Resumo sobre a Dengue


O ano de 2015 está terminando sua primeira metade e já foram registrados quase novecentos mil casos de dengue, contra cerca de quinhentos e noventa mil em todo o ano de 2014.

Segundo o Ministério da Saúde, dos 5.570 municípios que o Brasil possui, quase 4.300 registraram pelo menos um caso de dengue em 2015, totalizando 77% dos municípios brasileiros vitimados pela epidemia.

A maior incidência de casos é no estado de São Paulo que sozinho concentra mais de 52% dos casos ocorridos em todo o país.

Por mais que diversas medidas sejam tomadas e que o Ministério da Saúde tome medidas de prevenção e controle da dengue, e apesar das inúmeras campanhas de prevenção, a doença permanece atingindo a população brasileira de forma crescente, especialmente nos meses fora do inverno, quando a proliferação do mosquito cai, em virtude das condições climáticas desfavoráveis.

Dengue

Mas, o que precisamos saber sobre a dengue?

• Como se dá a transmissão?
• Todo mosquito transmite dengue?
• Posso adoecer em contato com alguém doente?
• Quais os sintomas?
• Como se prevenir?

Faremos um resumo sobre a dengue de forma detalhada e sucinta para responder a essas perguntas.

Como acontece a transmissão da dengue

A dengue é transmitida pela picada dos mosquitos que são seus vetores, ou seja: eles não causam a dengue, mas ao picarem uma pessoa infectada, o vírus permanece em sua saliva, e é transmitido para as pessoas saudáveis, quando picadas pelo mesmo mosquito.

Duas espécies transmitem a dengue: O Aëdes aegypti – que também transmite a febre amarela – e o Aëdes albopictus,menos conhecido pelas pessoas, mas muito semelhante em aparência ao Aëdes aegypti, também com listras brancas nas pernas. A maioria dos resumos sobre a dengue citam apenas o Aëdes aegypti, por isso é o mais conhecido e citado.

Ambos se proliferam na proximidade das residências, em quintais ou terrenos baldios, onde houver recipientes que acumulem água parada, como pneus, garrafas, vasos e cisternas, pois nela se reproduzem.

A transmissão, na verdade, ocorre somente através do mosquito fêmea, que pica para sugar o sangue que amadurecerá seus ovos. Inicialmente, o Aëdes aegypti não irá infectar àquele que picar, pois o sangue sugado inicialmente permanecerá em seu estômago.

O período de incubação do vírus no vetor é de 3 a 15 dias, embora normalmente o ciclo tenha em média 5 a 6 dias. Após esse período, o mosquito se torna o que se chama de infectivo, ou capaz de transmitir a dengue, ao picar uma pessoa saudável, pois o vírus já se multiplicou, se espalhou pelo seu corpo e chegou às suas glândulas salivares.

Ao picar, o mosquito injeta a saliva contaminada. Ele o faz porque ela contém substâncias anticoagulantes e analgésicas, que evitam que a pessoa o note de imediato e assim ele pode sugar mais sangue.

O Aëdes aegypti põe seus ovos em água parada, esteja limpa ou suja, e o ciclo do mosquito, de ovo à fase adulta dura em média de sete a dez dias. Por isso, uma forma eficaz de evitar a proliferação é manter os locais sem acúmulo de água e, de forma preventiva, verificar uma vez a cada cinco dias e entornar todos os recipientes. Assim, evita-se que os possíveis ovos cheguem à fase adulta. Qualquer resumo sobre a dengue pautará prioritariamente a prevenção na forma mais eficaz de combate.

Como se prevenir da dengue

Só há um modo de se prevenir da dengue: eliminando seu transmissor. Como a doença não é transmitida diretamente pelo contato com a pessoa infectada, a maneira mais eficaz de evitar casos da doença é combater os focos de água acumulada, evitando a reprodução do mosquito.

Além de manter vazios ou fechados recipientes como jarros e vasos de plantas, garrafas vazias, pneus velhos, tambores e vasos para água, cisternas, caixas d´água e lixeiras, nesse resumo sobre a dengue, incluiremos alguns cuidados essenciais para prevenir o aumento de casos de dengue na sua região:

• Manter limpas as calhas de escoamento de água da chuva, retirando folhas e sujeiras que barrem a saída da água;
• Retirar a água de chuva acumulada sobre lajes;
• Manter a caixa d´água fechada com a tampa apropriada, que não deixe aberturas por onde o mosquito possa entrar e depositar seus ovos (vale acrescer uma tela de nylon que não permita a passagem do mosquito entre a tampa e a caixa, diminuindo a possibilidade de passagens);
• Se for preciso acumular águas em tanques, tonéis ou barris, mantê-los fechados da forma mais vedada possível, além de lavá-los semanalmente com escova e sabão, o que inclusive evita outros tipos de contaminação e doenças;
• Encher os pratos dos vasos de plantas com areia até a borda;
• Trocar a água dos jarros de plantas, lavando-os com água e sabão no mínimo uma vez por semana;
• Guardar potes e garrafas sempre com a boca virada para baixo;
• Preferencialmente, não mantenha pneus velhos guardados; entregue-os aos caminhões de coleta de lixo ou faça doações para pessoas que reciclam o material. Mas, se for necessários mantê-los, guarde-os em local seco, abrigados de chuva e de qualquer acúmulo de água;
• Não jogue lixo na rua ou em terrenos baldios, pois impedem o escoamento correto da água da chuva;
• Denuncie focos de locais propícios à reprodução do mosquito.

Somente com a educação da população e ações individuais, todos podem ficar livres da dengue.