Giardíase


A giardíase é uma doença que acomete o intestino delgado provocada pelo protozoário Giardia Lamblia, afetando mais crianças do que adultos. Ao gênero Giardia cabe o primeiro protozoário já conhecido do intestino humano.

Normalmente, a giardíase é conduzida pela água ou comida infectada com fezes de pessoas doentes. Hábitos errados de higiene como levar as mãos à boca ou prática sexual feita sem proteção como o sexo anal, também são formas de transmissão da doença.

Esse protozoário, normalmente, é encontrado em ambientes sem saneamento básico de clima temperado. Porém, esse problema é muito comum em várias partes do mundo. Nem sempre as pessoas infectadas apresentam sintomas. Em crianças, a enfermidade pode ocasionar graves distúrbios de saúde, se não cuidados corretamente.

Giardíase

O protozoário Giardia lamblia é o principal agente dessa história. Tem a forma de uma pera, com flagelos e simetria bilateral. A parte posterior normalmente é convexa e lisa, e a parte ventral apresenta um modelo côncavo com uma morfologia que lembra uma ventosa. Esse tipo de micro-organismo dispõe de dois núcleos e oito flagelos ao todo, que se formam nas bases.

Quando o indivíduo tem contato com comida, solo, água ou alguma outra coisa contaminada com cistos do protozoário, acontece à infecção. Esses cistos não conseguem ser eliminados no estômago, porque o ácido estomacal é inútil nesse caso. Ao contrário, quando esse micro-organismo está no interior do estômago ele é incentivado a alcançar o estágio adulto, conhecido como trofozoíta. Esses germes se locomovem até o duodeno e, por meio de ventosas, ficam-se ao epitélio local.

Em determinados casos a porção interna do duodeno fica tomada de protozoários, o que atrapalha a sucção de nutrientes.

A giardíase pode ser encontrada de duas formas: cistos ou trofozoítos. Apenas os cistos continuam vivos fora do organismo humano, mesmo os dois tipos sendo achados nas fezes dos enfermos. Os cistos, dessa forma, são os causadores do contágio das fezes. Quando no intestino delgado, os cistos se reproduzem e geram novos cistos pelas fezes do portador. O tempo de gestação vai de uma a quatro semanas.

Diagnóstico

Como dito anteriormente, em muitos casos a contaminação não causa nenhum sintoma. Contudo, esse indivíduo segue transmitindo a doença a outras pessoas com a presença de cistos nas fezes em locais que não existe saneamento básico ideal ou hábito de higiene adequado. Por não despertar sinal nenhum e por vezes estes serem comuns, pode ser complicado da à exata identificação da doença.

É aconselhado que todas as pessoas frequentem o médico periodicamente para fazer exames de rotina. Dessa maneira, pode-se realizar um controle da saúde e identificar distúrbios assintomático, igual à giardíase. Por meio de um exame de fezes fica fazer a identificação da enfermidade.

Todos os pacientes infectados com a doença expelem cistos e trofozoítas em suas fezes. Esse último tipo se movimenta arduamente e é facilmente identificado. Diante disso, o tratamento deve começar imediatamente, mesmo em casos onde os sintomas são inexistentes, uma vez que todas as pessoas contagiadas estão ajudando da propagação da doença. O tratamento deve ser seguido corretamente para que não ajam novas pessoas contaminadas.

Sintomas

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoas e demoram de uma a quatro semanas para atuar no organismo. Quando visíveis, os sinais mais percebidos são:

– diarreia forte;

– intensas dores abdominais;

– fezes com gordura devido à má absorção;

– flatulências;

– distensão;

– náuseas;

– perda de peso;

Quando o volume de protozoários no interior do duodeno é elevado pode desencadear uma desnutrição, pois esses vermes fixam por meio de ventosas na parede do órgão gerando um tipo de tapete. Esse tapete afeta a aspiração de nutrientes, especialmente de gordura. As fezes viram gorduras cheias de vitaminas lipossolúveis, que precisam dessa gordura para serem absorvidas.

Tratamento

O tratamento é feito com o consumo de remédios prescritos pelo médico. As pessoas que tem contato direto com crianças devem ser afastadas até sua recuperação total, pois quando as crianças são infectadas com giardíase, essa pode desencadear problemas mais sérios.

No decorrer do procedimento os enfermos devem tomar água tratada e comida muito limpa e higienizada, para que a infecção não aconteça. O cloro, apenas, não elimina os cistos presentes na água e no alimento, ele deve ser misturado com outras substancias para que essa higienização seja eficaz.

Prevenção

A infecção pode ser prevenida com simples hábitos diários de higiene como, por exemplo, lavar as mãos depois de ir ao banheiro e antes das refeições. Todos os alimentos, especialmente aqueles que serão consumidos cruz, devem ser bem lavados em água corrente tratada ou fervida.

Como é comum esse tipo de doença não manifestar sintomas, é aconselhado consulta periódica ao médico e efetuação de exames rotineiros.