Vulcanismo no Brasil


O vulcanismo é um fenômeno de caráter natural provocado por uma combinação de inúmeras variações de temperatura e pressão do magna que está no interior do nosso planeta. Nos dias de hoje, o vulcanismo não é um efeito considerado comum, sendo ele –felizmente – cada vez mais extinto.

Características do vulcanismo

O relevo terrestre foi formado, pela primeira vez, há milhões e milhões de anos em uma época caracterizada de “passado geológico da Terra”. As forças que agem nesse sentido podem ser tanto externas quanto internas. As primeiras são provocadas tanto pelo vento, como pela água, enquanto as segundas são internas e provocadas por abalos sísmicos, tectonismo e vulcanismo – que estudaremos neste artigo.

Vulcanismo

O vulcanismo é considerado um agente interno que envolve a transformação no relevo. Sua principal causa são as variações da temperatura, além da magna, como já vimos anteriormente. As erupções dos vulcões reagem e causam a expulsão desse agente de dentro do planeta Terra. E quando esse componente entra em contato com o ar oxigênio frio de nossa superfície, ele acaba endurecendo e formando uma estrutura piramidal de vulcão.

O vulcanismo no Brasil

Nos dias de hoje o Brasil está localizado em meio a uma placa tectônica Sul-Americana, que é uma região geograficamente protegida e estável no que se refere à possibilidade desse efeito.

Sendo assim, hoje o nosso território não sofre qualquer tipo de risco de atividade vulcânica, mesmo que no passado a ideia fosse totalmente contrária. A região está protegida já há mais de 80 milhões de anos, sendo que o último vulcão aqui registrado foi responsável por formar uma série de ilhas no Oceano Atlântico do nosso país, como é o caso de Trindade ou Fernando de Noronha, por exemplo.

Atualmente, a maior incidência de vulcões acontece nas partes geológicas mais instáveis, como aquelas localizadas nas bordas das placas tectônicas.

E por que o Brasil fica fora dessa?

Em nosso território, os vulcões não são ativos por um motivo bem claro: o relevo nacional passou pelo processo de formação em períodos geológicos muito antigos, o que faz com que eles não causem qualquer tipo de transtorno nos dias atuais.

Os vulcões mais antigos de nosso país hoje são vistos unicamente como pontos turísticos, e ainda estão entre os mais belos oferecidos pelo nosso território. Bem velhos e quase que já esquecidos em nossa memória, eles foram desenvolvidos e moldados principalmente pela ação do próprio tempo.

No Brasil, as formações geológicas vulcânicas criadas ocorreram em uma fase em que nós nem sequer conhecíamos a nossa localização no espaço. Durante a Era Mesozoica, o derramamento vulcânico ocorreu principalmente nas regiões Sul e Sudeste da nossa nação. Foram eles ainda que causaram terras extremamente férteis nesses estados, principalmente envolvendo a terra roxa, em Porto Alegre.

Na Era Cenozoica, os períodos de vulcanismo no Brasil voltaram a se manifestar, no período terciário. As erupções vulcânicas foram as responsáveis pela formação de algumas ilhas da nossa costa litoral, sendo alguns exemplos na região de São Paulo, São Pedro, Trindade e a própria ilha de Fernando de Noronha, um dos pontos turísticos mais visitados não só na América Latina, como em todo o mundo.

Mesmo que menos conhecidas, outras regiões também foram afetadas por atividades de vulcanismo no Brasil, como é o caso de:

• Poços de Caldas;

• Araxá (MG);

• Cabo Frio, no Rio de Janeiro;

• Lages – Santa Catarina;

• São Sebastião, em São Paulo.

Na Região Sul do País foi onde ocorreram os maiores derrames basálticos de todo o Brasil, abrangendo cerca de um milhão de quilômetros quadrados, dando início no estado de São Paulo e se estendendo até o Rio Grande do Sul. As principais manifestações, nesse sentido, estão na Região de Torres.

Uma curiosidade interessante sobre o vulcanismo no Brasil é que a própria Bacia Amazônica também acabou sendo afetada, uma vez que as atividades vulcânicas também chegaram a essa área.

Quais são os materiais expelidos pelas atividades de vulcanismo?

Para que você entenda melhor como funciona o vulcanismo no Brasil, confira quais são os tipos de materiais que saem dos vulcões quando eles estão em atividade:

• Fumarolas – nuvens com temperaturas altíssimas e bem ardentes, que chegam a até 800 graus;

Gases e vapores – Os vapores de água são os mais significativos, sendo eles de 80 a 90% na maioria dos casos;

• Material piroclástico – assim como bombas ou blocos, são fragmentos de rochas jogados na superfície a partir da atividade vulcânica;

• Lavas – o mais comum entre todos, é um material magmático lançado na superfície da Terra em estado de fusão;

• Gêiseres – certamente, um dos fenômenos mais fantásticos – e, também, bonitos. Os gêiseres nada mais são do que fontes que expelem jatos quentes de água, seja de forma intermitente ou com continuidade. A sua ocorrência é diretamente relacionada com áreas vulcânicas, e podemos encontrá-los com frequência no Chile, por exemplo.