Meritocracia


Podemos caracterizar Meritocracia como sendo um sistema de gerir, que considera como uma espécie de aptidão do ser, o mérito, como sendo a principal razão para que se possa chegar a uma posição de destaque, de topo.

Em tese, as posições existentes em uma hierarquia são conquistadas através de um merecimento, onde estão associados alguns valores, como aptidão específica para exercício de tal atividade, de moral e educação. De uma maneira mais ampla, meritocracia pode ser caracterizada como uma espécie de ideologia de governo.

Meritocracia

As associações da meritocracia

A meritocracia está ligada intimamente com o estado burocrática, o que significa dizer que os funcionários do estado são selecionados para tais funções de acordo com suas aptidões, que pode ser avaliada através de concursos por exemplo. Outro exemplo de uso desse sistema está nos exames para se ingressar em uma escola ou universidade, quando não há diferença entre alunos, tanto nas questões dos temas propostos ou com relação ao conteúdo das perguntas.

Mas, embora a maioria das instituições e organizações façam apologia a esse sistema, a meritocracia não é utilizada de maneira pura em nenhum lugar do mundo. Um modelo desse sistema é o método de meritocracia científico, onde se considera como verdadeiro a definição de mérito, pela consistência de um conteúdo em relação a outras teorias ou às observações.

Em algumas organizações, a prática da meritocracia pode ser uma maneira de recompensar indivíduos por reconhecimento ou por esforços, e geralmente isto está associado a atribuições de funções ou de escolha de posições. Atualmente, este termo é utilizado para descrever que os escolhidos por essa prática, são realmente merecedores dessas vantagens. Por este motivo, a palavra acabou adquirindo um sentido de Darwinismo Social, o que significa dizer que essas são sociedades altamente competitivas, havendo um grande abismo entre riqueza e renda, juntamente com o ideal de sociedades igualitárias.

Em uma sociedade, o poder está nas mãos dos representantes eleitos por essa sociedade. O problema está em como definir de maneira exata o que cada indivíduo entende como sendo significado da palavra mérito. Além disso, deve-se tomar cuidado, porque muitas civilizações se utilizam dessa prática como forma de justificar indicações a cargos públicos e também para mascarar privilégios.

Os opositores e os defensores da Meritocracia

O termo Meritocracia teve início no ano de 1958 através da obra de Michael Young, intitulada de ‘Levantar da Meritocracia’. Nessa obra, Young apresenta um conteúdo totalmente negativo para este termo, narrando uma sociedade onde as posições na sociedade são definidas pelo nível que você se esforça ou por quem indica. Apesar da palavra mérito ter ganhado através de seus defensores um sentido positivo, no livro de Young ela é usada de maneira pejorativa. O autor acabou por levantar uma questão que é atualmente considerada muito comum, e que até hoje divide o debate entre opositores e defensores da Meritocracia.

Vale ressaltar, que apesar de Michael Young ter introduzido esse termo em nossa sociedade, algo bem semelhante com esse tipo de sistema já havia sido empregado por Napoleão Bonaparte, durante a Antiguidade.

Pelo menos na tese, a meritocracia defende as posições existentes em uma hierarquia. Mas, os opositores dessa ideia, acabam caracterizando a meritocracia como algo inexistente de inteligência, de habilidades e de esforço. De qualquer maneira, essa prática não é empregada de maneira pura em nenhum lugar, já que ela acaba se misturando com outros métodos para que as autoridades de uma sociedade sejam escolhidas.

Os indivíduos que defendem essa prática, afirmam que ela proporciona uma justiça muito maior do que os demais sistemas de hierarquia que existem no mundo. Isso porque, a diferença entre as pessoas não é feita através da quantidade de riqueza, pelo gênero ou ainda qualquer outro fator cultural ou biológico. A meritocracia defende o merecimento. Por este motivo, os defensores ainda afirmam que este fator acaba estimulando uma espécie de competição, e por consequência, ajuda no aumento da eficiência e da produtividade.

Nos dias atuais, esse termo é bastante utilizado para descrever uma sociedade onde a renda, a riqueza e a classe social são resultados de uma ampla competição, caracterizando que os vencedores das posições mais destacadas são merecedores.

Sendo assim, não é difícil perceber o que os opositores criticam nessa prática, já que eles consideram essa a grande causa de haver sociedades totalmente competitivas, afastando-se cada vez mais de sociedades igualitárias.

Os defensores da Meritocracia destacam que alguns elementos, como educação, talento e competência acabam substituindo diferenças consideradas pessoas, como por exemplo etnia, de classe e de gênero. Por isso, uma das maiores dificuldades que existe neste tipo de sistema, é definir o que cada indivíduo entende como sendo o real significado de mérito. Isso porque se uma sociedade não utiliza essa prática, esse será um meio de utilizá-la para mascarar alguns privilégios utilizados nas atribuições ou em escolha de funções.