Resumo Sistema Circulatório


O sistema circulatório tem como função básica transportar pelo corpo algumas substâncias, realizando dessa maneira a conexão de vários sistemas que juntos promovem a formação do organismo. Este sistema é composto por três componentes fundamentais, a saber: vasos sanguíneos, sangue e o coração.

Os sistemas circulatórios podem ser classificados em dois tipos: abertos ou fechados. No sistema circulatório aberto, que também é chamado lacunar, o líquido circulante chamado de sangue, impulsionado pelo coração chega aos tecidos. Nos tecidos os vasos abrem-se e o sangue cai em espaços, denominados lacunas ou hemocelas. Nessas lacunas, o sangue entra em contato direto com as células, onde ocorrem as trocas de substâncias. Vale ressaltar que o sistema circulatório aberto só atende as necessidades de animais de pequeno porte.

Sistema Circulatório

Já no sistema circulatório fechado, o líquido circulante percorre todo o seu trajeto pelo corpo, sem nunca sair do interior dos vasos sanguíneos. Ele mantém uma pressão capaz de permitir a circulação em animais de grande porte.

Os peixes por exemplo, assim como todos os cordados, apresentam circulação fechada. Isso porque eles são dotados de um coração com duas cavidades, sendo um átrio e um ventrículo. O coração recebe apenas sangue venoso sendo por isso a circulação classificada como simples. Além disso, não ocorre a mistura de sangue arterial com sangue venoso, sendo por isso, a circulação classificada como completa.

Nas aves e nos mamíferos, a circulação é fechada, dupla e completa. Isso porque o coração destes animais apresenta quatro cavidades completamente separadas, sendo dois ventrículos e dois átrios.

Nos répteis e nos anfíbios a circulação é fechada. Esses animais são dotados de um coração com três cavidades, sendo um ventrículo e dois átrios. Esse coração recebe tanto o sangue oxigenado quando o sangue carbonado, sendo por isso, a circulação classificada como dupla. A aurícula direita recebe o sangue carbonado proveniente do corpo e a aurícula esquerda recebe o sangue oxigenado que vem dos pulmões. Esse tipo de coração permite a ocorrência de mistura de sangue oxigenado com sangue carbonado, caracterizando a circulação incompleta.

A circulação humana segue o padrão básico da circulação de mamíferos, portanto vamos destacar o coração humano, um órgão ímpar, oco e que está localizado entre dois pulmões, dentro da caixa torácica, entre os dois pulmões. Tem o volume semelhante ao de uma mão fechada e o peso pode variar de 300 a 500 g, em uma pessoa adulta. É formado por um tecido muscular, que possui uma contração involuntária, que forma a parede cardíaca muscular, também chamada de miocárdio.

Além disso, ele está envolvido pelo pericárdio, uma membrana fibrosa que tem por função a fixação de estruturas que sejam vizinhas. Entendemos por endocárdio o revestimento interno desse órgão.

O músculo cardíaco, que é constituído por artérias coronárias, é nutrido pela circulação de veias coronárias e artérias da veia aorta, desembocam na veia cava.

Internamente, o coração está dividido em quatro cavidades, sendo dois ventrículos e dois átrios.

Átrio direito: nele estão presentes todas as veias cavas do corpo humano.

Ventrículo direito: ele é quem leva e bombeia o sangue presente no átrio direito para a artéria pulmonar, levando-o em seguida até os pulmões.

Átrio esquerdo: Juntamente com o sangue oxigenado pelos pulmões, têm-se as veias pulmonares.

Ventrículo esquerdo: responsável pela recepção do átrio do lado esquerdo do sangue e por bombeá-lo para a artéria aorta.

É certo dizer que as válvulas que compõem o coração ajudam a impedir o retorno do sangue. O coração é dotado de válvulas que impedem o refluxo de sangue. Para que ele possa realizar o seu trabalho de bombeamento do sangue, ele executa alternadamente, movimentos de relaxamento e de contração de sua parede muscular, conhecidos respectivamente pelos nomes: diástole e sístole.

As válvulas bicúspide e tricúspide acabam se fechando, o que impedi que o sangue presente nos ventrículos vá para os átrios. Em seguida é permitida a entrada de sangue nas artérias quando as válvulas semilunares se abrem.

O nódulo sino atrial é o responsável pelo controle da frequência e do ritmo dos batimentos cardíacos. Esse nódulo pode ser achado sobre o átrio direito e tem funcionamento bem semelhante com de um marcapasso. Os sinais que ele emite acabam provocando a contração do mesmo com a propagação de células dos músculos que estão presentes nos átrios.

Esses sinais estimulam também o nódulo atrioventricular, localizado entre o átrio e o ventrículo direito, que estimula os ventrículos, determinando a sua contração.

O sangue depois de ser bombeado através dos ventrículos acaba exercendo dada pressão sobre a parede de artérias. Essa pressão é denominada pressão arterial, fator que acaba variando de pessoa para pessoa, em função de vários fatores, como estado de saúde e idade.

Já a circulação linfática, é formada por uma extensa rede de vasos linfáticos, que se espalham por todo o corpo. Seus capilares penetram entre as células, onde recolhem o excesso de líquido intercelular, também chamado de linfa, extravasado dos capilares sanguíneos, devolvendo-a à circulação sanguínea.