Resumo do Darwinismo


O Darwinismo é um conjunto de conceitos, estudos e teorias relacionados às ideias de transmutação de espécies, seleção natural ou da evolução do naturalista Charles Darwin. A característica mais marcante dessa doutrina, que a difere de todas as outras é que a evolução é uma forma de mudança feita pela população e não por um único indivíduo.

Em outras palavras, pode-se definir o Darwinismo como os estudos desenvolvidos por Darwin e suas implicações sobre o meio ambiente, tendo como ponto de vista o processo evolutivo dos seres vivos e da própria organização da vida no planeta.

Nesses estudos, foram reveladas algumas ideias de que, por exemplo, haveria indivíduos que por serem diferentes se reproduziriam com maior sucesso, pois passaria adiante as suas características. Logo, os indivíduos que não apresentassem essas características teriam mais dificuldade para competir, reproduzir e sobreviver e seriam praticamente extintos.

Darwinismo

Para facilitar, será feito um resumo do Darwinismo.

O Darwinismo e seu mecanismo de mudanças

Em qualquer população (humanos, animais, plantas) podem ser encontrados indivíduos diferentes. Essas variações, segundo a teoria, se dão devido às mutações ao acaso ou por meio da reprodução que, nesse caso, têm suas informações transmitidas aos descendentes.

O Darwinismo é um mecanismo que provoca contínuas mudanças em populações de seres vivos. Por isso, será apresentado um resumo do Darwinismo quanto aos seus referenciais, que são classificados de cinco maneiras.

• Variação: apesar de possuir o mesmo grau de parentesco, os indivíduos não são considerados totalmente semelhantes, isso contribui para o processo evolutivo;
• Herança: para Darwin, a forma como a passagem das características se dá nunca foi compreendida e nem teve resposta conclusiva, tanto que a ela veio somente com a Genética;
• Seleção: um dos principais fatores para a evolução da espécie é a competição pelos recursos ambientais, ou seja, a seleção natural;
• Tempo: pelo fato de o ambiente estar sempre em constante mudança, a seleção natural não é processada em pequenos espaços de tempo;
• Adaptação: a característica principal é a sobrevivência. Segundo Darwin, os indivíduos se adaptam de formas diferentes em um mesmo ambiente, logo, prevalecerá aquele que, pela seleção natural, for considerado mais apto para tal.

O Darwinismo Social e o Neodarwinismo

O século XIX foi marcado pelo desenvolvimento do conhecimento científico. A busca por novas ideias relacionadas ao campo das tecnologias, juntamente com o crescimento da Revolução Industrial alavancaram o surgimento de estudiosos das mais variadas áreas do conhecimento. Naquela época, eles eram reconhecidos como agentes de transformação social pelas academias e associações voltadas o avanço da ciência.

A título de conhecimento, vai ser exposto um resumo do Darwinismo quanto ao seu desenvolvimento referente ao Darwinismo Social. Com o seu surgimento datado no final do século XIX e no começo do XX, o Darwinismo Social foi constituído como um pensamento sociológico. O principal objetivo dessa teoria era tentar explicar a evolução da sociedade humana tendo como referência a doutrina da evolução proposta por Charles Darwin.

Como tudo que é novo é visto com maus olhos, com o Darwinismo Social não foi diferente. Para os seus criadores, essa teoria era baseada na existência de sociedades humanas superiores a outras. Portanto, elas deveriam “domar” as inferiores para ensiná-las a se desenvolverem.

Na prática, esse pensamento se fundamentava na ideia de que os membros da cultura europeia ocupavam o topo da civilização e da evolução humana. Por outro lado, tinham os povos africanos e asiáticos que, de acordo com os estudiosos, não compartilhavam das mesmas capacidades e, por esse motivo, estariam em uma situação inferior ou mais próxima do que se pode considerar uma sociedade não civilizada.

O início do século XX, entre as décadas de 1930 e 1940, também foi marcado pelos avanços sobre o conhecimento, só que sobre a Genética. Essas informações ganham força com o redescobrimento das leis de Mendel e estas, são unidas às ideias evolucionistas de Darwin. Isso permitiu aos cientistas especular e entender os mistérios das variações que Darwin nunca soube explicar, numa síntese mais abrangente e, por esse motivo, mais aceita para explicar as leis que regem o processo evolutivo de seres vivos. Essa teoria ficou conhecida como Neodarwinismo.

Para finalizar o resumo do Darwinismo, será explicada a teoria do Neodarwinismo. Basicamente, essa teoria faz referência à evolução. Nela, as explicações genéticas são congregadas ao julgamento de seleção natural como uma forma de justificar a diversidade das características individuais de uma população. Anos após o surgimento da Genética, os conhecimentos desse campo da ciência tiveram a devida importância e foram integrados às ideias evolucionistas. Tal teoria leva em consideração três principais fatores evolutivos.

• Mutação gênica: consiste em alterações no material genético, que podem ser por causas naturais ou induzidas por agentes externos (radiações ionizantes ou substâncias químicas);
• Recombinação gênica: ocorre durante a reprodução sexuada e pode ser definida como uma mistura de genes, proveniente da fecundação. Mesmo a mutação sendo a única forma de surgimento para novos genes, é através da recombinação que eles se organizam em outras combinações em que atua a seleção natural;
• Seleção natural: fator evolutivo que age sobre as variações da população e que permite a sobrevivência dos seres mais adaptáveis para produzir um número maior de descendentes favoráveis às próximas gerações.