Energia elétrica: Definição, Descoberta e Prática


A descoberta da energia elétrica foi um passo fundamental, que tornou possível um grande desenvolvimento tecnológico. Por isso, vale muito a pena saber mais sobre esse assunto, sobre o que é efetivamente essa energia e como ela se aplica em nosso dia a dia.

Energia elétrica

Ligar a televisão, pegar algo na geladeira, mexer no computador, colocar o celular na tomada para carregar… são coisas tão simples que fazemos em nosso cotidiano, que nem paramos para pensar nelas. Mas você já tentou imaginar como seria a sua vida e a sua rotina se não existisse a energia elétrica? Sem ela, os eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos não existiriam, tirando boa parte da comodidade da nossa rotina!

Energia elétrica

Energia elétrica – definição e descoberta

Quando falamos em energia, nos referimos à capacidade de se realizar um trabalho (trabalho = força x deslocamento, ou seja, aplicar uma força para deslocar um corpo). Com esse tipo de energia, não é diferente: consiste na capacidade que uma corrente elétrica tem de realizar esse trabalho.

Antes de compreendê-la, alguns conceitos são pré-requisitos:

Carga elétrica: são propriedades que as partículas atômicas possuem e que determinam as relações eletromagnéticas. Por exemplo: os prótons são partículas com carga positiva, enquanto os elétrons contêm carga negativa. Um corpo é considerado neutro quando a quantidade de prótons e elétrons é igual, assim, se anulam. Cargas iguais se repelem, enquanto cargas diferentes se atraem.

Corrente elétrica: observa-se corrente elétrica quando uma carga elétrica se desloca, de uma origem para um destino, com uma direção e um sentido organizados. Mas, lembre-se: os prótons ficam presos no núcleo atômico, não podem se movimentar. Sendo assim, a corrente elétrica é uma grande quantidade de elétrons se deslocando.

Potencial elétrico: capacidade que um corpo tem de realizar trabalho, atraindo ou repelindo cargas elétricas, quando está energizado.

A energia elétrica já começou a ser descoberta pelo filósofo e matemático grego Tales de Mileto, que observou a geração de eletricidade quando esfregou âmbar em um pedaço de lã. Muito mais tarde, no século XVIII, o físico Benjamin Franklin percebeu que os raios que apareciam no céu em noites de tempestade nada mais eram do que descargas elétricas originadas nas nuvens.

A partir disso, novos conhecimentos foram sendo acumulados durante o século XIX e, em 1879, o físico Thomas Edison inventou a lâmpada.

Energia elétrica na prática

Essa energia só pode se manifestar quando há diferença de potencial elétrico entre dois pontos, pois, assim, pode existir corrente elétrica entre eles.

A diferença de potencial presume que um desses pontos atrai a carga elétrica e o outro repele, isso faz com que essa carga se desloque de um para outro, formando uma corrente. Como dissemos anteriormente, essa corrente elétrica é capaz de executar um trabalho, que é a energia elétrica.

A equação para calcular a energia elétrica é a seguinte:

Eelétrica = P . ∆t

Em que:

P = potência
∆t = variação de tempo

A unidade de medida mais comum para acompanhar o valor da energia elétrica é o quilowatt-hora, que é o que mais aparece no cotidiano. No entanto, a unidade prevista no Sistema Internacional de Unidades é o Joule (já que a energia elétrica é um trabalho, a unidade de medida é a mesma).

Sabemos que a energia não se cria “do nada”, mas a partir de uma transformação. Assim é com a energia elétrica, ela também é um subproduto gerado a partir de outras energias. A forma mais comum de produção aqui no Brasil é por meio das hidrelétricas (98% do total). Lá, a água é utilizada para movimentar turbinas (energia mecânica) que acionam os geradores que, por sua vez, produzem a energia elétrica.

Depois de gerada, essa energia segue para as casas, indústrias, empresas e demais consumidores, pelas redes de distribuição que existem espalhadas pelo País. Essas redes são compostas pelos postes, cabos e transformadores. Uma vez em seu local de destino, a energia elétrica é transformada em outras formas de energia, como a luminosa, térmica e outras.

Sabe como funciona a bateria que serve para carregar seu computador ou celular? Primeiro, perceba que ela tem a função de CARREGAR, ou seja, a palavra carga já está implícita. A grosso modo, uma bateria é um compartimento onde ocorre uma série de relações eletroquímicas que liberam elétrons.

Esses elétrons ficam armazenados, agrupados no terminal negativo da bateria. Quando um fio é usado para conectar esse lado negativo com um positivo, esses elétrons são atraídos e se deslocam, gerando a corrente elétrica que vai executar um trabalho e alimentar o seu aparelho, fazendo com que ele funcione perfeitamente! E, com os avanços da tecnologia, já foram criados até automóveis que são movidos à energia elétrica armazenada em uma bateria.

Há uma grande tendência para que, graças a essa forma de energia, novos avanços tecnológicos continuem sendo possíveis para favorecer a humanidade, proporcionando maiores comodidades.