Resumo do Sistema Endócrino


Podemos dizer sem medo de errar que o corpo humano é uma máquina perfeita, em que tudo precisa trabalhar em conjunto para garantir uma vida saudável. As menores unidades que compõem o organismo são as células (elas, internamente, formadas por organelas) que em conjunto formam os tecidos, que dão origem aos sistemas e, por fim, estruturam o corpo.

Cada sistema tem a sua própria função. Agora, você vai ter a oportunidade de ver um resumo do sistema endócrino e saberá para que ele serve, do que é composto e como trabalha. Lembre-se: conhecer o funcionamento do seu corpo é um dos passos para ter mais qualidade de vida.

Sistema Endócrino

Resumo do sistema endócrino – como funciona

Esse sistema é responsável pela produção de hormônios que regulam as mais diversas atividades fisiológicas do organismo. Ele trabalha em conjunto com o sistema nervoso, em uma perfeita sincronia que funciona da seguinte forma: os receptores do sistema nervoso captam estímulos externos e, a partir deles, induzem o sistema endócrino a reagir.

O sistema endócrino é formado por glândulas, sendo que são elas que produzem os hormônios. Vamos ver quais são elas:

• Hipófise

É uma glândula de extrema importância que se localiza na cabeça, logo abaixo do cérebro. Ela produz hormônios fundamentais como o do crescimento (GH) e o antidiurético (ADH), cujo objetivo principal é fazer com que o corpo economize água para a formação da urina. Além disso, a hipófise estimula o funcionamento de outras glândulas, por isso é conhecida como a “mestra”.

• Tireoide

Ela fica localizada no pescoço e o hormônio que secreta é chamado de tiroxina, que regula a velocidade do metabolismo. Por isso, pode-se dizer que a sua atividade atinge o organismo como um todo.

• Paratireoides

São um total de quatro glândulas que ficam ao redor da tireoide, portanto, também no pescoço. Elas trabalham produzindo o paratormônio, que serve para regular as quantidades de cálcio e de fósforo que entram na corrente sanguínea.

• Suprarrenais

Também chamadas de ad-renais, são glândulas que ficam acima dos rins e produzem o hormônio adrenalina, responsável por deixar o organismo preparado para reagir em situações de emergência. A adrenalina promove um aumento da glicose no sangue (para que as células possam produzir mais energia) e a taquicardia (o coração fica acelerado e manda mais sangue para os membros superiores e inferiores).

• Timo

Fica entre os pulmões e diminui de tamanho quando o indivíduo atinge a idade adulta, justamente porque sua função é mais relevante na infância. Basicamente, o hormônio produzido pelo timo combate infecções, principalmente nos recém-nascidos.

Pâncreas

Produz dois hormônios muito importantes, o primeiro deles é a insulina, que serve para controlar a entrada de glicose da corrente sanguínea para as células, bem como seu armazenamento no fígado, sob a forma de glicogênio. O outro hormônio é o glucagon, que estimula a ruptura de glicogênio em glicose para ser enviada para o sangue. Atua quando a pessoa fica muito tempo sem comer, por exemplo, entrando num quadro de hipoglicemia.

O pâncreas também produz o suco pancreático, muito importante no processo de digestão.

• Glândulas sexuais

Testículos nos homens e ovários nas mulheres. Produzem hormônios relacionados aos caracteres masculinos e femininos, respectivamente, e são estimuladas pela hipófise.

Resumo do sistema endócrino – doenças relacionadas

O mal funcionamento dessas glândulas citadas acima pode provocar uma série de doenças, vamos ver quais são elas:

• Nanismo e gigantismo: quando a hipófise é deficiente na produção do hormônio GH, secretando menos do que deveria, o indivíduo pode acabar sendo vítima de nanismo. O contrário também é verdadeiro. Em algumas pessoas, essa glândula trabalha mais do que o normal e produz hormônios em excesso, assim, a pessoa acaba ficando com uma altura muito superior à média.

• Hipertireoidismo e hipotireoidismo: quando a tireoide trabalha demais, provoca um quadro de hipertireoidismo, em que o metabolismo funciona muito mais rápido e pode levar a problemas de saúde, como doenças cardíacas. Por outro lado, quando a glândula trabalha de menos, o problema é o hipotireoidismo onde o metabolismo fica muito mais lento, a pessoa tende a ganhar peso com mais facilidade e todas as suas respostas a estímulos são mais lentas.

• Tetania: quando o trabalho das paratireoides é comprometido e a produção de paratormônio cai, a concentração de cálcio e fósforo no sangue diminui fazendo com que os músculos se contraiam. Isso é a tetania. Mas o contrário pode acontecer, o excesso de paratormônio faz com que muito cálcio seja enviado para a corrente sanguínea e pode fazer falta nos ossos, deixando-os mais fracos e quebradiços.

Esses são apenas alguns exemplos dos problemas causados quando o sistema endócrino não funciona bem como deveria. Perceba que são doenças que não atingem apenas um órgão localizado, mas comprometem o corpo todo, afinal, esse é um sistema que tem essa atuação mais generalizada.

Por isso, vale à pena se conhecer e procurar um endocrinologista quando suspeitar de algo!