A Estação Vostok


A estação Vostok é uma base de pesquisas russa instalada na Antártida, que é o continente mais meridional do nosso planeta. Esse centro de investigação foi inaugurado em 16 de dezembro de 1957 por Vasiliy Semenovich Sidorov, que depois viria a liderar muitas vezes a estação. Atualmente, a Rússia não comanda mais a Vostok sozinha. O espaço, considerado a base de estudo mais afastada de convívio humano, é compartilhado com os Estados Unidos e também com a França. A estação foi batizada em homenagem ao saveiro movido à vela chamado “Восто́к”, que significa Oriente na língua russa. Essa embarcação foi parte importante da Expedição Antártica que realizou seu deslocamento para a região entre os anos de 1819 e 1821.

Estação Vostok

A estação foi instalada numa localização estratégica e privilegiada do continente antártico. Ela fica a 1253 quilômetros de distância do Polo Sul e a 1260 quilômetros do litoral mais próximo. Foi a base Vostok que documentou a temperatura mais baixa já registrada na Terra em 21 de julho de 1983, -89,6•C, recorde que só foi superado em 2010. Devido ao frio extremo, é praticamente impossível chegar à Antártida no inverno. Por isso, os estudiosos permanecem isolados por todo esse período, sem poder contar com suprimentos ou assistência externa. No verão, quando a temperatura é um pouco mais amena, a carga chega aos exploradores por meio de aviões. Em outras épocas, são usados trenós e tratores-comboio para esses deslocamentos. Durante a estação mais quente, a estação chega a abrigar em torno de 25 pessoas, entre pesquisadores e construtores atraídos pela possibilidade de observar o continente gelado. No inverno, porém, esse número fica restrito a 13 pessoas por causa das condições climáticas de difícil adaptação, além da insuficiência de provisões para todos. Outro problema é que qualquer equipamento tem grande possibilidade de congelar. Portanto, o período é pouco produtivo para os cientistas.

• A estação Vostok foi instalada em 1957 pelos russos;
• Ela está a 1253 quilômetros de distância do Polo Sul e a 1260 quilômetros da costa;
• No verão, a estação chega a abrigar 25 pessoas entre cientistas e empreendedores, no inverno, esse número cai para 13.

Informações sobre o clima na estação Vostok

Conforme já descrito, a estação Vostok ocupou por décadas o posto de local mais frio do extremo sul e, consequentemente, de toda a Terra. No momento, essa posição foi tomada pela estação japonesa Valkyre Dome (Fuji Dome), baseada na Antártida. Em 10 de agosto de 12, a Valkyre Dome documentou a temperatura mínima de -92º•C. As informações foram registradas por um satélite da NASA, Landstat 8. Como é característico do clima polar, as temperaturas na base de pesquisa Vostok são muito baixas durante o ano inteiro, mas apresentam grandes variações. A média anual de temperatura na região é de -50ºC (-58ºF), com máximas que ficam em torno de -30ºC (-22ºF) no verão. No inverno, a mínima é -70ºC (-94ºF). A temperatura mais alta já constatada na Vostok foi de -22ºC (-8ºF), em janeiro, que costuma ser o mês de frio menos intenso. As baixíssimas temperaturas são constantemente acompanhadas de ventanias fortes. Já as precipitações são fenômenos quase inexistentes. Quando elas ocorrem, vêm sempre em forma de neve.

• A estação Vostok fica em um dos pontos mais frios da Terra;
• As temperaturas variam entre -30ºC no verão e -70ºC no inverno;
• Os ventos fortes são constantes;
• Precipitações caem em forma de neve;

Estudos científicos realizados na base

Em decorrência de sua localização próxima ao polo magnético da Terra, a estação Vostok se encontra num dos pontos mais indicados para estudos sobre mudanças no campo magnético do planeta.

Os principais trabalhos desenvolvidos na base são nas áreas que visam pesquisar sobre alterações climáticas, sobre o buraco na camada de ozônio da Terra e suas consequências, como a elevação no nível de água dos oceanos. Os estudiosos também procuram aprimorar conhecimentos acerca do aproveitamento de recursos minerais e hidrocarbonetos. Na Antártida, são feitas ainda pesquisas sobre reservas de água potável, bem natural tão valioso para a sobrevivência de todos os seres. Por fim, os exploradores estabelecidos no centro de investigação Vostok conduzem análises glaciológicas, para avaliar o comportamento das geleiras, e geofísicas, com o intuito de conhecer a estrutura física e os processos dinâmicos da localidade.

Embaixo da estação, estudiosos descobriram uma grande massa de água subglacial. Por causa de sua localização, os pesquisadores demoraram muito tempo para encontrar esse lago, batizado também de Vostok. Somente em 1996, foi possível ter a noção de sua dimensão. Ele tem forma elíptica e cobre uma área de mil km², medida que o torna o maior entre os 150 lagos existentes sob a superfície continental da Antártida. Em 5 de fevereiro de 2012, após mais de vintes anos de perfurações, os cientistas russos conseguiram finalmente chegar ao lago através de um núcleo de gelo. Ele segue até hoje como uma das poucas zonas por serem exploradas no planeta.

• Estudos relativos aos campos magnéticos da Terra;
• Observações geofísicas e glaciológicas;
• Pesquisas sobre hidrocarbonetos e recursos naturais;
• Análise de mudanças climáticas, bem como de seus efeitos;
• Estudo sobre aproveitamento de água potável
•.O maior lago do continente, chamado Vostok, fica embaixo da estação;
• Em fevereiro de 2012, cientistas encontraram o lago sob a estação.