Síndrome de Amok


O que é a síndrome de Amok.

A síndrome de Amok é um transtorno mental, reconhecido pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM- V).

A síndrome se apresenta como um súbito rompante de fúria por parte do indivíduo, com energia excessiva e espontânea, sem justificativa aparente, onde este tem por objetivo ferir e/ou matar quaisquer indivíduos ou animais que encontre em seu caminho.

O indivíduo sempre irá utilizar algum artefato para ferir e/ou matar suas vítimas, que pode ser uma arma branca (facas e lâminas em geral), armas de fogo, granadas ou outros tipos de explosivos.

Amok

Na síndrome de Amok, o indivíduo ataca indiscriminadamente quem estiver em seu caminho, sem que sejam necessárias motivações particulares para com o sujeito ou animal vitimado.

Em geral, o indivíduo que é acometido por esta síndrome, ao final do episódio, apresenta um quadro de grande exaustão física e mental. Este quadro de exaustão pode levar a uma amnésia total dos atos cometidos e, com maior frequência, ao suicídio.

Geralmente, antes de apresentar a síndrome de Amok, o indivíduo irá apresentar pensamentos obsessivos, focados em um único tema, que passa a ser o centro da atenção do portador da síndrome.

Histórico da Síndrome de Amok.

A síndrome de Amok foi identificada e definida em 1972, pelo psiquiatra norte-americano Joseph Westermeyer.

O termo “Amok” tem origem no idioma malaio, a partir do termo mêng-amok, cujo significado é possível traduzir como “atacar e matar com fúria cega” ou, ainda como “engajar-se cegamente e furiosamente em uma guerra ou batalha”.

Até a década de 70, acreditava-se que a existência deste comportamento (ainda não classificado como síndrome) era possível apenas nos povos malaios. Para estes povos, a explicação para tal rompante de fúria era a crença de que era possível uma pessoa ser possuída por maus espíritos.

Entretanto, foram encontrados outros relatos nas culturas das Filipinas e de Porto Rico, sendo que, nesta última, tal comportamento era denominado como “luta louca”. Em todas estas culturas, o comportamento violento iria se manifestar em um homem jovem, utilizando-se de uma faca para matar.

A síndrome de Amok possui também uma analogia com o comportamento de um elefante que se separa da manada. Ao encontrar-se sozinho, o animal irá destruir, indiscriminadamente, tudo o que encontrar, até a total exaustão ou ser impedido por uma força maior que a dele. Esta analogia é usada para compreensão de que o indivíduo que apresenta esta síndrome possui um sentimento de não pertencer a uma grupo/ sociedade (sentimento de despertença), o que colabora para que não siga as regras de convivência pré-estabelecidas.

Causas e perfis frequentes.

A psiquiatria ainda não conseguiu estabelecer quais as causas que levam um indivíduo, aparentemente pacato, a cometer crimes de extrema violência, sem motivação pessoal e posterior suicídio.

Porém, algumas características em comum foram identificadas entre os indivíduos que apresentaram a síndrome de Amok. Segue, abaixo, algumas características em comum:

– Acomete homens, a maior parte adolescentes ou jovens adultos, com idade até 25 anos.

– Apresentam traços de esquizofrenia.

– São jovens que não se destacam em nenhuma área. Em inglês, usa-se o termo “losers”(perdedores) para pessoas com este perfil.

– Sofreram ou sofrem bullying durante toda a vida escolar e, às vezes, até mesmo na vida profissional.

– São solitários.

– Gostam de jogos e filmes violentos, sendo incapazes de discernir entre fantasia e realidade. Muitas vezes, no momento da síndrome, agem como se fossem o personagem principal de algum jogo ou filme.

– Antes do surto, apresentam pensamentos obsessivos ou relatam ouvir vozes.

– Deixam mensagens premonitórias sobre o que irão fazer em espaços como fóruns na internet ou vídeos.

A síndrome de Amok está relacionada, dentro da psiquiatria, ao Quadro de Síndromes Ligadas à Cultura. É classificado como um episódio de personalidade dissociativa, onde o indivíduo experimenta um período de profundo retraimento para, em seguida, experimentar uma explosão de raiva acima do normal.

Visão jurídica e casos famosos da síndrome de Amok.

Um dos casos mais famosos da Síndrome de Amok foi provocado por dois jovens, que abriram fogo contra colegas e professores em Columbine (Colorado,EUA, 1999).

Na Alemanha, em Winnendenn, um adolescente assassinou 15 colegas e, em seguida, cometeu suicídio.

Na Escócia, um aluno matou 16 crianças e um adulto, no ano de 1996.

Do ponto de vista jurídico, é imprescindível que o julgamento destes indivíduos seja acompanhado por especialistas em psicologia jurídica e forense. Somente assim será possível avaliar a validade ou não da amnésia posterior, a legitimidade do surto e o nível das consequências dos atos do indivíduo que apresentou a síndrome de Amok na sociedade.

Para saber mais sobre a síndrome de Amok do ponto de vista jurídico, você pode consultar o site “Justificando”, que apresenta vários textos com uma visão mais técnica e rica em termos jurídicos.