Resumo do sistema urinário: A formação da urina e a sua eliminação


A excreção humana, como nos demais mamíferos, é executada por um sistema excretório, constituído por um par de rins, um par de ureteres, uma bexiga urinária e uma uretra.

O sangue chega aos rins através das artérias renais, que são ramificações da artéria aorta. Cada artéria renal se ramifica no interior de um ruim, originando milhares de arteríolas, denominadas aferentes. Cada uma dessas arteríolas aferentes se ramifica no interior de uma cápsula renal, formando um emaranhado de capilares, chamado de Glomérulo renal. Os capilares se juntam novamente, formando uma arteríola eferente, que se ramifica, originando uma rede de capilares que envolvem o néfron e levam o sangue para a veia renal, que desemboca na veia cava.

A formação da urina e a sua eliminação

Os capilares do glomérulo de Malpighi, submetidos à pressão arterial, permitem a passagem, através de suas paredes permeáveis, de diversas substâncias presentes no plasma sanguíneo, tais como: água, sais minerais, aminoácidos, glicose, ureia e outras moléculas de pequeno tamanho. Essas substâncias atravessam a também permeável parede da cápsula renal, formando no seu interior o filtrado glomerular.

O filtrado glomerular percorre de maneira sequencial o túbulo contorcido proximal, alça e túbulo contorcido distal. Durante esse percurso, a parede do néfron reabsorve moléculas de glicose, de aminoácidos, vitaminas, sais minerais e água. Essas substâncias passam para o sangue dos capilares sanguíneos, que envolvem o néfron, voltando então para o sangue e para a circulação, através das veias cavas.

A ureia, que não é reabsorvida, é conduzida para os tubos coletores, dissolvida em água, passando a ser então, o principal componente da urina. A reabsorção de substâncias realizadas no néfron, ocorre por transporte ativo e a reabsorção de água ocorre por osmose. Isso ocorre porque o sangue que circula ao redor do néfron é menos concentrado do que o sangue filtrado glomerular.

Diariamente passam pelos rins de uma pessoa, cerca de 2 mil litros de sangue, formando 160 litros de filtrado glomerular, dos quais forma-se apenas 1,5 litro de urina. Isso significa que mais de 98% da água do filtrado foi reabsorvida, demonstrando a importância dos rins na regulação osmótica do sangue.

Como a urina tem uma composição básica, a presença de outras substâncias pode indicar problemas de saúde. A presença de glicose na urina, por exemplo, é um sintoma de diabete. Por isso, o exame de urina é utilizado pelos médicos na análise de um paciente.

Fisiologia animal – as excreções

Esse processo de excreção é extremamente fundamental para a manutenção da vida, porque possibilita a eliminação de resíduos tóxicos, gerados pelas reações metabólicas e ao mesmo tempo, permite a manutenção do equilíbrio químico do organismo. Os principais resíduos a seres eliminados são os excretas nitrogenados. Podemos dizer então que a excreção tem por finalidade a remoção e a eliminação dos resíduos tóxicos resultantes do metabolismo celular, denominados excretas, e a regulação osmótica, garantindo dessa maneira a homeostase química do corpo.

Existem diversos tipos de excretas, mas os principais são aqueles resultantes do metabolismo de proteínas, denominados excretas nitrogenadas, que podem ser de três tipos, a saber: a amônia, a ureia e o ácido úrico. É importante estabelecer uma relação entre o tipo de excreta e o ambiente onde o animal vive, para diferenciar os diferentes mecanismos de regulação osmótica adotados pelos animais.

O rim é um órgão par, situado na cavidade abdominal, logo abaixo do diafragma, um de cada lado da coluna vertebral, protegido pelas últimas costelas. Tem forma de feijão, com comprimento de aproximadamente 12 cm e espessura entre 3 e 4 cm.

Apresenta-se recoberto por uma cápsula fibrosa, fina e extremamente resistente. Essa cápsula protege o córtex, uma região mais externa, e a medula, uma região mais interna. No córtex, estão localizados os néfrons, estruturas microscópicas, que realizam a filtragem do sangue, removendo as excreções. Cada rim é constituído por mais de 1 milhão de néfrons. Na medula, estão localizados a porção final dos néfrons e os tubos coletores de urina.

O ureter é um par de canais, com aproximadamente 30 cm de comprimento, responsável por transportar a urina desde o rim até a bexiga urinária. Tem cerca de 30 cm de comprimento. Já a bexiga é um órgão muscular e elástico, que armazena a urina trazida pelos ureteres. Tem forma ovoide e capacidade de armazenamento em torno de 300-350 cm3.

A uretra é o canal que é o grande responsável pela condução para o meio exterior da urina da bexiga. No homem, a uretra possui aproximadamente 18 cm de comprimento e além de ser o responsável pela condução da urina, recebe também os canais ejaculadores. Isso significa que a uretra conduz também o líquido espermático, liberado para o meio exterior, durante uma relação sexual.

O néfron por sua vez, é um longo túbulo, microscópico, cuja parede é permeável. Apresenta em uma das extremidades, uma expansão em forma de taça, denominada de cápsula renal.