Imigração Polonesa no Brasil


Nos dias de hoje, estima-se um altíssimo número de descendentes de poloneses – são cerca de 3,5 milhões espalhados por todo o País. Por mais que a imigração polonesa no Brasil não chegue a números tão altos, como foi o caso dos italianos e portugueses, por exemplo, o legado desse povo europeu deixou suas marcas culturais por nosso território.

Foi entre os anos de 1841 e 1971 que a imigração polonesa no Brasil ocorreu em um número, no mínimo, expressivo. Foram duas fases de imigração que ficaram conhecidas como “febre brasileira”. A primeira data foi no fim do século XIX e, a segunda, já no começo do século XX.

Imigração Polonesa

O que levou a “desistência” da própria nação para os poloneses?

A expectativa dos poloneses, ao vir para o Brasil, era começar uma nova vida, com emprego e família. Nesse período, o país enfrentava uma série de problemas socioeconômicos, marcados principalmente pela divisão da Polônia em três países: Rússia, Áustria e Prússia. Muitas foram as formas pelas quais a cultura polonesa tentou ser eliminada na região, proibindo a religião e língua dos seus moradores.

Dessa forma, acuados e sem ter para onde correr, os poloneses viam no Brasil a solução para a imigração já que, nesse mesmo período, nossa nação estava incentivando a imigração.

No início, precisamente no ano de 1869, as terras brasileiras serviram de abrigo para um grupo composto por 16 famílias, que se instalaram na região em que hoje está a cidade de Brusque, no estado de Santa Catarina. Com problemas envolvendo o clima e a própria situação financeira, apenas dois anos depois, eles se mudaram para o Paraná.

Já a metade do século XIX ficou marcada como período em que o Império Brasileiro dava grande valor para a mão de obra dos europeus. Com muitas leis criadas para proibir o trabalho escravo em nosso país, a nossa perspectiva de trabalho começou a mudar. E a solução? Apostar nos trabalhadores europeus para substituir a mão de obra escrava, como foi o caso dos poloneses, por exemplo.

Os imigrantes poloneses chegavam ao Brasil, na maioria dos casos, fugidos. Em nossas terras, os brasileiros passavam por dificuldades para garantir a ocupação total das lavouras. Então, o Brasil lançou uma proposta no mínimo interessante para os europeus, prometendo terras para o cultivo. Isso garantia trabalho aos milhares de indivíduos que chegaram ao País no século. A estimativa foi de entrada de mais de 130 mil imigrantes poloneses no Brasil nesse período.

O desenrolar da imigração polonesa

Até cerca de 1890, os poloneses só chegavam ao território brasileiro em pequenos grupos, se instalando preferencialmente nas regiões Sul e Sudeste, nos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo. Grande maioria deles saia de terras superlotadas.

Mas foi a partir dessa data que os imigrantes poloneses no Brasil começaram a chegar a um número maior e há uma estimativa que, dentro do período de apenas um ano, 30 mil deles se instalaram em todos esses estados.

Como já visto anteriormente, no começo os imigrantes poloneses entravam no Brasil com a promessa de terras para cultivo, ou seja, trabalhariam com a produção agrícola. Porém, o número de imigrantes foi tão alto que o Brasil teve que reformular como seria a organização do trabalho, colocando os trabalhadores europeus para trabalhar na construção de igrejas, escolas, vilas e outros comércios.

Algumas curiosidades interessantes

• A relação entre os brasileiros e os poloneses sempre foi muito positiva, tanto que no ano de 1918, quando a Polônia conquistou finalmente a Independência e voltou a ter o seu território livre, muitos foram os imigrantes poloneses que comemoraram a conquista em nosso país. Apenas três anos depois, uma grande figura assumiu o cônsul polonês, o Kazimierz Gluchowski.

• Os poloneses se instalaram principalmente nas regiões Sul e Sudeste do País por um motivo bem peculiar: os fenômenos climáticos eram mais similares com o da Polônia.

• A cidade brasileira que teve a maior concentração desse povo foi a capital do estado do Paraná, Curitiba. Além disso, ela é também a segunda cidade em todo o mundo com maior número de poloneses, ficando atrás unicamente da própria Polônia.

• Em terceiro no ranking vem a cidade de Chicago, no território norte-americano. Os outros estados da região sul brasileira também sentiram com grande expressão a imigração polonesa no Brasil, no caso, os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

• E, por mais que o grande legado dos povos poloneses tenha sido deixado no estado do Paraná, o primeiro grupo que chegou ao País se instalou na pequena cidade de Brusque, em Santa Catarina. Os grupos poloneses se instalaram junto com os imigrantes alemães, na colônia de Blumenau.

• Uma das heranças polonesas mais significativas para a nossa cultura foi uma bebida alcoólica: a vodca. Muitas são as dúvidas acerca da origem dessa bebida, mas os poloneses defendem a todo custo que são os criadores dela.