Regras dos Saltos ornamentais Plataforma 10m individual e sincronizado


Uma das modalidades olímpicas que mais chama a atenção do público são os Saltos Ornamentais. Seja na modalidade individual, ou no sincronizado, disputado em duplas, a perícia, precisão e a estética do salto hipnotizam o público. Veremos aqui suas características e as regras para os saltos no trampolim de 10 m.

Saltos Ornamentais: Histórico e Características

Ainda na era antes de Cristo, os habitantes do litoral da Grécia já praticavam o salto ornamental, mergulhando de rochedos em direção ao mar. Depois disso, a prática se estendeu para o Norte da Europa, principalmente na Suécia e Alemanha, e a partir daí se popularizaram. Já nos Jogos de Saint Louis, em 1904, a modalidade teve sua estreia olímpica, mas apenas com provas masculinas. Somente em Estocolmo 1912 é que as mulheres começaram a competir. Antes da Primeira Guerra, como era de se esperar, os alemães e suecos tinham a supremacia do esporte. Nas décadas seguintes, os americanos dominaram a prova e a partir da década de 1990, os chineses ocuparam lugar de destaque. O Brasil, já em sua primeira participação em 1920, na Antuérpia, tinha representantes no salto ornamental, que era praticado oficialmente no país desde 1913.

Saltos ornamentais

O Salto Ornamental é praticado individualmente ou em duplas (sincronizado) e consiste no salto de uma plataforma elevada fixa (10 m) ou de um trampolim, em direção a uma piscina olímpica, e durante o salto se realiza uma série de movimentos estéticos acrobáticos, que são julgados por uma série de quesitos, como posicionamento do saltador na saída e na queda na piscina, e grau de dificuldade das manobras. Cada atleta é avaliado de 0 a 10, por sete juízes, em três saltos, e as notas do melhor e do pior salto são descartadas.

Para a prática do esporte são exigidas coordenação, elasticidade e equilíbrio. Por suas semelhanças, muitos atletas têm formação em ginástica olímpica. O biotipo do saltador prevê ótimo desenvolvimento muscular, estatura mediana ou pequena, além de pescoço longilíneo. No salto ornamental de plataforma de 10 m, algumas posições são obrigatórias. As regras dessa modalidade tiveram poucas modificações desde sua concepção.

– Grupada – Salto realizado com o corpo dobrado nos joelhos e nos quadris. Joelhos permanecem juntos e na direção do peito do atleta.

– Esticada – corpo totalmente ereto.

– Carpada – as pernas do atleta permanecem retas, porém o corpo fica dobrado, pela cintura.

– Livre – neste salto, o atleta combina aleatoriamente as posições básicas.

Em todas as posições básicas, são admitidas as variações para trás, para frente e para dentro, bem como as saídas em parada de mão ou em parafuso.

Apenas nos Jogos de Sydney é que a modalidade do salto sincronizado foi incluída. Neste salto, além dos itens avaliados no salto individual, os juízes avaliam também a perfeição na sincronia da execução dos movimentos da dupla.

Saltos Ornamentais: Regras

Embora avaliados da mesma forma, os saltos ornamentais em plataforma de 10 m se diferem do trampolim, justamente por serem realizados a partir de uma plataforma rígida, sem o impulso do trampolim. As equipes e atletas devem apresentar com até vinte e quatro horas antes da competição, a lista completa dos saltos que serão realizados na prova. Durante a prova, os competidores são avaliados desde a saída da plataforma até o momento em que a última porção do corpo do atleta desaparece na água. As notas são divulgadas individualmente, logo após o fim do salto de cada atleta.

Equipamentos obrigatórios

Para realizar o salto em competições, os atletas masculinos usam apenas sunga e as atletas femininas, maiô. Nenhum outro equipamento, como óculos de mergulho, por exemplo, são permitidos, a fim de evitar lesões.

A Plataforma e a Piscina

Os saltos ornamentais de plataforma de 10 m, tanto o individual quanto o sincronizado são disputados numa torre de concreto, especialmente construída para a modalidade, e que tem à sua frente uma piscina de no mínimo 5 m de profundidade, com a água sempre em movimento, para a orientação dos atletas. A plataforma, a 10 m de altura, tem 6 m de comprimento e 2,5 m de largura e deve ser recoberta com material antiderrapante.

Local, táticas e equipamentos…

As técnicas do salto

A avaliação dos juízes é feita a partir de critérios como técnica, graça, estilo individual e estética do movimento. Cada atleta em conjunto com seu técnico é responsável pela escolha e execução do salto. Dentre quase uma centena de manobras possíveis, o saltador treina exaustivamente o salto, para que seja executado com perfeição, garantindo assim os pontos na execução dos movimentos básicos e nos que ele definiu. No caso do sincronizado, as regras são as mesmas, com o agravante da pontuação pela sincronicidade entre os atletas. O grau de dificuldade do salto é primordial para uma boa nota, portanto é comum a utilização de saltos com mortais e “twists”, que acrescentam valor às notas. Muitos dos movimentos inovadores criados na ginástica olímpica são levados para os saltos ornamentais de plataforma de 10 m, trazendo evolução constante ao esporte.