Estrutura Celular das Bactérias


As bactérias possuem uma composição celular bem própria de células procarióticas: núcleo que não apresenta revestimento de membrana, denominado nucleoide, com ribossomos, plasmídeos, entre outros.

Cada elemento que faz parte da composição celular das bactérias será explicado a seguir:

Cromossomos

O cromossomo que está exposto nas bactérias é arredondado e apresenta somente uma molécula de DNA. Certos princípios bibliográficos o intitulam não como cromossomo, porém como corpo cromatínico, por não ser considerado um cromossomo real. Esse cromossomo transporta os dados genéticos da célula, considerando-o capaz de executar a auto-resposta cromossômica.

Estrutura Celular das Bactérias

Plasmídeo

Essa armação é uma molécula pequena de DNA e não se encontra em todas as bactérias, de modo que seus genes não codificam os dados e os aspectos fundamentais, porém conforme a condição ambiente a que a célula está manifestada pode apresentar algum privilegio seletivo em comparação com as demais bactérias quem não tem o plasmídeo, como por exemplo, quando são submetidas a antibióticos.

O plasmídeo defende a célula da atividade antibiótica. E a melhor parte é que eles se duplicam por si só, com independência dos cromossomos.

Hialoplasma

O hialoplasma é um liquido com aspecto gelatinoso, formado por glicose, saia e demais moléculas orgânicas e de açúcar, e proteínas. Podem ser encontrados também vários ribossomos e RNA.

Ribossomos

Espalhados dentro da célula, essa armação é encarregada pelo aspecto rugoso que a célula apresenta.

Grânulos de Reserva

Nesse modelo de célula o acervo de reservas ocorre, porém é realizado de forma distinta das células eucarióticas. Aqui são produzidos grânulos que não dissolvem em água, formados por ácido beta-hidroxibutírico, glicose e fosfato, gerando cadeias intricadas de açúcares.

Membrana Celular

Essa membrana na realidade é uma cama dupla de fosfolipídios, porém também envolvem proteínas fundamentais que auxiliam na permeabilidade de alimentos, na criação de energia e na defesa.

Parede Celular

A parede reveste a membrana, e é ela quem concede certos formatos a bactéria. Não é uma armação primária, e em certos tipos é possível verificar as endotoxinas, substancias que estimula o complexo imune a apresentar uma reação acentuada, denominada choque séptico, e ocasionar o falecimento do mesmo hospedeiro.

Quanto à composição dessa armação, afirma-se que as bactérias podem ser gram-positivas ou gram-negativas, isso considerando a tonalidade delas. Se gram-positivas, a tonalidade é arroxeada, e com pouca mudança nessa coloração, com a parede estruturada por uma única camada. Se gram-negativas, a tonalidade é avermelhada, com uma alteração pequena na coloração, e a parede estruturada por duas camadas.

Cápsulas

É a camada que reveste a parede celular, normalmente polissacarídica, mas também podem ser proteínadas. Essa armação condiciona a célula bacteriana a aguentar a fagocitose.

Flagelo

Essa armação é encarregada pela locomoção da bactéria. Está fixa a membrana plasmática e é formada pro proteínas.

As bactérias são organizadas conforma a quantidade de flagelos presente na célula:

– Monotríquias: bactérias com somente um flagelo

– Peritríquias: bactérias com flagelo na célula inteira

– Lofotríquias: bactérias com um grupo de flagelos

– Anfitríquias: bactérias com um grupo de flagelos em cada extremidade da célula

Fímbrias

Também chamada de “pili”, essas armações são microfibrilas de proteínas, ou seja, finas e curtas, particularidades das bactérias gram-negativas e de forma diferente dos flagelos, não agem para movimentação, porém para aderência. Há ainda um modelo próprio de fímbria, a sexual. Essa atua auxiliando o método de conjugação, unindo as bactérias para que cruzem material genético.

Reprodução bacteriana

As bactérias se reproduzem através da fissão binária ou divisão celular. No decorrer desse procedimento acontece o desdobramento do DNA acompanhado pela separação da célula bacteriana em duas células novas.

A reprodução das bactérias é principalmente assexuada e acontece pela repetição de seu cromossomo e subseqüente divisão celular em um procedimento conhecido como fissão binária. O grande benefício de um período curto de reprodução é que as bactérias podem progredir rapidamente, sendo esse o motivo do seu êxito no mundo vivo. O desenvolvimento acontece por meio de transformações genéticas que geram modificações na geração de um organismo e o meio, pelo episódio da seleção natural, defini que alterações são favoráveis no sentido de expandir suas oportunidades de sobrevivência e de êxito reprodutivo.

Por causa do período muito curto de geração, as bactérias podem experimentar bilhões de transformações em curtos espaços de tempo ao mesmo tempo em que um humano pode levar mais de 25 anos para experimentar somente uma transformação. Ainda que se reproduzam assexuadamente, as bactérias apresentam dispositivos de recombinação genética por meio dos episódios da conjugação bacteriana, transdução e transformação. Na conjugação acontece a transmissão de um ou mais plasmídios de uma bactéria para outra ponte citoplasmática entre duas bactérias. Na modificação ocorre a assimilação de pedaços de material genético de bactérias liberadas no meio; um pedaço de DNA que tenha sido adquirido pode se combinar novamente com o DNA cromossômico da bactéria receptora gerando novos arranjos de genes.