Hormônios vegetais


Assim como qualquer outro ser vivo, as plantas também precisam de estímulos que possam agir tanto interna como externamente para ajudá-las no seu crescimento e desenvolvimento. Com esse estímulo, elas passam a ganhar formas e se diferenciar de outros seres, por gerarem novas células, novos órgãos e também novos tecidos. Esses fatores são fundamentais para a boa formação das plantas como todo, desde seu nascimento até a fase de desenvolvimento.

Os fatores externos responsáveis por ajudar as plantas em todo o seu processo de crescimento são variados e por isso podem ocorrer fatores distintos ao longo desse crescimento. Pode-se considerar como fatores externos desde o caso da luz ou a luz solar, que são fundamentais para ajudá-las no crescimento e desenvolvimento saudável, da água e outros fatores que são fundamentais para o seu desenvolvimento dando forma a uma nova planta.

Hormônios

Já os estímulos internos podem ser os mais variados, por atribuir uma função química muito importante. Vale destacar que de todos os estímulos ou fatores internos há um que se destaca diante dos outros, chamado de hormônios vegetais. Também conhecido como fitormônios, eles são caracterizados como substâncias orgânicas que passam a atuar diretamente nos órgãos ou fatores das plantas (como as folhas, os frutos, as flores, o caule e principalmente, na raiz).

Esses hormônios vegetais são produzidos pelas plantas e são responsáveis por ajudá-las no seu crescimento e claro, no seu desenvolvimento vegetal. Os hormônios são produzidos em frações pequenas e direcionados a locais específicos da planta, e assim ajudam a promover o seu crescimento de maneira saudável. Essas substâncias orgânicas podem agir de maneira direta ou não em seus tecidos e órgãos, para produzir ativos importantes para elas.

Esses ativos podem ser descritos como fundamentais para que as plantas consigam produzir as suas “respostas” fisiológicas, que são específicas de planta para planta. Entre essas respostas podem ser encontrados desde a floração até mesmo o crescimento de frutos e também o seu amadurecimento. Os hormônios vegetais trabalham como agentes reguladores das plantas, podendo modificá-las e também induzir necessidades fisiológicas ou anatômicas.

Como os Hormônios Vegetais Agem

Os hormônios vegetais podem agir de maneira diferente em cada planta. Eles agem em quantidades relativamente pequenas em células específicas das plantas, permitindo que cada uma tenha reação específica. De acordo com especialistas na área de desenvolvimento de todas as plantas, ocorre que os hormônios podem emitir efeitos variáveis, o que tecnicamente faz com que as plantas tenham respostas distintas em alguns casos, pois isso depende de diversos fatores.

A função desses hormônios vegetais ou fitormônios, além de desenvolver as plantas é permitir que suas células sofram modificações que são imprescindíveis para o crescimento delas. A partir de todos os hormônios desenvolvidos, as plantas passam a receber agentes reguladores que produzem as suas necessidades fisiológicas e desempenham um papel importante, de viabilizar os organismos que estão presentes nas plantas.

Os Hormônios Vegetais

É possível encontrar diversos hormônios vegetais que permitem maior desenvolvimento das plantas. As principais substâncias que passam a agir como bons hormônios, ou como fitormônios, são compostas por cinco grupos como as auxinas, as citocininas, as giberelinas, o ácido abscísico e também o etileno. Esses hormônios citados são fundamentais para proporcionar não só o seu crescimento, mas também para aumentar a sua produtividade.

– Auxinas: São responsáveis pelo tropismo, além de todo o desenvolvimento dos seus frutos e também do alongamento celular que ocorre de maneira radicular e caulinar. As auxinas são hormônios produzidos diretamente na região do caule, folhas jovens, além dos frutos e também nas sementes presentes na planta.

– Citocininas: É um hormônio que permite ajudar no retardamento do envelhecimento de todas as plantas. As citocininas passam a estimular de maneira competente as divisões celulares e ainda agem no desenvolvimento das gemas laterais. Esse hormônio é produzido nas raízes e é transportado através do xilema.

– Giberelina: É um hormônio produzido diretamente nas folhas e tecidos jovens presentes no caule, nos frutos e também nas sementes que se encontram em germinação. O hormônio giberelina também age no crescimento das plantas permitindo a sua floração, além do crescimento dos frutos e outros fatores fundamentais para planta.

– Ácido Abscísico: É o hormônio responsável pela inibição do crescimento da planta, ou seja, ele acaba causando a dormência das gemas e sementes. Ele é produzido no caule, na coifa e também no caule. O hormônio do ácido abscísico é difundido através de vasos que são responsáveis pela condução da seiva.

– Etileno: Esse hormônio é responsável pelo amadurecimento dos frutos, além de ser o responsável por promover a queda das folhas e outras fases de desenvolvimento. Ele é caracterizado como um gás, por isso é mais fácil para se locomover ao longo da planta e distribuir-se entre as estruturas que ela contém. O etileno é produzido nos mais variados locais da planta.