Miriápodes (Quilópodes e Diplópodes)


Os miriápodes são artrópodes denominados de unirremes, por não apresentarem apêndices divididos. As mandíbulas não são ligadas. Apresenta um par de antenas, realizam as trocas gasosas por meio das traqueias e tem túbulos de Malpighi como órgão excretor. São animais terrestres, sem tipos aquáticos.

Os miriápodes apresentam cabeça e um tronco comprido, com diversas divisões, que apresentam pernas. Vivem em regiões terrestres úmidas, uma vez que não apresentam cutícula. Estão sempre escondidos embaixo de troncos, pedras e rochas. Na cabeça existem ocelos, certos tipos apresentam olhos compostos, partes bucais na área ventral, direcionadas para frente.

Esses animais devem impedir a perda de água, por isso no seu sistema de traqueias os estigmas permanecem fechados. O coração é um ducto dorsal. O sistema nervoso contém um cordão nervoso ventral que possui um gânglio em cada divisão.

Miriápodes

Quilópodes

Nessa divisão estão as centopeias, que estão espalhadas pelo mundo inteiro, com aproximadamente 3.000 espécies relatadas. A maior centopeia tem 26 cm de comprimento. Tem o costume de ficarem escondidas, não apenas de predadores, mas também para impedir a dessecação, dessa forma, apresentam práticas noturnas.

As centopeias apresentam um par de pernas por divisão, unhas de veneno para se defender e o último par de patas pode ser utilizado para defesa, causando uma espécie de “beliscões”. O par de patas da primeira divisão do corpo é convertido em forcípula, armação que apresenta glândulas de veneno. Certas espécies geram glândulas repugnatórias, que são lançadas contra o inimigo e ejetam gotas adesivas.

As centopeias são moldadas para corre, sendo as pernas das espécies corredoras mais extensas. Também são moldadas para cavar, e a força é adquirida por retraimento do tronco.

São predadoras de artrópodes pequenos, porém certas espécies se alimentam de caracóis e minhocas.

O transporte de espermatozoides é indireto. Geralmente existe uma prática de acasalamento e o macho solta o espermatóforo, e a fêmea o pega. A fêmea protege os ovos até o instante da eclosão. O desenvolvimento das centopeias é direto.

Principais características

– o corpo é formado por cabeça e tronco;

– o corpo dos quilópodes apresenta o formato alongado e achatado. É constituído por diversos anéis associados. Possuem um par de pernas por anel;

– apresentam diversos pares de pernas conectados;

– são pequenos, uma vez que a grande maioria desses animais medem de 2 a 7 cm de comprimento;

– apresentam um par de antenas e olhos simples;

– são animais venenosos, sendo que utilizam o veneno compreendido em uma glândula para paralisar a presa. O veneno é inserido por meio de garras que apresentam na cabeça;

– o sistema respiratório é aberto.

Diplópodes

Nessa divisão encontram-se os piolhos-de-cobra. Apresentam dois pares de patas por divisão, são animais detritívoros e herbívoros, não apresentam forcípula. Normalmente vivem escondidos da luz para impedir a dessecação. Há aproximadamente 75.000 espécies conhecidas.

O revestimento desses animais está saturado com sais de cálcio. Geralmente a superfície é lisa, porém certos animais apresentam cristas, cerdas, tubérculos ou espinhos. A cor da grande parte dos diplópodes é marrom e preta, existindo espécies alaranjadas, vermelhas e até manchadas.

Não são animais rápidos, uma vez que se movimentam devagar. Contudo, as pernas possuem força o bastante para abrir passagens no solo. Como não são rápidas, as espécies mais fracas foram sendo excluídas por seleção natural, sobrando aquelas que dispunham de instrumentos de defesa, como um esqueleto enrijecido e podem envolver o corpo, como um caracol. Certas espécies apresentam glândulas repugnatórias, existindo um par de glândulas por divisão. Essa secreção pode ser repelente ou tóxica.

Em certas espécies os olhos não existem. As antenas apresentam pelos táteis.

A transmissão de espermatozóide é de forma indireta, existindo a presença de um espermatóforo, porém somente em algumas espécies. Os ovos são colocados em ninhos e após alguns dias nascem os jovens. Certas espécies apresentam partenogênese.

Características principais

– o ambiente dos diplópodes é terrestre. Optam por ambientes úmidos e escuros para sobrevier, normalmente troncos apodrecidos localizados embaixo de pedras;

– se movimentam devagar;

– apresentam desenvolvimento direto;

– o corpo apresente formato circular e é separado em três anéis principais: cabeça, tórax e abdômen com divisões;

– são animais díceros, isto é, apresentam um par de antenas com existência de pelos táteis;

– a respiração é realizada pela traqueia;

– apresentam grande número de pernas, entre 20 e 100, sendo dois pares em cada divisão;

– quando estão sob ameaça enrolam o corpo em formato de caracol;

– a reprodução desses animais é sexuada;

– são animais ovíparos, ou seja, colocam ovos;

– apresentam olhos simples;

– são animais herbívoros, que se alimentam de vegetais, e detritívoros, que se alimentam de restos de matéria de origem vegetal morta.

Subclasses

Os diplópodes apresentam cinco subclasses, são elas:

– Penicillata

– Chilognatha

– Arthropleuridea

– Eugnatha

– Colobognatha