Taquicardia


Todo mundo fala ou pelo menos já ouviu falar de taquicardia, mas pouca gente realmente sabe o que é este problema e o que ele significa. Pois bem, a taquicardia é uma espécie de arritmia cardíaca, onde o coração humano tem aumentado a frequência de seus batimentos. Para uma pessoa que está em repouso, a frequência de batimentos considerada normal é de 60 a 100, dessa maneira, podemos dizer que a arritmia acontece quando os batimentos se encontram acima de 100 batimentos por minuto.

Em geral, esse problema acontece em situações que envolvam algum tipo de estresse. Dependendo do estado do coração da pessoa, a taquicardia pode necessitar de tratamentos médicos, já que em casos extremos, pode colocar a vida em risco.

Taquicardia

Em geral, a arritmia cardíaca pode prejudicar o ser humano de três maneiras. A primeira delas é que quando os batimentos são aumentados por um longo período de tempo, acontece uma alteração no dióxido de carbono e de oxigênio na hemoglobina sanguínea. Isso é bem comum durante a prática de exercícios físicos, mas quando o indivíduo se encontra em repouso, esse aumento se torna extremamente perigoso.

Uma queda na eficiência do coração também é outro grande problema que a taquicardia pode causar. Isso acontece quando o coração bombeia muito rapidamente o sangue. Assim, como o coração acaba batendo mais rápido, ele passará a necessitar de mais oxigênio e de mais nutrientes, o que pode deixar o indivíduo com dores no peito (angina) e sem fôlego, extremamente perigoso para quem sofre de doença cardíaca isquêmica.

Causas e tratamentos da taquicardia

Quando a pressão do sangue cai, o coração passa a bater mais rápido, com o propósito de elevá-la. Esse processo se chama taquicardia reflexa, e em geral, acontece em resposta a uma inesperada alteração do fluxo do sangue ou a diminuição de seu volume. A causa mais comum para este problema é uma súbita queda com mudança na postural corporal. Para se ilustrar esse problema, podemos dizer que isto é o mesmo de quando um indivíduo está deitado e se levanta rapidamente. Hiperventilação, febre e infecção com sepse também podem causar taquicardia.

Outra causa da taquicardia é a elevação de uma estimulação simpática do sistema nervoso, que geralmente acontece em uma situação de estresse físico ou psicológico, ou ainda pelo uso de estimulantes, como por exemplo as anfetaminas. Hipertireoidismo também pode levar a uma crise de taquicardia.

Em suma, os tratamentos para taquicardia utilizam conversão elétricas com a utilização de choques externos, conversão química, com a utilização de antiarrítmicos ou ainda utilização de medicamentos. O tipo de tratamento adequado varia de acordo com cada paciente e ainda de acordo com o nível, o grau, a duração, e o quanto o indivíduo tolera o acontecimento de batimentos cardíacos mais acelerados. Por exemplo, se a taquicardia tem origem no nódulo sinusal, um tratamento com medicamentos geralmente se faz suficiente. No entanto, quando a taquicardia tem origem fatal, como no caso da taquicardia ventricular, o melhor tipo de tratamento é o que utiliza conversão elétrica ou agentes antiarrítmicos.

Tipos de Taquicardias

Existem diversos tipos de taquicardias, a saber: síndrome da taquicardia postural, taquicardia sinusal, taquicardia supraventricular e taquicardia ventricular.

Síndrome da taquicardia postural: esse tipo de taquicardia acontece quando há uma alteração inesperada do fluxo do sangue. Há uma queda da pressão do sangue, o que faz com que o coração passe a bater mais rapidamente, com o objetivo de elevá-la. Os sintomas mais comuns são: cefaleia, dores no peito, fadiga crônica, tontura e batimento acelerado cardíaco. O tratamento mais adequado, depende da gravidade dos sintomas, mas em geral, os indivíduos com este tipo de problema são aconselhados a praticar exercícios físicos, a aumentar a ingestão de sal e de fluídos e em alguns casos, é recomendado a utilização de marca-passo.

Taquicardia sinusal: esse tipo de taquicardia é referente a um ritmo cardíaco dito como inapropriado pelo marca-passo natural do coração. Em geral, os indivíduos com este tipo de problema apresentam sintomas como pré-sincope ou palpitações, estando em repouso ou quando fazem esforços pequenos. O tratamento é feito com a utilização de bloqueadores. Quando o paciente não responde aos medicamentos utilizados, se faz necessária a utilização de cateter.

Taquicardia supraventricular: este problema começa com um batimento cardíaco acelerado, mas que acaba cessando rapidamente e subitamente. Vale ressaltar, que na maioria dos casos, este tipo de arritmia não é perigosa, e acontece principalmente em indivíduos mais jovens.

Taquicardia ventricular: esse tipo de taquicardia acontece quando há três ou mais extra-sístoles ventriculares de maneira seguida. As causas para esse problema são: doença arterial coronariana, hipertensão arterial, doenças hereditárias que afetam o sistema elétrico do coração, mio cardiopatias e o uso de medicamentos antiarrítmicos.

Os pacientes geralmente apresentam palpitações, e o diagnóstico é feito de uma monitoração cardíaca contínua ou através da realização de um eletrocardiograma.