Resumo de Handebol


O Jogo

São duas equipes em quadra, cada uma com sete jogadores, incluindo os goleiros. As equipes ainda contam com mais 5 atletas reservas.

São dois tempos de 30 minutos, com 10 minutos de intervalo. O jogo é cronometrado e, por isso, não existem prorrogações. Embora não seja usual, nas Olimpíadas de Atlanta, foi permitido o uso de tempos técnicos, assim como acontece no Vôlei.

Handebol

As substituições são ilimitadas, mas devem ser realizadas a 4,45 metros da linha central da quadra. O substituto só poderá ultrapassar a linha de campo quando o outro jogador tiver saído completamente do espaço do jogo.

O objetivo do handebol é marcar gols com as mãos, através de arremessos. O jogo é bastante ágil e requer reflexos apurados. O handebol é comandado por dois árbitros, auxiliados por um secretário, responsável pela súmula, e um cronometrista.

Regras básicas

Não é permitido que os jogadores entrem ou pisem na linha da área do goleiro. No entanto, a regra permite que o jogador salte com a bola na mão para dentro da área, desde que arremesse a bola antes de retornar ao solo. O goleiro é o único que pode tocar a bola com o pé, mas apenas dentro de sua área, e se deslocar em qualquer posição em quadra.

O gol só é válido quando a bola atravessa completamente a marca da baliza.

Bola: o jogador pode pegá-la de todas as formas com auxílio de mãos, braços, tronco, cabeça, coxas e joelhos. Pode ser segurada por, no máximo, três segundos, mesmo que esteja no chão.

Para tomar a posse de bola, é permitido uso de braços e mãos abertas e bloqueá-lo com o corpo. É proibido arrancar a bola das mãos do adversário.

O tiro de meta é dado quando a bola ultrapassa a linha de fundo e oúltimo toque dado pela equipe atacante ou pelo goleiro da defesa, desde que ele esteja dentro da área do gol. Apenas o goleiro pode recolocar a bola em jogo.

Bola no chão: marcada quando a bola está fora da área do goleiro, mas dentro da quadra e ocorrem faltas simultâneas de ambas equipes ou por interrupção da partida por motivos que não caracterizem infração às regras.

Escanteio: quando a bola ultrapassa a linha de fundo e o último toque foi da equipe defensora, mas não do goleiro. O lance é dado no ponto de intersecção entre a linha de fundo e a lateral, do lado em que a bola saiu (direita ou esquerda da baliza).

Lance lateral: quando a bola sai pela linha lateral. O jogador deve colocá-la de volta em campo com um pé na linha lateral e outro fora da quadra. Caso isso não seja respeitado, o árbitro pode determinar repetição do lance ou inversão, que é quando o adversário toma a posse de bola para recolocá-la em jogo.

Lance de 7 metros: ocorre depois de uma falta grave. Para cobrá-lo, o jogador deve permanecer com um pé na linha de 7 metros e não pode movimentá-lo. Os demais jogadores de ataque e defesa permanecem atrás da linha de 9 metros.

Lance livre: determinado pelo árbitro quando há entrada ou saída irregular de um jogador, faltas na área do gol, mau comportamento, atitude antidesportiva, lançamento intencional da bola em direção ao próprio gol, falta do goleiro ou irregularidades na execução do lance lateral, escanteio, tiro de meta, lance de 7 metros.

Execução: antes de qualquer lance (livre, lateral e de escanteio), a bola deve repousar na mão do lançador e os demais atletas devem estar em suas devidas posições. Se o lançador bater a bola contra o chão, o árbitro pode entender como lance cobrado e determinar reversão de jogada.

Penalidades no handebol

Cartão amarelo: serve para advertir o técnico ou o atleta. Normalmente aplicada em faltas leves, por reclamações e quando o jogador não deixa a bola no local indicado pelo árbitro.

Dois minutos: restrito aos jogadores, que devem abandonar o jogo por dois minutos de jogo cronometrado. Aplicado quando há faltas desnecessárias e substituições incorretas.

Cartão vermelho: também conhecido como desqualificação, é quando o jogador é tirado de jogo. Não é permitido a ele sequer permanecer no banco de reservas. A equipe permanece com um jogador a menos por dois minutos de jogo cronometrado e, depois, pode completar o time com outro atleta. Quando o jogador recebe três punições de dois minutos, automaticamente recebe o cartão vermelho.

