Enfermagem


Podemos definir como enfermagem a ciência na qual a especificidade é o cuidado, a assistência aos seres humanos, seja ele feito de maneira individual, em comunidade ou em família, de modo holístico e integral, desenvolvendo em equipe ou de forma autônoma a proteção, a promoção, a reabilitação, a prevenção e a recuperação da saúde, tendo como fonte conhecimentos científicos.

Esse tipo de conhecimento científico, deve ser obtido na junção entre a tecnologia e a ciência (tendo a correção normativa como sendo a lógica da formalidade), a filosofia, que é caracterizada pela questão de existência do ser humano e a ética. Esse tipo de abordagem está comprometida com a evolução das sociedades e com a emancipação humana.

Enfermagem

Os requisitos para exercer a enfermagem e a profissão exercida em diversos lugares do mundo

No Brasil, para que um indivíduo possa exercer a profissão de enfermeiro, é necessário um curso de nível superior. Enfermagem é um curso voltado para a área da saúde, estando o indivíduo formado apto para atuar em todas as áreas da saúde: administrativa, assistencial e gerencial. Além disso, há também a área educacional, onde um profissional pode exercer a função de mestre ou de professor, acompanhando e preparando alguns profissionais para o futuro, seja a nível médio ou a nível superior.

Dentro do campo da enfermagem encontramos os auxiliares de enfermagem. Para exercer esse cargo, os indivíduos podem ter apenas o nível fundamental completo. Já para se exercer o cargo de técnico de enfermagem, é necessário apenas nível médio. Ambas as profissões são facilmente confundidas com o enfermeiro, mas além do nível de escolaridade exigido, outra diferença está nas funções desempenhadas. No Brasil, o enfermeiro formado em nível superior, está apto para solicitar exames e para prescrever e aplicar medicamentos, desde que é claro, este esteja vinculado a uma instituição particular ou pública.

No entanto, em alguns países, diga-se de passagem a grande maioria, não existem essas subdivisões no campo da enfermagem. Um exemplo disso é Portugal. O enfermeiro neste caso, conhecido por exercer cuidados gerais, acaba exercendo funções que são próprias de seu cargo. Para isso, é necessário que cada indivíduo que exerça essa profissão possua no mínimo, uma licenciatura em um curso de ciências de enfermagem.

Os enfermeiros têm como missão a prestação de assistentes a clientes ou pacientes, seja em hospitais, em clínicas, empresas de grande porte, em ambulatórios, em navios, em transportes do tipo aéreos, em domicílio e em postos de saúde. Eles fazem a coordenação e a auditagem dos serviços, além disso, implementam ações para que sejam promovidas ações de saúde para a comunidade.

A história da enfermagem

Atualmente, podemos dizer que a enfermagem é uma ciência voltada para o cuidado, a assistência aos seres humanos, seja ele feito de maneira individual, em comunidade ou em família, de modo holístico e integral, desenvolvendo em equipe ou de forma autônoma a proteção, a promoção, a reabilitação, a prevenção e a recuperação da saúde, tendo como fonte conhecimentos científicos.

No início da história da enfermagem, ela mantinha uma relação estreita com a maternidade, já que essa era uma profissão onde somente as mulheres trabalhavam. A enfermagem no modelo que conhecemos atualmente, se iniciou no século XIX, tendo como base rigores científicos e técnicos. As grandes responsáveis por esse modelo foram Gabi Marley e Florence Nightingale, depois de trabalharem durante a Guerra da Crimeia com soldados. A partir da observação dessas duas mulheres, foi possível a recuperação de diversos pacientes considerados moribundos, iniciando assim uma vaga nova no conceito de conhecimento em enfermagem. Este caracterizou-se pela efetuação de registros clínicos, originando a implementação do processo clínico de cada paciente, que foi adaptado pelo mundo todo.

Segunda a NANDA Internacional, do ano de 1990, a enfermagem pode ser definida como sendo uma espécie de resposta humana para potenciais de saúde e para problemas reais. Tem se buscando cada vez mais, uma linguagem própria para a enfermagem. A Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem, também conhecida apenas pela sigla CIPE, ajuda a guiar os enfermeiros no planejamento das intervenções, na formulação de diagnósticos de enfermagem e na avaliação dos resultados mais sensíveis aos cuidados do setor de enfermagem. Esta classificação nasceu do trabalho de diversas associações, que são responsáveis por estabelecer as linguagens da enfermagem.

Além disso, existe um padrão do manual de diagnósticos de enfermagem, chamada de classificação de diagnósticos da NANDA. Existem também, na NANDA Internacional, um padrão onde os diagnósticos de risco e reais são listados, com seus fatores relacionados e suas características responsáveis pela sua definição, uma estrutura de diagnostico que ainda não é encontrada em nenhuma outra linguagem do ramo de enfermagem.

Assim, para resumir, podemos dizer que a enfermagem é um trabalho de ordem perfeita, cujos os indivíduos estão a serviço da saúde de cada indivíduo, desenvolvendo, implementando e coordenando diversos serviços.