Resumo do Rio São Francisco


O rio São Francisco é um dos cursos de água mais importantes do Brasil e de toda a América do Sul, pois passa por cinco estados e 521 municípios. Chamado carinhosamente por Velho Chico nasce na Serra da Canastra, na cidade de São Roque das Minas, num local denominado Chapadão da Zagaia, em Minas Gerais.

A uma altitude de mais ou menos 1200 m, o rio possui uma extensão de 2800 km e atravessa os estados de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas e vai desembocar no oceano Atlântico. Para entender melhor o quão importante ele é, será feito um resumo do rio São Francisco.

Rio São Francisco

Velho Chico: características e seus principais afluentes

Este histórico rio possui grande importância econômica, social e cultural para os estados por onde passa, uma vez que é usado para a navegação, irrigação de plantações e lugares áridos e para a pesca. Na sequência, um resumo do rio São Francisco quanto a sua importância econômica.

Também conhecido como rio da integração nacional, é através desse processo que se torna possível o transporte de produtos e mercadorias como açúcar, arroz, sal, soja, areia, cimento, madeira, manufaturados e alguns tipos de minérios. Como consequência, os ribeirinhos que moram na região do Vale do São Francisco juntamente com as cidades de Petrolina, em Pernambuco e Juazeiro, na Bahia estão crescendo, avançando e progredindo em função da agricultura irrigada.

Outra contribuição importante que o rio traz para essa região se refere à agricultura. Atualmente, ela é considerada como a maior produtora de frutas tropicais do Brasil e possui grande destaque para a produção de vinho. Isso acontece porque essa é uma das poucas regiões do mundo a obter duas safras de uva por ano.

O rio São Francisco banha cinco estados e possui um total de 168 afluentes. Desses, 90 são pela margem direita e 78 pela margem esquerda. Abaixo um resumo do rio São Francisco tendo como base os seus principais afluentes:

• Rio Paraopeba: o nome é de origem tupi e quer dizer rio largo: para (rio) e popeba (largo);
• Rio Abaeté: possui a sua nascente na Mata da Corda e também é característico por ser um rio com garimpo de diamantes e por possuir fortes correntezas;
• Rio das Velhas: considerado o maior afluente em extensão do rio São Francisco, têm as suas nascentes localizadas na cachoeira das Andorinhas, na cidade de Ouro Preto;
• Rio Jequitaí: suas águas abastecem alguns pequenos municípios ao redor. Ainda, possui quedas d’água e a vegetação ao seu entorno é de cerrado e de campos rupestres;
• Rio Paracatu: caracterizado como o afluente mais impetuoso do rio São Francisco, seu nome tem origem tupi-guarani e quer dizer rio bom;
• Rio Urucuia: por ser derivada do urucum, planta usada pelos índios para pintar o corpo, Urucuia quer dizer águas vermelhas ou rio vermelho;
• Rio Verde Grande: nasce no município de Bocaiúva, em Minas Gerais, sua foz fica no município de Malhada, na Bahia e a sua bacia é formada por 35 municípios;
• Rio Carinhanha: considerado como o quinto maior afluente do rio São Francisco, nasce no estado de Minas Gerais, perto do Parque Nacional Grande Sertão Veredas;
• Rio Corrente: possui mais ou menos 120 km de extensão entre o encontro dos rios Formoso e Correntina e a sua foz, no rio São Francisco;
• Rio Grande: os afluentes que nascem nessa área da bacia têm, na grande maioria, regime de escoamento intermitente;
• Rio Pará: a bacia desse rio é uma das mais importantes do Rio São Francisco, uma vez que abrange 38 municípios.

O lado triste do rio São Francisco

Infelizmente, o estado de degradação em que o rio se encontra já é bastante presente. Por isso, tendo como base o descuido das pessoas, vai ser feito um resumo do rio São Francisco para finalizar este artigo.

As queimadas e os desmatamentos, principais formas de prejudicar o rio, contribuem para o assoreamento do São Francisco. Da mesma forma, a ação de mineradoras, através dos agrotóxicos, esgotos industriais e domésticos e pela região metropolitana de Belo Horizonte também afetam o rio. Ainda, projetos mal feitos de irrigação contribuem para a diminuição do volume de água e para o desaparecimento da navegação em alguns locais e épocas do ano.

O problema da devastação pode ser observado, além do Médio São Francisco, entre os estados de Minas Gerais e Bahia, em vários outros pontos ao longo da bacia como, por exemplo, em São Gonçalo do Abaeté, Pompéu, Abaeté e Felixlândia. Com o desmoronamento das barrancas, o reflexo direto se dá com o rio ficando mais largo e menos profundo.

Como se não bastasse, há casos de intoxicação de moradores e peixes. Isso acontece porque a água que é utilizada nos processos químicos das indústrias e na mineração volta para os rios. Logo, metais pesados como zinco, chumbo e cobre contaminam a carne dos animais marinhos e são acumulados pelos órgãos humanos.