Exclusão: restrito a casos extremos, como agressões físicas e verbais. Além do jogador ser retirado de jogo e de campo, a equipe não pode substituí-lo, ficando desfalcada até o fim da partida.

Medidas da quadra

Comprimento: entre 38 a 44 metros

Largura: 18 a 22 metros.

Área do goleiro: semi-círculo em volta do gol com raio de 6 metros.

Linha de tiro livre: semi-circulo de linha tracejada que fica a 9 metros do gol. É de lá que as faltas são cobradas.

Baliza: possui 3 metros de largura por dois metros de altura.

Marca dos 7 metros: como o próprio nome sugere, é um traço paralelo de um metro, localizado a 7 metros do gol, e que determina o exato local de onde são cobradas as penalidades máximas.

História do Handebol

Criado pelo professor alemão Karl Schelenz, em 1919, o handebol é um esporte coletivo que, após a publicação das regras pela Federação Alemã de Ginástica, foi rapidamente disseminado para países como Suíça e Áustria.

Inicialmente, as partidas eram disputadas por equipes de 11 jogadores em campos a céu aberto parecidos com os de futebol.

A primeira partida entre nações aconteceu em 1925, entre Alemanha e Áustria. O placar foi 6 a 3 para os austríacos.

Já em 1934, foi incluído como esporte Olímpico pelo COI (Comitê Olímpico Internacional), competido pela primeira vez nas Olimpíadas de Berlim, em 1936, teve a medalha de ouro disputada entre seis nações. Alemanha e Áustria fizeram a final. Dessa vez, os alemães levaram a melhor, com vitória de 10 a 6.

Dois anos depois, a Alemanha promoveu o primeiro campeonato mundial de handebol.

O esporte desenvolveu-se bem e, em 1946, foi fundada a Federação Internacional de Handebol (IHF), hoje sediada em Brasileia, na Suíça.

Já em 1966 o handebol passou por adaptações. A modalidade em campo de gramado deixou de ser praticada, restringindo-se a prática às quadras de salão.

Em 1976, na Olimpíada de Montreal, no Canadá, a modalidade volta a ser disputada.

Atualmente, de acordo com a IHF, a modalidade é praticada em 183 países e mobiliza mais de um milhão de equipes, que contam com 10 milhões de profissionais entre atletas, treinadores e profissionais do esporte.

O Handebol no Brasil

O esporte chegou ao sul do Brasil depois da I Guerra Mundial, durante da imigração alemã, mas foi em São Paulo que o Handebol se desenvolveu, com a criação da Federação Paulista de Handebol em 1940, presidida, na época, por Otto Schemelling. No entanto, a oficialização do esporte só se deu em 1954, quando a Federação Paulista promoveu o I Torneio Aberto de Handebol, improvisado no campo de futebol do Esporte Clube Pinheiros, com 7 jogadores em cada time.

A improvisação desagradou a Confederação Brasileira de Desportos (CDB) a ponto do órgão decidir criar um departamento de handebol. A partir de então houve melhor organização de campeonatos tanto na categoria masculina quanto feminina.

O esporte ficou praticamente restrito a São Paulo até o início da década de 1960, quando o professor francês Augusto Listello apresentou a outros professores, no Curso Internacional de Santos, maneiras didáticas de ensinar o esporte nas escolas.

A partir de então, foi disseminado em colégios de diversos estados. Já em 1971, o MEC incluiu o handebol de sete jogadores por equipe nos Jogos Estudantis (JEB’s) e Jogos Universitários Brasileiros (JUB’s).

Em 1979, foi criada a Confederação Brasileira de Handebol (CBHb), atualmente sediada em Aracajú, no Sergipe. Em 1980, foi promovida a 1ª Taça Brasil de Clubes.

Em 2007, durante os jogos Pan-Americanos, realizados no Rio de Janeiro, o handebol brasileiro viveu suas maiores conquistas: a medalha de ouro no feminino e masculino. A seleção feminina ainda conquistou o Campeonato Mundial de Handebol, em 2013, na Sérvia.