Insônia


Muitos já ouviram falar ou já se viram sofrendo de um dos distúrbios do sono mais comuns que existem, a chamada insônia. O conceito que define o que é insônia é bastante simples e de fácil compreensão e nele existe uma série de fatos que podem levar ao diagnóstico de que uma determinada pessoa está sofrendo de insônia.

De maneira bastante resumida e simples, podemos dizer que a insônia é um distúrbio em que o indivíduo encontra dificuldades para começar a dormir ou até mesmo em manter o sono. Algumas formas de identificar o mal são percebendo alguns problemas simples, como a dificuldade em começar a dormir, acordar muitas vezes durante a noite e ter problemas para voltar a dormir, além de acordar muito cedo sem necessidade, também não conseguir ter no sono uma ferramenta eficaz de descanso e restauração das energias do seu corpo.

 Insônia

Mas antes de achar que uma pessoa sofre de insônia é preciso compreender que cada ser humano tem necessidades distintas quando o assunto é sono. Algumas pessoas conseguem se sentir descansadas e dispostas após apenas seis horas de sono ou até menos, enquanto outras não conseguem ter essa sensação de bem-estar nem após oito horas de sono bem dormidas. Portanto, segundo especialistas, a insônia não pode ser definida pelo tempo que cada pessoa fica na cama dormindo.

Geralmente, a classificação da insônia segundo os médicos são três: aguda, intermitente e crônica. Na primeira nomenclatura estão os casos com duração de uma noite ou até semanas. Porém, essa classificação pode sofrer uma alteração caso volte a apresentar episódios do tipo em outros períodos.

Já, os casos mais incômodos são com certeza os crônicos, uma vez que são frequentes e com duração que pode ultrapassar os 30 dias.

Algumas características da insônia
•Dificuldade para dormir ou manter o sono
•O mal pode ser percebido também quando se acorda várias vezes durante a noite, tendo dificuldades em voltar a dormir
•Acordar muito cedo sem necessidade
•Não ter um sono revigorante

As 3 classificações da insônia

*Aguda: dura uma noite ou algumas semanas
*Intermitente: Quando os episódios agudos voltam a se repetir de tempos em tempos
*Crônica: Episódios frequentes e com duração que pode superar um mês

As causas da insônia

As causas da insônia são variáveis e podem ser identificadas por fatores genéticos, orgânicos, estressantes ou até mesmo por alguns vícios ou hábitos de consumo. Além disso, podem existir diferenciações ente os motivos que levam aos casos de insônia aguda e intermitente e os casos de insônia crônica.

Nas formas mais simples de insônia, podemos destacar como causas fatores como histórico anterior de insônia em familiares, idade avançada, doenças psiquiátricas, disfunções durante e após o período da menopausa, no caso das mulheres, além de dependência química, inclusive a de itens socialmente aceitos como o cigarro ou até mesmo as bebidas alcoólicas.

Já, como citamos anteriormente, na insônia crônica, existe uma diferenciação nos fatores que podem desencadear nos episódios de dificuldade em dormir ou manter o sono. Nestes casos, muitas vezes são identificados fatores como a depressão. Mas, existem outras questões que também podem causar a desagradável companhia da insônia durante a noite.

Entre elas, a própria expectativa e medo de ter insônia, isso é, sabendo que esses episódios de insônia podem acontecer, a pessoa já fica pensando antecipadamente se conseguirá ter uma boa noite de sono. Além disso, preocupações com questões como trabalho, financeiras, pessoais e familiares também podem atrapalhar o sono de quem sofre com insônia crônica.

Porém existem algumas outras motivações que podem resultar em insônia, mas que são mais fáceis de controlar, entre elas o exagero no consumo de bebidas com cafeína ou álcool e dormir em excesso durante o dia ou em horários irregulares.

Insônias agudas e intermitentes podem ser causadas por

*Fatores Genéticos
*Doenças Psiquiátricas
*Disfunções causadas pela menopausa
*Idade Avançada
*Dependência Química

Insônias crônicas podem ser desencadeadas por

*Ansiedade devido a própria insônia
*Preocupações com trabalho e questões pessoais como um todo
*Exagero no consumo de cafeína ou álcool
*Dormir durante o dia ou em horários irregulares

Qual é o tratamento para insônia?

De acordo com especialistas, a insônia pode estar ligada a uma série de complicações que podem comprometer a nossa saúde, como alguns problemas psicológicos e até mesmo questões relacionadas à hipertensão, obesidade, diabetes e inclusive o risco de doenças do coração. Por isso, além do diagnóstico, o tratamento é de extrema importância para evitar que o distúrbio influencie negativamente na saúde desses pacientes.

Quando o médico identifica um caso de insônia pode existir a necessidade do uso de remédios para dormir, que são indicados pelo médico normalmente dentro da quantidade mínima e por um período restrito, podendo se tornar ainda menor gradualmente, conforme o tratamento for avançando. Porém, existem atividades complementares que podem ajudar e que devem ser discutidas com o seu médico, entre elas a acupuntura, restrição inicial de sono e técnicas de relaxamento, entre outras.