O que é e Como Acontece a Fotossíntese


É fato que todo mundo já ouviu falar pelo menos uma vez em fotossíntese, não é mesmo? Mas você conhece a fundo esse processo? Sabe qual é o seu objetivo, a sua importância e de que maneira acontece? Esse é um conhecimento básico para todos os estudantes, por isso, saiba tudo sobre a fotossíntese nesse artigo, de uma forma bem completa, mas simples e muito clara!

O que é?

A fotossíntese é um processo primordial para manter a vida dos organismos vegetais, pois é por meio dela que as plantas se nutrem. Os seres que pertencem ao reino vegetal são caracterizados por serem autótrofos, ou seja, capazes de sintetizar o seu próprio alimento, diferente dos animais, que necessitam buscar fontes de nutrição. Sendo assim, por meio do processo fotossintético, as plantas podem produzir compostos orgânicos que lhes servem de alimentos.

Fotossíntese

Para que isso possa acontecer, as células vegetais possuem organelas especiais, que não estão presentes nas células dos outros seres vivos: são os cloroplastos. É lá que ocorre toda a reação química responsável pela alimentação das plantas. Eles são encontrados predominantemente no mesofólio foliar e são compostos pelas seguintes partes:

• Envelope: membrana que envolve o cloroplasto;
• Estroma: parte fluida em que se encontram as estruturas chamadas de Grana;
• Grana: estruturas formadas por camadas membranosas;
• Tilacoides: membranas em forma de discos que, quando empilhadas, formam o Granum;
• Lamelas: canais que interligam a Grana.

A clorofila é um pigmento presente nos cloroplastos, sendo a responsável por dar a característica coloração verde para as folhas das plantas. Mas colorir não é a única função! Ela participa ativamente de toda a ação fotossintética, como você verá a seguir.

Existem quatro categorias diferentes de clorofila: a, b, c e d. As duas primeiras são encontradas nas plantas, enquanto as duas últimas são características das algas e cianobactérias.

Como acontece?

Depois de saber para que serve a fotossíntese, vamos entender exatamente como funciona esse processo. Primeiramente, precisamos saber o que é necessário para que a fotossíntese possa acontecer: água (H2O), gás carbônico (CO2) e luz.

Com moléculas tão simples como essas, os vegetais realizam um processo químico de transformação, obtendo uma substância orgânica que serve para a sua nutrição: a glicose (C6H12O6).

A fotossíntese segue o princípio de que toda energia pode ser transformada. Assim, as plantas transformam energia luminosa em energia química, é por isso que não acontece durante a noite. Essa energia luminosa é transmitida pelo sol em unidades menores, os fótons. Desse modo, para que o processo fotossintético aconteça, o vegetal precisa absorver a energia dos fótons e usá-la na reação química.

E quem faz a absorção na energia do fóton é justamente o pigmento clorofila, por isso que sua função é primordial para que as plantas possam se manter vivas.

A equação que descreve a fotossíntese é a seguinte:

6 CO2 + 12 H20  C6H12O6 + 6 O2 + 6 H20

Lembrando que isso só acontece na presença de luz e com a ação da clorofila.

Basicamente, a planta absorve moléculas do ambiente, como o gás carbônico presente no ar e a água, convertendo-os em uma molécula de glicose (substância orgânica que serve de alimento, fornecendo energia química para a planta), seis moléculas de água e seis de gás oxigênio, que são liberadas. É nisso que consiste a fotossíntese!

O açúcar produzido pelas plantas durante esse processo é um nutriente rico o suficiente para que elas possam executar todas as suas atividades metabólicas. As moléculas que sobram são convertidas em amido e ficam armazenadas, sobretudo, no caule e na raiz.

E perceba que a fotossíntese não é benéfica apenas para as plantas, mas para todos os seres vivos que compartilham o ambiente com elas. Afinal, nessa reação química, elas retiram o gás carbônico do ar (que é considerado um poluente) e liberam gás oxigênio, o mais importante para a nossa respiração.

A atividade fotossintética pode ser influenciada por fatores externos:

• Intensidade luminosa: quanto maior for a intensidade de energia solar sendo emitida, mais rápido ocorre o processo. No entanto, há um limite. A partir de certo ponto, por mais que a emissão de fótons se torne maior, a fotossíntese não fica mais veloz porque já atingiu seu máximo.

• Quantidade de gás carbônico presente na atmosfera: nesse caso, é o contrário. Há uma quantidade ideal de CO2 para que a reação ocorra, se passar muito disso, ela se torna limitada.

• Temperatura: a temperatura considerada ideal para que uma planta possa produzir o seu alimento é em torno dos 35°C. Os extremos nunca são bem aceitos, portanto, temperaturas altas demais ou baixas demais não colaboram com a manutenção da vida dos organismos vegetais.

É claro que a interação entre esses três fatores também precisa ser sempre considerada. Nesse caso, estamos avaliando apenas a possibilidade de um deles variar enquanto os outros dois permanecem constantes. Cada situação é única e deve ser analisada individualmente.