A região Centro-Oeste


Informações Gerais

Considerada a segunda maior no quesito “extensão territorial”, a região Centro-Oeste do Brasil é formada pelos estados de: Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás e Distrito Federal.

Diversos historiadores consideram que a maior mudança ocorrida na região se deu na década de 1960, quando a capital do país deixou de ser o Rio de Janeiro (no Sudeste) e passou a ser Brasília (no Distrito Federal, Centro-Oeste). As principais transformações envolvem aumento populacional e a construção de rodovias e estradas.

Centro-Oeste

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) a taxa de urbanização gira em torno de 81%. Mas, apesar desse valor parecer alto a região Centro-Oeste é a menos populosa de todas as cinco, contando com 14 milhões de moradores, e desses, 2,5 milhões vivem em Brasília, cidade mais populosa da região. Em virtude da imensa extensão territorial e da pouca população, a região Centro-Oeste apresenta consideráveis “vazios demográficos”.

Abaixo listaremos detalhadamente mais algumas características do local, vamos lá?

Um pouco de história não faz mal a ninguém

O Centro-Oeste do Brasil foi habitado primeiramente por índios e, posteriormente, pelos chamados “bandeirantes”.

As primeiras vilas se formaram em virtude da descoberta de minas de ouro, na sequência tais vilas foram transformadas em arraias, e por fim, elevadas a condição de municípios. Outro aspecto importante com relação à povoação do local foi o surgimento de fazendas, de propriedade de latifundiários mineiros e paulistas, que aproveitaram a região para criar gado.

E, como mencionado no primeiro tópico, a edificação de Brasília contribuiu, e muito, para que a região ganhasse mais moradores, e então se desenvolve-se econômica e socialmente.

Atualmente o Centro – Oeste conta com três grandes regiões metropolitanas: Goiânia (capital de Goiás), Cuiabá (capital do Mato Grosso) e a RIDE do Distrito Federal.

Relevo da região

O Centro-Oeste não destoa totalmente do restante do país com relação ao relevo, apresentando altitudes baixas, as quais não ultrapassam os mil metros. Além disso, a região é composta de três relevos tônicos: Planalto Central, Planalto Meridional e Planície do Pantanal.

a) Planalto Central: Quem nunca tentou decorar a letra de “Eduardo e Mônica”, canção da banda de rock brasiliense Legião Urbana? Pois bem, se você já tentou essa façanha certamente lembra do seguinte verso: “(…) Ela falava coisas sobre o Planalto Central também magia e meditação (…)”. É exatamente sobre esse Planalto que vamos falar agora.

Ocupando grande parte da região Centro – Oeste tem sua formação em blocos de rochas do tipo “cristalinas”, encobertas pelas chamadas “rochas sedimentares”. O relevo dessa região é “ondulado”, mas também há locais de “chapada”, como por exemplo, a “Chapada dos Veadeiros”.

b) Planalto Meridional: considerado dono das terras mais produtivas da região, o Planalto Meridional estende-se da região Sul até os estados de Goiás e Mato Grosso do Sul.

c) Planície do Pantanal: local inundado pelo Rio Paraguai em determinados períodos, localiza-se entre o Planalto Meridional, o Central e o chamado “relevo pré-andino”.

Mais um pouco de geografia: clima

Considerados por muitos uma região extremadamente quente e seca o Centro – Oeste é classificado como possuidor de clima tropical, apresentando verões chuvosos e invernos muito secos.

Entretanto essas características não são válidas para toda extensão desse grande território, à Noroeste da região, por exemplo, há a presença do clima equatorial, isso em virtude da proximidade com a Floresta Amazônica.

As chuvas variam de dois a três mil milímetros ao norte do Mato Grosso e pouco mais de 1.200 milímetros no Pantanal.

Há ainda as peculiaridades do Planalto Central que apresenta o clima do tipo “tropical de altitude”, nessas regiões, inclusive, pode até mesmo ocorrer formação de geada. Já a Planície do Pantanal apresenta verões extremadamente quentes, classificados, inclusive, como os mais quentes de toda América do Sul.

A vegetação

Assim como o clima, as peculiaridades são muitas, no quesito “vegetação” da região Centro – Oeste. No Norte e Oeste, por exemplo, fica a floresta do tipo amazônica, contudo, uma boa parte da região é coberta por vegetação rasteira e cerrado.

Há ainda uma região no Mato Grosso do Sul denominada vacarias, local com campos limpos, muito semelhantes aos famosos pampas gaúcho. As vacarias possuem uma diversidade de vegetação: campos, caatinga e cerrado. No verão tais regiões têm tendência a ficar alagadas.

Economia

A principal atividade econômica, em constante desenvolvimento na região, é a criação de gado. Só para se ter ideia da força da pecuária no Centro-Oeste, estima-se que existam 70 milhões de cabeças de gado em toda região. Mas, é importante salientar que o setor agrícola também não fica atrás, e hoje, já representa uma grande fatia econômica na região.

Há ainda a atividade extrativista com exploração mineral e vegetal, ocorrendo a extração da borracha, e também das chamadas “madeiras de lei”, como mogno, cedro e imbuia, por exemplo.

Apesar do curto espaço para falar da grandiosidade da região Centro – Oeste esperamos ter contribuído com suas pesquisas. Até a próxima!.