Lua: Fases, surgimento e composição da Lua


Os planetas do sistema solar podem possuir satélites naturais, que são corpos que orbitam ao redor destes. Planetas como Saturno e Marte possuem mais de um satélite natural. A lua é um satélite natural da Terra. Ao longo de milênios, este corpo celeste foi objeto de investigação de poetas, religiosos e cientistas. Com os avanços nas ciências e tecnologias relacionadas ao estudo do espaço sideral, muitas informações foram obtidas e tornaram este satélite mais conhecido para a ciência.

Como surgiu a Lua.

Lua

Calcula-se que a lua tenha surgido em torno de 4 mil milhões de anos atrás. Sua formação é posterior ao surgimento do sistema solar, algo calculado entre 50 milhões e 30 milhões após a formação deste.

Existem muitas teorias acerca do surgimento da Lua. A hipótese mais aceita na atualidade sugere que um imenso corpo celeste, como por exemplo, outro planeta, tenha se chocado com o planeta Terra ainda em processo de formação. Como resultado deste impacto, milhares de fragmentos foram lançados na órbita da Terra que, ao juntarem-se ao longo de milhares de anos, deram origem à Lua.

Esta é hipótese é bastante aceita na comunidade científica, pois está de acordo com outras evidencias, como o momento angular da Terra. Além disto, segundo esta teoria, a força deste impacto que teria feito surgir na Terra um mar de magma, o que colaborou para as formações rochosas do planeta. Entretanto, a Lua possui alguns elementos em sua composição que não se encontra na Terra, o que pode ser entendido como um ponto ainda a ser esclarecido por esta teoria.

Composição da Lua.

A composição da Lua foi, durante anos, motivo de grande especulação na comunidade científica. A partir dos anos 50, com o avanço da Guerra Fria e a corrida espacial entre os EUA e a União Soviética, foram realizadas missões espaciais com fins de coletar o material lunar. Em 1959, com o Programa Luna, a União Soviética obteve sucesso ao enviar a primeira sonda não tripulada à Lua.

A partir de 1962, os Estados Unidos da América começaram a desenvolver o programa Apollo, que tinha por objetivo explorar a Lua e levar missões tripuladas ao satélite. A missão Apollo 11 foi a primeira a ser tripulada, de maneira que ficou famosa por ter sido também a primeira vez que o homem pisou na Lua. O programa Apollo foi o único que levou missões tripuladas à Lua, além de ter sido o projeto que mais coletou material para pesquisas sobre a composição do solo lunar, em torno de 350 Kg de material.

As amostras obtidas nestas missões indicam que a Lua é composta principalmente por alumina, sílica, cal, óxido ferroso, óxido de magnésio, dióxido de titânio e óxido de sódio.

A geologia da Lua nos indica que ela é composta por uma crosta, um manto e um núcleo. Sua topografia indica a existência de mares lunares, que são planícies recobertas de lava basáltica. É possível visualizar a partir da Terra estes mares, pois são as manchas escuras que vemos na superfície lunar.

Outra característica da superfície lunar é ser recoberta por crateras. Estas crateras foram formadas como consequência de colisões com outros asteróides, o que criou uma superfície coberta de rocha pulverizada, denominada regolito.

A Lua não possui água em estado líquido, apenas em estado sólido, como gelo. Esta hipótese foi confirmada em 2009 com a sonda Chandrayaan-1.

O campo gravitacional na Lua é de 1,6249 s/m². É uma força gravitacional menor que a da Terra, algo em torno de 16% da gravidade terrestre. Seu campo magnético também é de apenas 1% em relação ao campo gravitacional da Terra.

A atmosfera é bastante rarefeita, muito próxima do que consideramos o vácuo. A pressão atmosférica na Lua é em torno de 0,3 nPA. As estações do ano não são bem definidas, pois há regiões na Lua que estão sempre na face escura e outras, sempre iluminadas.

Relação da Lua com a Terra.

A Lua realiza um giro completo em torno da órbita da Terra. Esta volta tem uma duração de 27 dias para ser completada. Sua rotação é sincronizada com a Terra, de maneira que, o tempo necessário para efetuar o movimento de rotação é o mesmo para o movimento de translação.

Estas características lunares exercem diferentes influencias sobre a Terra. Podemos notar as fases da Lua, que é a variação da angulação em relação ao sol.

Além disto, a Lua exerce influencia sobre as marés, devido à variação entre a intensidade da gravidade da Terra e a gravidade da Lua.

Outro fenômeno que podemos visualizar a olho nu são os eclipses. Um eclipse ocorre quando a Lua, a Terra e o Sol estão perfeitamente alinhados. Quando a Lua está entre o Sol e a Terra, chamamos de eclipse solar. Isto ocorre somente na fase Lua nova. Quando a Terra se encontra entre o Sol e a Lua, denominamos eclipse lunar. Isto só ocorre na fase lua cheia.