessários, jornada de trabalho, equipamentos, máquinas e outros utilizados, tipo de procedimentos ou atividades desempenhadas e assim por diante;

4. Identificação (em conjunto com os funcionários) acerca de todos os possíveis riscos presentes no ambiente;

5. Determinar quais serão as melhores medidas protetivas, como: uso de materiais de higiene, organização da rotina de trabalho, uso de equipamentos para o manuseio de determinados equipamentos ou máquinas e assim por diante;

6. Conhecimento de quais são as principais queixas dos colaboradores que estão expostos aos riscos;

7. Especificar os riscos com base em seus agentes;

8. Exposição do Mapa de Riscos para todos os funcionários e setores envolvidos.