Gengibre


Vegetal próprio da Ásia, o gengibre é uma raiz utilizada tanto na medicina quanto na culinária. A planta apresenta diversos benefícios medicinais: é desintoxicante, tem atividade bactericida e ainda favorece a performance do sistema digestivo, circulatório e respiratório. O gengibre também é um importante alimento termogênico, que tem a capacidade de agilizar o metabolismo e ajudar na queima da gordura do corpo.

Principais nutrientes

O gengibre possui uma substancia denominada gingerol, cheia de características antiinflamatórias e antioxidantes que defendem o organismo de fungos e bactérias. O gingerol é encarregado pelo gosto picante do gengibre.
As características medicinais do gengibre são pro causa da atividade conjunta de diversas substâncias, especialmente achadas no óleo essencial do gengibre, repleto dos ingredientes medicinais: felandreno, cafeno, zingerona e zingibereno.
O gengibre também é repleto de elementos termogênicos que acionam o metabolismo do organismo e fortalecem a queima da gordura do corpo.

gengibre

A raiz é formada por vitamina B6, da mesma forma que nos minerais de magnésio, potássio e cobre, mas essas características são pouco importantes considerando-se o uso diário da raiz. Como dia respeito a uma especiaria, só é preciso poucas quantidades do gengibre em preparações culinárias ou chá para perfumar as preparações. Podem ser utilizados até 2g de gengibre em uma receita.

Benefícios

O gengibre é recomendação quando do assunto é distúrbios estomacais, uma vez que acaba com os gases, enjôos, náuseas, indigestão causadas pela perda de apetite de no tratamento do câncer. Também ajuda na compreensão de alimentos gordurosos. Não é por coincidência que uma substancia existente na raiz do gengibre é utilizada na produção de medicamentos como anti-gases, laxantes e antiácidos.
A raiz também é muito usada para lutar contra a cólica menstrual, o mau hálito e até a ressaca. Por causa da sua ação anti-inflamatória, o gengibre ainda é utilizado para suavizar dores resultantes de bronquite, artrite, dores musculares, tosse e infecções do trato respiratório. A planta faz parte da elaboração de xaropes devido a sua atividade antibiótica e anti-inflamatória.
O óleo retirado do vegetal é indicado como eficiente no tratamento de queimaduras. Fora isso, o gengibre exerce uma importante função na dieta, uma vez que provoca o paladar e o olfato, ajudando na redução da utilização do sal para temperar os alimentos. O chá, por outro lado, amplia a ingestão de líquidos, beneficiando a hidratação e auxiliando na eliminação de toxinas.

Como utilizar o gengibre

O gengibre por ser ingerido em conserva, cru, como óleo ou como chá. Ele ainda é utilizado em bebidas e alimentos como agente aromatizante.
– Chás: a fermentação de pedaços de gengibre é usada no tratamento de tosses, gripes e resfriados. Além de um relaxante eficiente, o gengibre hidrata o corpo e auxilia na eliminação de toxinas, e no emagrecimento, por causa da sua atividade termogênica. O preparo baseia-se em deixas as cascas, raízes ou talos de molho por aproximadamente 30 minutos e, depois desse tempo, adicionar água e conduzir ao forno por 30 minutos.
– Na panela: o gengibre pode ser usado na preparação de pratos salgados e doces da culinária. Pode ser achado fresco, desidratado, cristalizado ou em conserva. Cuidado para não trocar uma forma pela outra, uma vez que seus sabores são diferentes.
– Sucos: tem atividade anti-inflamatória, beneficiando a expulsão de toxinas do organismo. O suco provoca mais disposição, melhora o aspecto da pele e o desempenho do intestino. Para ficar com mais sabor, bata no liquidificador com hortelã, abacaxi ou raspas de limão.
– Pedaços: mastigar pedaços de gengibre, bem como chupas a bala, ajuda a diminuía irritações e rouquidão na garganta, porém é preciso muita atenção, pois, elas apenas encobrem a dor. O gengibre irá atenuar os sintomas até que o corpo se responsabilize de curar a enfermidade.

Contra-indicações para o consumo

A princípio, a ingestão do gengibre é segura para a grande parte das pessoas. O consumo da raiz por gestantes é contestado. Certos estudiosos sustentam que o gengibre pode acometer os hormônios sexuais do feto e até propiciar um aborto. Pesquisas sugerem, contudo, que a ameaça de má formação em recém-nascidos de mulheres que consumiam o gengibre não se manifestou maior do que o normal.
O gengibre também não tem vinculo com partos prematuros ou má formações. Apesar disso, aconselha-se que o alimento seja poupado principalmente próximo ao dia do parto, uma vez que ele pode elevar o perigo de hemorragia. Não se tem muito conhecimento sobre a segurança na ingestão de gengibre no tempo de amamentação e, por isso, o recomendado é que ele seja poupado.
A ingestão de alimento com ação termogenica, como o gengibre, não é aconselhado para quem apresenta hipertireoidismo, uma vez que o metabolismo já está muito alto, o que eleva o perigo de perda de massa muscular. Fora isso, gestantes e crianças, pessoas com enxaquecas, cardiopatias, alergias e úlceras não devem exagerar nos alimentos termogenicos, uma vez que eles podem aumentar a pressão, causar insônia, hipoglicemia, taquicardia e nervosismo.