Vírus: Características e Relação com a Saúde do Homem


Os vírus nada mais são do que serem bem pequenos e com composição extremamente simples: são formados unicamente por uma cápsula proteica que, por sua vez, envolve todo o seu material genético. Esse material varia conforme o tipo de vírus, e pode ser tanto RNA, DNA ou, então, os dois ao mesmo tempo, que é quando o vírus é caracterizado como citomegalovírus.

E de onde surgiu a palavra vírus? A palavra vem do latim, e significa “um fluído de caráter venenoso” ou, então, “toxina”. Nos dias de hoje, esse termo é utilizado tanto para a descrição de vírus biológicos, como também para designar de maneira mais metafórica coisas que consigam se reproduzir de forma parasitária, assim como os vírus de computadores, por exemplo, que foi um termo criado por analogia.

Vírus

De todas as espécies de seres vivos que são conhecidos atualmente, ou seja, mais de 1 milhão e 700 mil espécies, cerca de 3.600 delas são vírus.

Características dos vírus

O vírus é caracterizado como uma partícula que é quase que unicamente proteica. Ela tem o poder de infectar os organismos vivos, e, além disso, são também parasitas considerados como “obrigatórios” no interior das células, o que significa que eles só conseguem se reproduzir por meio da invasão e da possessão da nossa auto-reprodução de células.

Além disso, os vírus são aqueles que geralmente infectam os eucariontes, ou seja, organismos com carioteca. Já os responsáveis pela infecção em eucariontes são as bactérias.

É também de destaque que o que determina que um vírus seja infeccioso são as suas próprias moléculas de proteínas virais. Esse grupo de células infectado pode ser bem restrito. Alguns vírus prometem infectar apenas bactérias, outros infectam apenas humanos, outros para animais ou plantas, e assim por diante.

Diferentemente do que o senso comum pode, por vezes, atribuir ao vírus, ele não é constituído por células. Porém, eles dependem dessas células para que seja possível a sua multiplicação, o que também agrava no aumento da sua capacidade de infecção.

Alguns vírus são compostos por enzinas, como é o caso do famoso vírus da AIDS, por exemplo. O HIV conta com a presença da enzina transcriptase reserva, que é responsável por um processo de nome “transcrição reserva”. Este, por sua vez, faz com que o RNA ajude na composição de DNA, criando um processo de retro transcrição. Por isso, o vírus HIV é considerado um retrovírus. Já os vírus que fazem essa mesma passagem, porém do DNA para o RNA são os vírus denominados como adenovírus.

Parasitas intracelulares

Os vírus nada mais são do que parasitas intracelulares e obrigatórios. O que impede que eles realizem o próprio metabolismo é a falta de ribossomos e hialoplasma. Para que o seu ciclo de vida seja possível, então, o vírus vai precisar de um ambiente que tenha todos esses componentes, para que possa não só sobreviver, como reproduzir a sua espécie.

Sendo assim, é exatamente por esse motivo que o vírus vive constantemente à procura da vida no interior de células, já que elas contêm os ribossomos e demais substâncias necessárias para a manutenção da sua própria vida. Assim, será possível realizar a síntese de proteínas e, ao mesmo tempo, permitir a reprodução desse material genético e caracterizado como viral.

E é em meio a essa instalação nas células que, muitas vezes, os vírus podem acabar mudando o próprio funcionamento e ritmo do metabolismo dessa célula. É dessa forma, então, que ele pode provocar tanto a degeneração, como também a morte das mesmas.

Relação entre vírus e a nossa saúde

O vírus ganhou esse nome principalmente pela grande quantidade de viroses que é capaz de atribuir ao nosso organismo.

Para lutar contra os vírus, o nosso corpo aposta no desenvolvimento de anticorpos, que nada mais são do que o nosso “exército” de defesa natural. Esses anticorpos são caracterizados como proteínas produzidas de maneira especial pelo nosso sangue, diretamente contra os vírus e demais causadores de doenças.

A febre, por exemplo, é um dos agentes mais representativos como uma forma de tentar combater as nossas infecções, aumentando a temperatura do corpo e a própria reação dos nossos glóbulos brancos, o que torna o nosso metabolismo mais ativo e capaz de lutar contra essas problemáticas.

De um modo geral, as doenças causadas pelos vírus, caracterizadas como viroses, são aquelas que nos provocam dores em geral, febre, mal-estar e outros sintomas, que podem variar entre mais leves ou mais graves dependendo do vírus em questão.

É claro que cada tipo específico de vírus promete atacar a um grupo de células mais específico. O vírus causador da caxumba, por exemplo, irá atuar diretamente nas células de nossas glândulas salivares, o que irá causar dor e inchaço em ambos os lados do pescoço.

Entre as doenças causadas pelos vírus nos humanos o destaque vai para o vírus da gripe, varicela, dengue, hepatite, caxumba, varíola, raiva, rubéola, herpes e outros.