Partes da Raiz


O que é a raiz?

A raiz nada mais é do que um órgão de uma planta, o qual localiza-se abaixo da superfície do solo. Como você pode imaginar este órgão tem importantes funções, por isso é considerado essencial para a vida do vegetal.

Entre as competências desta estrutura estão: auxiliar na fixação da vegetal, o que por sua vez contribui com a absorção de nutrientes e água. Além disso, a raiz também é responsável pelo armazenamento e o transporte de algumas substâncias, como os sais minerais, por exemplo.

Mas, para que a raiz realize tudo isso ela precisa da ajuda de alguns componentes bem específicos em sua formação. Abaixo veremos todas as partes básicas da raiz detalhadamente:

Raiz

Partes básicas da raiz

Zona de maturação celular: Localizada em uma área logo abaixo da porção de alongamento, como o próprio nome sugere, é na zona de maturação que as células da raiz amadurecem, além disso, é neste local que elas irão participar da formação de diversos tecidos da raiz. Neste mesmo local pode-se notar a presença dos “pelos absorventes”, os quais auxiliam na função de absorção de água e nutrientes.

Estes tais “pelos absorventes” têm a capacidade de aumentar o contato da planta com o solo, o que auxilia nos processos de absorção, como já mencionado. Também podem ser denominados “pilíferas”, são unicelulares e se renovam de tempos em tempos.

Zona de multiplicação celular: localizada na extremidade da raiz é onde se encontra a região denominada “meristema apical”. Neste local estão células que tem grande capacidade de separação, ou, divisão. A zona de multiplicação é revestida pela “coifa”, mas você sabe o que é a coifa? Não? Calma, falaremos dela a seguir.

Coifa: Pode ser classificada como uma camada de células parenquimáticas – ou seja, células vivas com grande capacidade de divisão. Apresentam formato cilíndrico e são ocas por dentro, fatores que auxiliam a raiz a conseguir penetrar o solo por meio de substâncias denominadas “mucilaginosas” (substâncias que tem origem vegetal e a capacidade de aumentar o volume de determinadas espécies de vegetais). Outra importante função das coifas é proteger, a chamada, região “meristemática” de problemas que possam ser ocasionados pelo constante atrito com o solo.

Zona de alongamento celular: como o próprio nome sugere é onde acontece o alongamento das células, o que permite o aumento do comprimento da raiz. A zona de alongamento celular não tem a proteção da coifa, assim como a zona de multiplicação. Neste local é possível verificar a protoderme, o meristema fundamental e o procâmbio, locais que unidos, dão origem ao cilindro vascular, também ao córtex e a epiderme, outras partes essenciais a planta.

Ramos secundários ou laterais: podemos classificar ainda como parte básica da raiz os ramos secundários, região onde ocorre o brotamento de novas raízes, as quais tem origem na raiz principal do vegetal. Esta região é conhecida ainda como zona de ramificação.

As três zonas mais importantes da raiz

Pode-se dizer que a raiz consegue ser dividida em três zonas, ou, locais de crescimento. Sendo elas: a coifa, posteriormente a zona de alongamento, a qual se prolonga até a zona, ou, região pilífera.

Como já mencionado, a coifa é responsável pela proteção do chamado “ápice meristemático radicular”. Acima deste local encontramos a zona de alongamento, e, na região onde termina o crescimento da raiz concentra-se a zona pilífera.

Tipos de raízes

Em todo e qualquer tipo de raiz as partes acima citadas desempenham um importante papel tanto para formação, quanto para o crescimento da planta. Agora que já vislumbramos as partes básicas de uma raiz cabe a este artigo demonstrar ainda os diferentes tipos de raízes existentes. Então vamos lá.

Desde o início deste artigo temos elencado as funções de uma raiz: fixação do vegetal, absorção de nutrientes e água, além de transporte e armazenamento de alguns minerais. Contudo, é válido lembrar que algumas raízes também têm a capacidade de desempenhar outras funções que não estas.

Raiz tuberosa: esta classe de raiz armazena o que podemos chamar de “reservas alimentares”, tais raízes devem ser colhidas antes que a planta consuma as reservas que foram armazenadas pela raiz, afinal, tais reservas servem para alimentação de animais e também humanos. Exemplos: Nabo, mandioca e batata-doce.

Raiz respiratória: como o nome sugere sua adaptação é em razão de trocas de gases entre o vegetal e o ambiente. Por tal motivo, esta classe de raiz é geralmente encontrada em plantas de solos pobres em oxigênio, como por exemplo, vegetais de manguezais.

Raiz suporte: tem a função de aumentar a fixação de determinados tipos de planta ao solo, além disso, são capazes de dar mais estabilidade e também melhorar a respiração do sistema denominado “radicular”.

Pneumatóforos: Por diversos especialistas também é considerada uma raiz respiratória, em geral cresce no sentido vertical, a fim de proporcionar troca de gases com a atmosfera.