Bauxita


A Bauxita é uma mistura bem natural de óxidos de alumínio, que antigamente era considerada como um mineral. Além de ter em sua composição óxido de ferro, silicato de alumínio, sílica, e dióxido de titânio, esse minério possui em quantidades menores, outras impurezas.

O nome bauxita é originário da aldeia onde este minério foi encontrado pela primeira vez, no ano de 1821, em Les Baux de Provence, na região da França meridional. No ano de 1991, apenas 170 anos após o seu descobrimento pelo geólogo Pierre Berthier, a Franca encerrou

por completo a exploração deste minério.

No ano de 2007, a Austrália foi considerada o maior produtor de bauxita do mundo todo, dominando cerca de um terço de tudo que era produzido pelo mundo. O aumento de alumínio vem se dando de maneira rápida, por isso, as reservas de bauxita espalhadas no mundo são totalmente suficientes para que por muitos séculos, a demanda mundial de alumínio ainda seja atendida.

Bauxita

O que é a bauxita?

Para quem não conhece, a bauxita é uma rocha de cor avermelhada, que é formada principalmente por Al2O3, conhecido também como óxido de alumínio, e de demais compostos, só que em quantidades menores.

Descoberto no ano de 1821, pelo mineralogista e geólogo francês chamado de Pierre Berthier, a bauxita é considerada a fonte principal e natural de alumínio, que por sua vez, é o terceiro elemento mais farto na nossa natureza. Em consequência disso, a maior parte do que é extraído em caráter mundial, é destinado para que esse elemento seja obtido. Para que a bauxita seja aproveitável de maneira econômica, ela deve apresentar em sua composição, pelo menos cerca de 30% de óxido de alumínio.

A formação de bauxita é um resultado da degeneração das rochas alcalinas. Esta decomposição é causada através da infiltração das chuvas em rochas, isso é claro, ao longo de milhões e milhões de anos. A cor vermelha da bauxita é influenciada pela presença de óxidos de ferro em sua composição. Por isso, as bauxitas brancas são aquelas que apresentam entre 2 a 4% de óxido de ferro em sua composição e as bauxitas vermelhas, são aquelas que apresentam em sua composição até 25% de óxido de ferro.

Se a bauxita fosse considerada um mineral, ela seria caracterizada como o terceiro encontrado em maior quantidade na natureza. No entanto, ele é considerado um recurso natural de muito valor, sendo que pouco mais de 90% de todo esse minério extraído é destinado para a fabricação de alumínio. Mas, esse processo é muito caro, já que para se produzir uma tonelada de alumínio, é necessário a utilização de 5 toneladas de bauxita.

Algumas outras matérias primas também são potenciais fontes de alumina, como por exemplo o óleo de xisto, a alunita, os rejeitos de carvão e o anortosito. Embora estas novas matérias primas possam requerer uma nova tecnologia, a alumina presente na composição destes seria capaz de suprir a demanda para substâncias químicas de alumínio, de refratários, de abrasivos e de metal primário.

Como se dá o processo para a obtenção de alumínio

São três as etapas que giram em torno do processo para se obter alumínio a partir do recolhimento da bauxita.

A primeira etapa é a extração da bauxita. Esta parte do processo se dá através de máquinas moto niveladores, mas antes que seja iniciada a sua extração, toda a vegetação e toda a terra que está acumulada nos depósitos desse minério são removidos. Depois desse processo, a bauxita é transportada e em seguida armazenada.

A segunda etapa do processo para obtenção de alumínio se dá pelo fato de moer e de misturar a bauxita com uma solução de soda cáustica. Em seguida, em uma pressão mais alta, essa mistura é aquecida e depois colocada junto a uma solução de soda cáustica. Só depois disso é que a alumina é dissolvida, e a sílica que faz parte de sua composição é eliminada. Por último, a alumina é sedimentada e filtrada, com a finalidade de que as demais impurezas sejam eliminadas.

Na terceira e última etapa do processo de obtenção de alumínio, essa alumina é colocada junta com fluoretos e submetida em fornos eletrolíticos à eletrolise ígnea. Assim, a corrente elétrica acaba fazendo com que o alumínio seja separado dessa solução, e o oxigênio é então liberado.

É dessa maneira, que o alumínio em sua forma líquida é depositado ao fundo do forno, que em seguida é aspirado pelos sifões. A equação abaixo representa a reação de obtenção desse processo de obtenção de alumínio através da bauxita:

Al2O3 —–à 4 Al + 3 O2

O nosso país é considerado o terceiro maior produtor de bauxita no mundo todo, ficando atrás apenas da Austrália e da China. As principais reservas de bauxita estão situadas nos estados do Amapá, do Amazonas, de Minas Gerais e do Pará.