Plásticos biodegradáveis


Os plásticos são nocivos ao meio ambiente, devido à maneira que são produzidos e dispensados depois do uso. Por isso, há muitos anos cientistas procuram uma forma de criar alternativas que reduzam os impactos ambientais dos resíduos plásticos. Foram criados os materiais biodegradáveis, ou seja, materiais cuja degradação acontece através de microrganismos presentes no meio ambiente. Eles transformam a composição do material em substâncias comuns, das que são encontradas na natureza.

O material biodegradável passou a ser utilizado pela indústria em vários aspectos. Ele pode substituir o plástico tradicional em praticamente todos os usos. Além da vantagem de não ser feito a partir do petróleo, ele se degrada rapidamente devido sua composição bioplástica, que demora, em média, apenas 18 semanas para se decompor totalmente. Um produto fabricado com um material tradicional demora 500 anos para sumir completamente do planeta.

biodegradáveis

Esse novo material ganha cada vez mais espaço no mercado devido aos altos preços do petróleo (mesmo que ainda custe mais que o material tradicional), além da crescente consciência ecológica. Hoje em dia é estudado para ser utilizado de diversas maneiras pela indústria.

Empresas que trabalham com plásticos biodegradáveis também estudam formas eficientes de identificar os responsáveis numa eventual não biodegradação do material dentro do tempo prometido. Isso será feito através de sistemas de certificação e rastreabilidade que serão inclusos no material.

Plásticos biodegradáveis na indústria

Desde a década de 30 são feitos experimentos com plásticos criados a partir do milho. Apesar da origem longínqua, foi apenas nos últimos anos que os cientistas começaram a obter um produto com elevada resistência e de fácil manipulação, para ser usado em amplos setores da indústria.

O milho é utilizado por conter amido que, ao ser adicionado nos plásticos, minimiza o impacto no meio ambiente. O amido é rapidamente degradado e o que resta do plástico serão apenas pedaços minúsculos. Outras substâncias usadas para reduzir os danos à natureza são as fotossensíveis. Elas ajudam o material a se degradar mais rapidamente quando está sob a luz do sol.

Plásticos biodegradáveis são feitos a partir de uma substância chamada polietileno, que é extraída do álcool etílico. Através de um processo de desidratação intramolecular, o etanol dá origem ao eteno, cujo processo de polimerização, por sua vez, forma o polietileno. O material obtido daí é muito utilizado no Brasil, sendo conhecido como “plástico verde”, devido sua origem de fonte renovável.

Biodegradabilidade e compostagem

As cadeias de polímeros se fragmentam quando estão sob efeito da luz ultravioleta (UV), do oxigênio ou de um alto grau de calor. É dessa forma que a maioria dos plásticos irá se degradar. Os plásticos biodegradáveis podem ser criados de a partir substâncias vegetais e animais, como:

* Celulose
* Amido
* Chitina

Esses materiais existem em grande abundância na natureza, o que permite uma substituição em larga escala do petróleo. Plásticos feitos desse combustível permanecem muito tempo sem nenhuma alteração, ao contrário dos biodegradáveis, que ao entrarem em contato com o ar, o solo, a umidade e a luz solar já começam a se decompor.

Quando microrganismos do meio ambiente utilizam como alimento os materiais que compõem o plástico, acontece um processo de conversão do carbono em energia necessária para a manutenção da vida. Todo esse processo é chamado de biodegradabilidade e ele acontece em duas etapas:

* Cadeias poliméricas extensas se quebram na ligação carbono-carbono. Existem diversos fatores que podem desencadear esse processo, como o calor, a umidade, as enzimas microbiológicas ou até mesmo condições do meio ambiente.

* Os microrganismos são alimentados por curtas cadeias de carbono. Isso acontece quando elas passam através da membrana celular e são convertidas em água, biomassa, dióxido de carbono ou metano, em alguns casos.

Existem normas internacionais que estipulam um prazo de degradação para um plástico ser considerado biodegradável, que é de 180 dias. É necessário que o plástico esteja em um ambiente que ofereça condições para ele se decompor, o que não existe em aterros ou na própria natureza. Por isso que especialistas recomendam a compostagem.

Produtos biodegradáveis jogados em aterros sanitários demoram muito mais para se decomporem. A falta de oxigênio e umidade faz com que o processo de fragmentação se estenda por um longo período. A biodegradabilidade perde uma de suas características principais, que é a rapidez na decomposição.

Se a matéria orgânica é degradada sob condições aeróbias e o resultado é um material estável, ele passa a ser chamado de composto. Todo o processo é uma maneira de reciclar de forma natural, que utiliza a ação dos microrganismos para transformar o material orgânico em húmus. Dá-se, então, o nome de compostagem, processo que beneficia as culturas vegetais, através do uso de fertilizantes feitos de compostos. Algumas vantagens da compostagem:

* Ajuda na regeneração de solos danificados.
* Ajuda a limpar solos contaminados.
* Previne a poluição.
* Reduze o uso de fertilizantes e pesticidas.
* Diminui a produção de metano e chorume.