Tartaruga da Amazônia


A tartaruga da Amazônia, ou melhor, a espécie Podocnemis expansa, é uma das mais incríveis da região norte do nosso Brasil. O animal quelônio, que só vive em águas doces, habita unicamente o Norte de nosso mapa, especialmente no Rio Amazonas e seus demais afluentes. Porém, no resto da América Latina, também podemos encontrar a espécie na Venezuela, Colômbia e nas Guianas.

Apesar de seu nome ser ‘tartaruga’ da Amazônia, a verdade é que esse animal é um cágado: até porque o termo ‘tartaruga’ é utilizado unicamente para designar as espécies de quelônios marinhos. Além disso, a tartaruga da Amazônia também pode ser conhecida como ‘tartaruga verdadeira’.

tartaruga da amazonia

Principais características da tartaruga da Amazônia

Entre as principais características desse animal podemos destacar:

• Classe: Reptilia;

• Família: Pelomedusidae;

• Ordem: Chelonia;

• Distribuição de caráter geográfica: Região Norte da América do Sul. No Brasil, nas bacias dos rios Orinoco e Amazonas;

• Habitat natural: lagos e rios em geral;

• Hábitos alimentares: onívoro;

• Tipo de reprodução: as tartarugas da Amazônia desovam entre 40 a até 160 ovos por período de ovulação. Eles eclodem cerca de 50 a 80 dias após a incubação;

• Expectativa de vida: as tartarugas da Amazônia vivem cerca de 50 anos.

O quelônio é, na realidade, o maior de toda a América do Sul – motivo pelo qual muitos querem conhecê-lo, inclusive. Uma fêmea adulta, por exemplo, pode pesar até 60 quilos, com 90 centímetros de comprimento e outros 60 de largura. Os machos, por sua vez, costumam ser menores.

Uma característica bem marcante dessa espécie é a cabeça, sendo ela bem achatada e pequenininha. Nela estão localizados os olhos, a boca e as narinas (que ficam em frente à região superior do focinho). Já a carapaça do animal, por sua vez, conta com um formato mais oval, apresentando as seguintes cores: marfim, preto ou alaranjado. Além disso, algumas tartarugas também apresentam manchas mais escuras nessa região do corpo.

Já as suas patas são bem curtas, porém, fortes e potentes. A pata anterior conta com cinco unhas, enquanto a posterior, apenas quatro.

Outra característica que chama a atenção é em relação às linhas desenhadas na região do rosto, uma vez que elas são diferentes de animal para animal, assim como são as impressões digitais em nós humanos, por exemplo.

No que se refere à alimentação, como já falamos anteriormente, as tartarugas da Amazônia são onívoras – isso significa que elas comem de tudo. Porém, por serem de hábitos diurnos, geralmente sua alimentação é composta por vegetais, frutas, peixes pequenos e médios e sementes em geral. Porém, para o caso de animais criados em cativeiro, eles também aceitam ração e carne moída.

Infelizmente as tartarugas da Amazônia ainda são frequentemente caçadas – por mais que muitas sejam as ONGs e demais instituições (até mesmo governamentais) que busquem salvar a espécie. Os principais caçadores são os ribeirinhos da floresta e a caça é motivada não só pela carne da tartaruga, mas principalmente por conta dos ovos.

A principal maneira de equilibrar a caça deste animal é estimulando a sua reprodução (que veremos a seguir). Além disso, o apanho de seus ovos já é algo totalmente proibido (pelo menos no norte do Brasil). Atualmente, muitos são também os projetos que visam estabelecer normas para a criação da tartaruga da Amazônia em cativeiro, o que aumentaria – e muito – o número de animais desta espécie em toda a região da Amazônia.

Uma curiosidade interessante sobre a tartaruga da Amazônia é que ela pode viver mais de 100 anos quando cria hábitos em grupos. Por outro lado, quando sozinhas, dificilmente ultrapassam a média de 50 anos de vida.

Sobre a reprodução da tartaruga da Amazônia

A reprodução das tartarugas da Amazônia ocorre sempre no mesmo período do ano: entre os meses de setembro e dezembro
Cada fêmea enterra na areia – ou na terra, se for o caso – entre 40 a 200 ovos (o que irá depender da idade da tartaruga e da sua própria capacidade de fecundidade). A profundidade desse enterro é uma característica única e extremamente marcante dessa espécie: chega a até 50 centímetros.

Após um determinado período de tempo, que costuma variar entre 45 a 60 dias, as pequenas tartaruguinhas nascem e já precisam sobreviver ao primeiro grande desafio: os predadores que ficam entre a areia e o rio.

Na terra, os principais deles são as aves que ficam só observando, como é o caso do urubu. O homem, infelizmente, também é um predador neste sentido, uma vez que grande parte da população da floresta alimenta-se dos ovos das tartarugas ou até mesmo de seus filhotes.

Quando chega ao rio, vencendo esse primeiro obstáculo, o filhote precisa enfrentar outros predadores, como os grandes peixes (especialmente as piranhas) e os jacarés. As tartaruguinhas alimentam-se de pequeninos peixes e plantas aquáticos, porém, infelizmente poucas são as que sobrevivem até a vida adulta.