Lançamento Oblíquo


E então dedicado estudante, preparado para mais uma incursão pela Física? Hoje iremos falar sobre movimento, mais especificamente, sobre um denominado: lançamento oblíquo.

O que é isso?

O lançamento oblíquo nada mais é do que um movimento do tipo “parabólico”, não entendeu nada? Calma, vamos exemplificar assim fica mais fácil de compreender.

Imagine um objeto qualquer sendo lançado em sentido diagonal – na realidade tudo é efeito da gravidade, afinal, assim que lançamos um objeto para cima ele é novamente puxado para baixo -, fazendo um movimento denominado “trajetória parabólica”. Nessa situação as “forças dissipativas” são totalmente desprezadas, portanto, o objeto lançado está sujeito unicamente a ação da gravidade.

Oblíquo

Na realidade, o grande segredo por trás do lançamento oblíquo é separar, e compreender, o que é o movimento vertical e o que é o horizontal. Mas como isso?

Lembra quando exemplificamos um objeto, ou corpo, sendo lançado diagonalmente, pois então, nesse tipo de lançamento ele vai tanto para cima, quanto para frente, e o que nós queremos notar é quão ágil ele se movimenta para frente, e também, quão ágil ele é ao realizar sua trajetória para cima.

Ainda dentro de todo esse acontecimento temos que levar em consideração duas variáveis a Vx, grosso modo denominada velocidade horizontal, e também a componente vertical denominada Vy, que nada mais é do que a velocidade vertical.

Vamos a cada uma separadamente.

Comportamento geral: velocidade horizontal

Lembre-se a velocidade horizontal refere-se ao eixo X, portanto, se o movimento ocorre apenas nessa direção, a chamada “projeção do vetor aceleração da gravidade” é nula no eixo X, dessa maneira pode-se definir o Movimento como Uniforme e a velocidade sendo constante.

A distância percorrida pelo objeto desde seu lançamento até o ponto em que cai é chamada “alcance”.

Há alguns pontos muito importantes que devem ser levados em consideração quando nos referimos a chamada velocidade horizontal, então vamos a eles: O tempo que um objeto permanece no ar após ser lançado se deve a altura, por exemplo, quanto mais alto estiver, mais tempo tende a permanecer no ar. Além disso, o vetor velocidade será tangente a trajetória em cada um dos pontos alcançados pelo corpo lançado em movimento diagonal.

Comportamento geral: velocidade vertical

Tal qual a velocidade horizontal, a vertical também se refere a um eixo, que no caso é o Y. durante a aceleração vertical é possível observar um movimento de natureza uniformemente variada, isto é, um lançamento vertical para cima que tem aceleração idêntica à chamada “aceleração da gravidade”.

Dentro do comportamento vertical existem três equações fundamentais: equação dos espaços, ou posição; equação de velocidade; e de Torriceli.

Vamos a algumas informações bem úteis a respeito desse fenômeno: durante a subida do corpo, ou objeto, o movimento é considerado progressivo, enquanto isso na descida é retrógrado. Quando o objeto atingir o ponto mais alto dentro de sua trajetória sua velocidade tende a ser anulada.

Tempo de descida, ou, subida, não importa, ambos são iguais. A velocidade com que o objeto é lançado será a mesma com a qual ele chegará ao destino final, entretanto, a velocidade é positiva ao subir, mas, negativa ao descer.

Separando velocidade vertical de horizontal e a influência do ângulo

Como mencionado no primeiro tópico deste artigo, o grande segredo para compreensão do lançamento oblíquo está na separação entre velocidade vertical e horizontal. Nos tópicos anteriores você pode acompanhar algumas peculiaridades a respeito de cada uma das velocidades, agora, veremos o que diferencia e, portanto, separa cada uma.

O eixo Y também descrito como velocidade vertical varia devido a gravidade, enquanto isso, o eixo X, ou seja, a velocidade horizontal não muda.

Outro importante tópico a ser avaliado dentro de ambos os movimentos – vertical e horizontal – é a influência exercida pelo ângulo durante todo esse processo. Ou seja, o valor de inclinação em que o objeto é lançado vai fazer diferença no resultado final do movimento.

Por exemplo, se lançarmos um objeto com 30° de inclinação, ou mesmo 60° o alcance será diferente em cada um, sendo assim, se um objeto for lançado de maneira mais inclinada, o mesmo tende a ir para frente de maneira mais devagar, em contrapartida, a velocidade utilizada para subir é maior.

Além disso, é valido dizer que a distância horizontal também é alterada por isso, caso o objeto venha a ser lançado a partir de um ângulo mais inclinado o mesmo tende a ir mais alto, logo demora mais tanto para subir e também para descer, se, isso ocorre ele tende a permanecer mais tempo movimentando-se para frente.

O maior alcance que um objeto pode ter é quando ele é lançado de um ângulo de 45°.

E por aqui encerramos mais esse tópico, não deixe de visitar nossos outros artigos, e lembre-se: conhecimento nunca é demais. Obrigado por ter nos escolhido mais uma vez, boas pesquisas, ótimos estudos e até mais!