Resumo do Behaviorismo


Behaviorismo é um campo da psicologia que considera o comportamento humano como o centro de estudo e investigação da psicologia. A palavra deriva do inglês behavior, que significa comportamento. O Behaviorismo também é conhecido por outros nomes, como comportamentalismo ou comportamentismo.

Correntes do Behaviorismo

Um resumo do behaviorismo em seus primórdios pode ser obtido com os trabalhos pioneiros de dois estudiosos de origem russa, Vladimir Mikhailovich Bechterev e Ivan Petrovich Pavlov. Bechterev, um renomado estudioso da neurologia humana, foi o primeiro a imaginar uma psicologia que se baseasse no estudo do comportamento humano, para a qual deu o nome de Psicologia Objetiva.

Behaviorismo

Enquanto Pavlov, um renomado fisiologista ganhador do Prêmio Nobel de Medicina em 1904, entrou para a história mesmo ao estudar o processo de salivação em cães, quando notou que todos os seus animais de estudo sempre salivavam quando estavam diante de um pote de comida, mas que alguns desses animais começavam a salivar já ao ouvir os passos do seu assistente que levava o alimento para os cães. Ou seja, ele percebeu que todos os cães salivavam em frente a um pote de comida porque se tratava de um comportamento inato, enquanto outros aprendiam que o som dos passos do assistente era o evento que antecedia a alimentação e por isso já começavam a salivar. Sua primeira impressão disso foi que o comportamento podia ser condicionado.

Pavlov prosseguiu com suas investigações e criou o que chamou de reflexo condicionado, que inspirou o psicológico americano John B. Watson a escrever em 1913 o artigo “A Psicologia como um behaviorista a vê”, dando início assim ao behaviorismo clássico.

• Behaviorismo Clássico: Tendo como fundador o psicólogo americano John B. Watson, o Behaviorismo Clássico se propõe a abandonar o estudo dos processos mentais, que dominava a psicologia até então, e mudar seu foco para a observação do comportamento. Segundo Watson, o estudo dos processos mentais não era muito produtivo, e por esta razão seria mais interessante se concentrar no que podia ser observável, neste caso o comportamento. Segundo o Behaviorismo Clássico, o comportamento se define como qualquer alteração observada em um organismo, que fossem resultado de um estímulo anterior qualquer.

O Behaviorismo Clássico propõe como base do estudo psicológico a teoria de que o comportamento é moldado pelo modelo pavloviano de estímulo e resposta, também conhecido como condicionamento clássico. Um resumo do beharviorismo clássico é dado pela seguinte sentença: “qualquer comportamento é sempre uma consequência de um estímulo anterior específico”.

Vale ressaltar que Watson em nenhum momento negou a importância dos processos mentais na psicologia, mas apenas os considerava pouco práticos para a realização de estudos objetivos.

• Behaviorismo Filosófico: Também conhecido como behaviorismo analítico ou behaviorismo lógico, o behaviorismo filosófico se baseia na premissa de que existem pré-disposições mentais para determinados comportamentos. Ou seja, em contrapartida ao behaviorismo clássico, que defendia a tese de estímulo-resposta, o behaviorismo filosófico acredita que para a ver determinada resposta para um estímulo específico é necessário antes que o indivíduo tenha uma disposição mental para desenvolver tal resposta.

• Behaviorismo Metodológico: Defendido pelo psicólogo Stanley Smith Stevens, o behaviorismo metodológico se baseia na teoria de que o comportamento é somente uma reposta pública do indivíduo. Para o behaviorismo metodológico apenas comportamentos publicamente observáveis são admitidos como objeto de estudo psicológico, excluindo deste estudo todo comportamento de ordem privada, uma vez que este tipo de comportamento não pode ser diretamente observado.

• Behaviorismo Radical: Proposto pelo psicólogo americano Burrhus Frederic Skinner, o behaviorismo radical se diferencia das outras correntes behavioristas por não se tratar de um campo de estudo experimental, mas sim de uma filosofia a respeito do comportamento humano. Um resumo do behaviorismo radical é que ele não procura modificar o comportamento de um indivíduo através de estímulos, mas sim estudar e compreender o comportamento dos indivíduos.

Existem ainda outras correntes behavioristas de menor importância, ou pequenas dissidências dos postulados das principais correntes de pensamento behaviorista. Contudo, essas quatro correntes behavioristas, a clássica, a filosófica, a metodológica e a radical, oferecem um resumo do behaviorismo e de toda a sua filosofia.

Críticas ao Behaviorismo

Desde seu desenvolvimento até os dias atuais o behaviorismo constitui uma das mais influentes teorias da psicologia, no entanto ele não é o único modelo de estudo psicológico. E existem diversos críticos de seus métodos e conclusões.

Entre os diversos críticos do behaviorismo, o mais famoso de todos é Noam Chomsky, renomado linguista e filósofo norte-americano. Segundo Chomsky o modelo estímulo-resposta do behaviorismo é insuficiente para explicar determinados comportamentos humanos, especialmente os ligados ao campo da fala e aprendizagem. Por exemplo, Chomsky afirma que o behaviorismo é incapaz de explicar satisfatoriamente o rápido aprendizado de uma língua por crianças pequenas. Outra indagação feita pelo linguista americano é que para responder a uma pergunta com uma fase, um indivíduo necessita escolher uma entre um número potencialmente infinito de frases para usar, e esse tipo de habilidade não pode ser obtida através do condicionamento do comportamento.

As críticas e indagações feitas por Chomsky a respeito do Behaviorismo foram fundamentais na criação da Psicologia Cognitiva, que possui postulados diametralmente opostos ao da psicologia behaviorista.