Fitocório


Todo local geográfico que possua um grupo de espécies vegetais considerados iguais é denominado de fitocório. No entanto, se um local que exiba a modificação de um fitocória (plural) para outro é rotulado como zona de tensão vegetal. Zonas, estas, que não têm determinados um limite vegetal, uma vez que apresentam somente um espaço de transição em que essas espécies vegetais, das duas regiões, localizam-se sobrepostas.

O agrupamento de fitocório possui afinidades em sua estrutura muito parecidas às das divisões zoogeográficas. Esse sistema acompanha a natureza dos grupos de mamíferos, além das divisões biogeográficas ou ecorregiões terrestres, em que ambas têm como função distribuir tanto os animais quanto as plantas. Logo, tal teoria é utilizada especialmente na fitogeografia e tem como meta qualificar os grandes grupos vegetais que existem no mundo.

Fitocório

Ao que se sabe, são vários sistemas organizados e preparados para coordenar e classificar as áreas geográficas em que as espécies de plantas se formam de maneira peculiar e individualizada. É possível a explicação de que o fitocório pode ser classificado e definido como uma região em que há uma enorme quantidade de táxons endêmicos. Lembrando que táxon é um termo considerado como uma unidade integrada a um método de classificação cientifica e que está diretamente ligado ao sistema de Josias Braun-Blanquet, que tem como princípio ligar algumas espécies a sua ausência ou não em determinadas regiões.

Dessa forma, como meio de identificar determinados grupos importantes, os pesquisadores preferem a organização hierárquica, ou seja, dispõem os elementos maiores em regiões geográficas menores. Essas áreas consideradas menores são constituídas por sociedades florísticas com proporções ainda menores. Assim, um grupo de fitocório é dividido em ordem decrescente de tamanho, em comunidades florísticas determinadas por um alto nível de endemismos de famílias, em reinos florísticos que tenham um alto nível de endemismos quanto aos gêneros e em divisões florísticas que possuam um alto nível de endemismos no que se refere às espécies.

A classificação do fitocório

De acordo com o estudioso botânico Ronald Good, baseado por numa classificação melhorada em seguida por Armen Takhtajan, é possível apontar, a partir do estudo do fitocório, seis reinos florísticos distintos e sua localização.

• Antárctico: localizado no continente antártico;
• Paleotropical: encontrado na África Ocidental, Oriental e Equatorial e na Ásia Sudeste Meridional e Ocidental;
• Neotropical: situado na América Latina;
• Australiano: disposto na Nova Zelândia e na Austrália;
• Sul-africano: achado na região sul da África;
• Holárctico: descoberto no Canadá, na Europa, nos Estados Unidos, na África do Norte e na Ásia Central e do Norte.

Os grupos mencionados acima constituem as maiores integrações naturais já vistas em que há a aglomeração de plantas com flor, conhecidas por angiospermas ou angiospérmicas. Elas são assim caracterizadas porque são plantas espermatófitas, em que as suas sementes possuem uma proteção estruturada, o fruto.

Os reinos e suas particularidades

As seis comunidades apontadas por Good possuem uma subdivisão menor, denominadas de províncias e regiões. Dentre estas, tem-se formado uma quantidade total de 37 regiões florísticas que, por sua vez, a sua grande maioria está dividida em províncias florísticas. Confira abaixo as principais características de cada um.

• Reino Holárctico: conhecido como um reino florístico em que a flora é originária da antiga Laurásia. Todavia, a maioria desta área teve extensas glaciações no período Pleistoceno. Logo, a sua flora é bastante recente, no que se refere á era evolutiva e geológica. A vegetação na época do chamado período Terciário conseguiu abrigo nas regiões montanhosas e meridionais, tornando-se, nos dias de hoje, um conjunto reliquial;

• Reino Paleotropical: caracterizado como um reino florístico que constitui as áreas tropicais da Oceania, da Ásia e da África, menos a Austrália. A flora tem como principal característica as quase 40 famílias endêmicas de plantas;

• Reino neotropical: formado por todas as ilhas do Caribe e da América do Sul, pela América Central, pela Califórnia, pelo sul da Florida, pela parte sul do México e da península da Baja. Inclui, além das regiões com clima tropical, as de altitude e com climas temperados. Caracterizada principalmente como uma região que apresenta enorme biodiversidade, com alguns ecossistemas diversificados como o cerrado, os pampas, a caatinga, a Mata Atlântica, a Patagônia, a Floresta Amazônica e o Pantanal;

• Reino Capense ou Sul-africano: possui oito as áreas da região floral do Cabo protegidas, cobrindo cerca de 553.000 ha. Ainda, tem uma das maiores áreas de riqueza florística do mundo: a Região floral do Cabo. A sua flora é considerada típica, sendo que dentre ela, em torno de 30% são espécies endêmicas;

• Reino Australiano: a sua vegetação é vista como um país mega-diverso. No extremo norte australiano são encontradas áreas menores de florestas tropicais. Mesmo estando muito próximo da Nova Zelândia, a ilha de Papua e outras ilhas pertencentes à Indonésia, não possuem a mesma flora, logo, não são consideradas com o mesmo reino floral australiano;

• Reino Antárctico: conhecida como uma comunidade divergente em função das suas plantas vasculares que tiveram a sua evolução realizada há milhões de anos. Atualmente, estas se encontram em zonas variadas do hemisfério sul. Tendo como base as afinidades entre as floras, foi possível identificar e particularizar o reino florístico da Antártica.