Resumo sobre a Pele


Em anatomia, a pele é o órgão constituinte do sistema tegumentar, que tem como funções principais a defesa dos tecidos ocultos, controle da temperatura somática, retenção de nutrientes e ainda possui terminações nervosas sensitivas.

A pele é o envoltório externo do corpo. Constitui-se da pele propriamente dita e do tecido subcutâneo.

Histologia

A pele possui duas camadas: a epiderme e a derme. O tecido cutâneo, ou hipoderme, é uma camada de tecido conjuntivo fraco, que fica depois da derme. Existem ainda diversos órgãos complementares, como glândulas sudoríparas e sebáceas, folículos pilosos; ou escamas, penas e cascos.

Pele

A pele é quase igual em todos os conjuntos étnicos humanos. Nas pessoas de pele escura, os melanócitos fabricam mais melanina que naquelas de pele clara, mas a sua quantidade é parecida.

A pele é encarregada pela termorregulação, pela percepção, pela defesa e pela proteção. Ela protege de doenças, contudo não é 100% eficiente, podendo deixar larvas de ancilóstomo e de esquistossomos entrar no organismo.

Epiderme

A epiderme é uma camada com concavidade desigual de acordo com a área do corpo. Regiões suscetíveis a maior atrito como palmas dos pés e das mãos têm uma camada mais espessa, e mudam de 0,04 mm até 1,6 mm de grossura.

A epiderme é formada por células escamosas em diversas camadas. A célula principal é o ceratinócito ou queratinócito, que fornece a queratina. A queratina é uma proteína impermeável e resistente encarregada pela defesa. Há também abrigos de melanócitos e células imunitárias, especialmente células de Langerhans, enormes e com seguimentos membranosos.

A epiderme não apresente vasos sanguíneos, visto que se nela existisse vasos ficaria mais passível a ser invadida por micro-organismos. O oxigênio e nutrientes alcançam a epiderme pelo método de difusão a começar dos vasos sanguíneos da derme.

A epiderme possui diversas camadas. O principio da multiplicação celular se dá na camada basal. Todas as demais são formadas de células cada vez mais específicas que, com o desenvolvimento basal, vão se tornando mais periféricas, terminando por esfolar e cair.

As camadas da epiderme são:

– Camada basal: é a mais funda, em contato com a derme, formada por células cúbicas pouco diversificadas que se multiplicam constantemente, originando todas as demais camadas. Comporta pouquíssima queratina. Certas células se diferenciam e se transferem para as camadas mais externas, ao mesmo tempo em que as demais continuam na camada basal e permanecem se multiplicando.

– Camada espinhosa: células achatadas e cúbicas com mais queratina que as células basais. Começam a dar origem a ligamentos celular umas com as outras, como tight junctions e desmossomas.

– Camada granulosa: células amassadas, com grãos de queratina importantes e outras como proteínas e outras substancias.

– Camada lúcida: células amassadas eosinófilas por causa da grande quantidade de grânulos proteicos. Essas células liberam enzimas que as trituram. A grande parte já está sem núcleo, morta. Existem na pele sem folículos pelosos.

– Camada córna: formado por células amassadas eosinófilas que não contem núcleo, com um grande numero de filamentos, especialmente queratinas.

O encontro entre a epiderme e a derme tem formato de papilas, que oferecem maior área de contato com a derme e maior tolerância ao atrito da pele.

Há um órgão incluído na epiderme, o chamado folículo piloso. O folículo piloso gera uma armação queratinizada e maciça, o pêlo, que é gerado por células especificas na sua raiz, formando o bulbo piloso. Contém músculo liso e terminações nervosas vinculadas. Os folículos pilosos dos bigodes de certos animais como, por exemplo, o gato é extremamente privilegiado como órgão dos sentidos.

Derme

A derme é um tipo de tecido conjuntivo que da sustentação a epiderme. É formado por substâncias fibrilares, como a elastina e o colágeno e demais substancias de origem extracelular, como glicosaminoglicanos, proteínas estruturais, água de solvatação e íons. Os fibroblastos são as células comprometidas com a fabricação dos elementos da base extracelular.

A derme é separada em duas camadas: a camada papilar que está em contato com a epiderme, composta por tecido conjuntivo fraco, e a camada reticular, formada por tecido conjuntivo espesso não modelado, no qual prevalecem as fibras colagenosas. É na derme que estão os vasos sanguíneos que sustentam a epiderme, vasos linfáticos e também os órgãos sensoriais e os nervos relacionados a eles. Esses abrangem diversos modelos de sensores:

1- Corpúsculo de Vater-Pacini: sensores de adequação rápida identificam vibrações nas faixas de 30 – 800Hz.

2- Corpúsculo de Meissner: atividade de identificação de pressões de afluências distintas. Identificam vibrações entre 3 – 8 Hz.

3- Corpúsculo de Krause: vulnerável ao frio.

4- Órgão de Ruffini: vulnerável ao calor

5- Célula de Merckel: vulnerável a pressão e ao tato.

6- Folículo piloso: terminações nervosas relacionadas.

7- Terminação nervos livre: com dendritos livres vulneráveis a temperatura e a dor.

A hipoderme, já não participa da pele. É formada por tecido adiposo que socorre contra o frio. É um tecido conjuntivo adiposo ou fraco que faz ligação entre a derme e a fase muscular, onde a camada de tecido adiposo muda de pessoa e localidade.

Tem como funções: isolante térmico, reservatório energético, modela superfície corporal, fixação de órgãos e absorção de choque.

Tipos de pele

– Pele graxa: emulsão modelo A/O. Crescimento da secreção sebácea.

– Pele endérmica: apresenta superfície flexível, lisa, umedecida e lubrificante. É aquela onde acontece uma estabilidade entre o conteúdo graxo e o conteúdo hídrico.

– Pele alípica: secreção sebácea deficiente e secreção hídrica na normalidade.

– Pele hidratada: crescimento do teor hídrico.

– Pele desidratada: definida pela redução da secreção sebácea normal e hídrica normal.

– Pele mista: episódio de pele graxa na região central da face e pele alípica na região das bochechas.