Prefixos do Sistema Internacional de Unidades


Ao longo da vida, o ser humano necessita definir certas “medidas”, seja no dia a dia ou para uso científico. Um bom exemplo é quando você vai ao médico e ele te pede para subir em uma balança para constatar o seu peso e altura, ou simplesmente quando alguém pergunta a sua idade. Massa, comprimento e tempo representam grandezas que, para serem definidas, precisam de uma unidade de medida para representá-las. Foi dessa necessidade que surgiu o Sistema Internacional de Unidades (SI – original em francês: Système international d’unités). Este sistema constitui-se de sete unidades básicas de medida (e mais as suas derivadas) e representa o padrão mais usado no mundo atual.

Adaptado por volta de 1960 a partir do Sistema Decimal, o Sistema Internacional de Unidades toma por base a conveniência do número dez. Sua criação foi a responsável por trazer maior viabilidade para as relações internacionais que envolvem medidas. Rumores e estudos já corriam há algum tempo, mas foi na França que a ideia saltou do papel para o mundo real. Em 1875, instituiu-se em Paris a Convenção do Metro, assinada por 17 Estados e analisada por representantes de todos os países-membros. E a partir daí, os protótipos para medidas de cada unidade começaram a ser definidos, até chegarmos à atual configuração do Sistema Internacional de Unidades (SI).

Prefixos do Sistema Internacional de Unidades

Atualmente, as medidas base utilizadas são metro (comprimento), segundo (tempo), quilograma (massa), ampère (corrente elétrica), candela (intensidade luminosa), kelvin (temperatura termodinâmica), e mol (quantidade de matéria). Destas principais, derivam-se algumas menos comuns que definem energia, força, frequência, dentre várias outras. Também no dia a dia, empregamos unidades que não pertencem ao Sistema Internacional de Unidades, mas que são aceitas por ele para uso informal, como o dia, o ano, o litro e os graus celsius.

Sabemos que em matemática, alguns números, por tornarem-se longos demais (grande quantidade de zeros), precisam ser escritos em notações científicas. De acordo com o Sistema Internacional de Unidades, em caso de medidas, é possível utilizar um mecanismo que facilita o entendimento desses números (sem precisar contar zero por zero e nem utilizar a notação científica). São os chamados Prefixos.

Mas afinal, como utilizar esses Prefixos?

Ao falar em Prefixo, todo mundo lembra da aula de português, certo? Em português, prefixos são fragmentos que, quando colocados no início de outras palavras, podem modificar o seu sentido, pois cada prefixo tem o seu significado.

Com o Sistema Internacional de Unidades, funciona mais ou menos assim também. Para cada notação científica, adotamos um prefixo que a representa. Os Prefixos Oficiais do Sistema Internacional de Unidades são:

*1.0000 = 1 Unidade (Unidade base, não se utiliza Prefixo)

Unidades abaixo de 1:

*Deci = Décimo (d) = 1.000-1/3
*Centi = Centésimo (c) = 1.000-2/3
*Mili = Milésimo (m) = 1.000-1
*Micro = Milionésimo (u) = 1.000-2
*Nano = Bilionésimo (n) = 1.000-3
*Pico = Trilionésimo (p) = 1.000-4
*Femto = Quadrilionésimo (f) = 1.000-5
*Atto = Quintilionésimo (a) = 1.000-6
*Zepto = Sextilionésimo (z) = 1.000-7
*Yocto = Septilionésimo (y) = 1.000-8

Acima de 1 unidade:

*Yotta = Septilhão (Y) = 1.0008
*Zetta = Sextilhão (Z) = 1.0007
*Exa = Quintilhão (E) = 1.0006
*Peta = Quadrilhão (P) = 1.0005
*Tera = Trilhão (T) = 1.0004
*Giga = Bilhão (G) = 1.0003
*Mega = Milhão (M) = 1.0002
*Quilo = Mil (k) = 1.0001
*Hecto = Cem (h) = 1.0001/3
*Deca = Dez (da) = 1.0002/3

Para fazê-los funcionar, basta escrevê-los junto ao nome da unidade, como por exemplo, Decâmetro, Milimetro, etc. Fique atento ao utilizar prefixos com as unidades segundo e radiano, pois ao escrevê-los, o s e o r precisam ser dobrados, como por exemplo, milissegundo, decarradiano, etc.

O nome das unidades deve ser sempre escrito em letras minúsculas, e as letras que as representam são chamadas símbolos, nunca abreviações. Embora os nomes das unidades admitam plural (exemplo: 5 metros), seu símbolo deve ser grafado sempre no singular (5 m, e não ms ou mts).

Curiosidades

*Antes da criação de um sistema universal, cada país utilizava suas próprias medidas, representadas, muitas vezes, pelas partes do corpo do rei (pé, polegada, etc.).

*Os Estados Unidos, Myanmar e a Libéria são exemplos de países que empregam outras medidas, portanto não utilizam o Sistema Internacional de Unidades.

*O Reino Unido, embora tenha adotado o Sistema Internacional de Unidades, utiliza-o apenas parcialmente, não tendo intenção de substituir todas as suas medidas.

*A União Europeia estabeleceu, a partir de 2009, o uso do Sistema Internacional de Unidades como medidas legais para o comércio. Entre 1971 e 1979, foram lançadas duas diretivas que catalogaram essas medidas para serem utilizadas como padrão mundial também para atividades comerciais.

*A letra k, quando empregada nos símbolos de quilograma, quilômetro, etc. deve ser sempre grafada em letra minúscula, diferente do K (maiúsculo) utilizado em informática para indicar bits e bytes. Neste último caso, a contagem baseia-se em 1024 unidades, e não 1000.