Segunda lei de Ohm


Neste artigo você vai descobrir o que é a segunda lei de Ohm. Mas antes irá aprender algumas curiosidades como, por exemplo, quem foi o cientista que desenvolveu tanto a primeira quanto a segunda lei de Ohm, que são tão importantes para o estudo da eletricidade e suas aplicações.

O que é Ohm

Antes de falar precisamente sobre o que é a segunda lei de Ohm, vamos aprender qual é o símbolo de Ohm e quem foi o cientista que desenvolveu os cálculos que recebem seu nome.

Ohm era o sobrenome de um cientista alemão chamado Georg Simon Ohm, que vivem entre os anos 1789 e 1864. Professor de física experimental e matemática, ele foi o responsável por muito do que sabemos e compreendemos hoje de troca de energia elétrica em sistemas.

Ohm

Foi George Simon Ohm quem criou a primeira teoria sobre a condução de eletricidade em circuitos. Isso ocorreu depois que ele fabricou um pequeno experimento, no qual fios metálicos de diferentes tamanhos foram usados para medir a energia que passava por eles. O experimento foi algo extremamente simples ele somente ligava uma tensão elétrica qualquer nos diferentes fios. Ao fazer diferentes testes e medições, Ohm concluiu que quando alterava a corrente elétrica, a tensão também se alterava de forma matematicamente igual todas as vezes, pois possuía uma razão constante, que resultava do valor da tensão elétrica aplicada ao valor da corrente. Este resultado entre esta divisão foi chamado de resistência elétrica.

George Simon Ohm foi um cientista muito importante que foi responsável por revolucionar o estudo da eletricidade. Porém infelizmente, como muitos outros cientistas, acabou falecendo sem receber o devido mérito aos seus estudos e experimentos. A lei de ohm na verdade são duas e são consideradas por alguns estudiosos como sendo as mais importantes leis para a compreensão da eletricidade. Os cálculos de Ohm ainda hoje são os mais utilizados nos cálculos elétricos.

O Ohm é unidade de medida padrão, utilizado para medir a resistência elétrica existente e também a que é correspondente ente uma tensão – medida em volts – por uma corrente – medida em ampéres. Isso acontece independentemente de se tratar de um condutor ou isolante. O Ohm é ilustrado pelo símbolo Ω, que é a letra grega ômega maiúscula.

A segunda lei de Ohm

As leis de Ohm são duas e podem ser chamadas de primeira e segunda lei de Ohm ou somente lei de Ohm, quando englobamos as duas de uma vez só. Elas dizem respeito a exatamente o experimento simples que ele fez e que citamos anteriormente, medindo os diferentes valores de tensão e corrente e verificando se havia alguma relação entre elas.

A primeira lei de Ohm fala que para ser verdadeiro, um condutor que seja mantido à temperatura ambiente deve ser chamado de condutor ôhmico. A resistência que existe neste condutor ôhmico pode ser expressa como na fórmula a seguir:

R = V/I

Nesta fórmula a letra R representa a resistência elétrica, sempre medida em Ohm. A letra V é exatamente a diferença de potencial elétrico, também chamado de tensão, sempre medida em Volt, e por último, a letra I da fórmula é o valor da intensidade da corrente elétrica, que por sua vez deve ser sempre medida em ampére.

Já a segunda lei de Ohm descreve as grandezas que são capazes de influenciar a resistência elétrica existente em um condutor. O enunciado da segunda lei de Ohm diz que a resistência elétrica que existe em um condutor de secção transversal constante é sempre proporcional à natureza do material que é feito e ao seu comprimento. Além disso, a resistência elétrica dele será inversamente proporcional à área de sua secção transversal. Em diferentes tipos de material, também pode ser inversamente proporcional à temperatura.

Ou seja, em um condutor cilíndrico, quando o comprimento for maior e a secção transversal for menor, a resistência será menor do que quando o comprimento for menor e a secção transversal for maior.

Portanto, a segunda lei de Ohm pode ser expressa como na fórmula a seguir:

R = p.l / A

Nesta fórmula consideramos a letra minúscula p como sendo a resistividade (muda de acordo com a natureza do material e temperatura), a letra l, também minúscula representa a largura do condutor e a letra maiúscula A representa a área da secção transversal.

A resistividade é considerada uma constante do material que está sendo analisado, porém conforme falamos ela pode variar de acordo com a temperatura que ele se encontra. Os metais mais utilizados para condução de corrente elétrica são o Cobre, tungstênio, ouro e prata e cada um deles possui diferentes resistividades.

As duas leis de Ohm se complementam e é muito complicado compreender como funcionam se forma separada. Caso tenha ficado alguma dúvida, procure o artigo no qual explicamos a primeira lei de Ohm e tudo ficará muito mais claro.