Resumo da Segunda Lei de Newton


Isaac Newton foi um importante cientista inglês que se dedicou aos estudos da Filosofia, Astronomia, Matemática, Ótica e Física, dando grandes contribuições a todas essas áreas de conhecimento. Entre as pesquisas de Newton que mais obtiveram notoriedade, destacam-se: a decomposição da luz branca pelos prismas, o teorema do binômio e do cálculo integral e diferencial, o telescópio de reflexão e a formação de uma hipótese sobre a natureza da luz.

Mas não se pode negar que muita gente conhece esse cientistas pelas famosas três leis de Newton, que realmente são fundamentais para os estudos físicos e matemáticos. Vamos ver agora um resumo da Segunda Lei de Newton e entender mais sobre as suas aplicações.

Segunda Lei de Newton

Resumo da Segunda Lei de Newton – conceito geral

A Segunda Lei de Newton é enunciada da seguinte forma: “A força resultante que atua sobre um corpo é proporcional ao produto da massa pela aceleração por ele adquirida”. Ela é conhecida como “princípio fundamental da dinâmica”. É possível expressar esse conceito por meio de uma fórmula largamente utilizada:

Fr = m . a
Em que temos:
Fr = força resultante
m = massa
a = aceleração

Isso significa que quando há um interesse em alterar o chamado estado de movimento de um corpo, é necessário aplicar sobre ele uma força, cuja intensidade vai variar, dependendo da massa desse corpo. E onde entra a aceleração nesse caso? Sabemos que a aceleração significa variar a velocidade dentro de um determinado período de tempo e para que isso aconteça, é necessário que uma força seja exercida sobre um objeto, caso contrário, a sua velocidade vai permanecer constante.

Vale lembrar que dentro do contexto da Segunda Lei de Newton, a aceleração deve ter a mesma direção e sentido da força que foi aplicada sobre o corpo. Isso é muito importante! Se a resultante das forças tiver direção horizontal e sentido para a direita, a aceleração também será horizontal e para a direita.

Também é importante perceber que a força resultante, a aceleração e a massa, nessa lei, são grandezas diretamente proporcionais. Isso significa, por exemplo, que quanto maior for a resultante das forças aplicadas, maior será a aceleração que o corpo vai adquirir.

Não se esqueça de que não estamos falando de apenas uma força. Hipoteticamente, pode até ser que um corpo seja submetido a uma única força, mas normalmente será mais de uma, sendo que o valor resultante da soma delas é o que vai nos interessar na Segunda Lei de Newton.

Vamos ver um exemplo mais prático: se uma força resultante de 8N for aplicada sobre uma partícula de 0,5 quilos, qual será a aceleração que essa partícula vai poder adquirir? Vamos calcular com a nossa fórmula:

Fr = m . a
8 = 0,5 . a
a = 8/0,5
a = 16 m/s2

Perceba que todas as unidades usadas na fórmula devem ser colocadas conforme o Sistema Internacional de Unidades, em que a força é dada em Newton, a massa é dada em quilogramas e a aceleração é dada em m/s2.

Como esse resumo da Segunda Lei de Newton, nós podemos chegar a um outro conceito muito presente na física e em nosso cotidiano, que você vai ver qual é agora!

Resumo da Segunda Lei de Newton – a força peso

Certamente você já ouviu alguém falar: o peso dessa sacola que estou carregando é de um quilo, ou algo do gênero. Isso é um grande equívoco, porque peso e massa não são a mesma coisa! Você pode dizer que um quilo é a massa da sacola e não o peso, visto que esse último termo representa uma força, justamente a força peso.

A força peso nada mais é do que a atração com a qual o planeta atrai qualquer corpo que está em sua superfície e é atraído por ele também (ação e reação). Você vai entender qual é a relação entre esse conceito e a Segunda Lei de Newton quando vir a equação que é usada para definir a força peso:

P = m . g

Em que temos:

P = força peso
m = massa
g = aceleração da gravidade

Ora, temos uma força que é determinada pela multiplicação da massa do corpo por uma aceleração, que é justamente a ideia da Segunda Lei de Newton.

Perceba que a massa de um corpo é fixa, não muda, é a mesma em qualquer lugar, mas o mesmo não acontece com o peso. Tomando a aceleração da gravidade terrestre como 10 m/s2 (valor arredondado), um corpo de dois quilos aqui terá peso de 20 N (2 . 10). No entanto, se esse mesmo corpo for levado para algum outro planeta, em que a aceleração da gravidade é diferente, por consequência, seu peso também terá um valor diferente.

Lembrando: peso é dado em Newton porque também é uma força e não massa, mais um motivo para nunca dizer que algo PESA x quilos!