Cidade de Amsterdã


Há quem diga que a cidade de Amsterdã, capital da Holanda, é a famosa “cidade de todas as liberdades”. Isso aocntece porque quase tudo o que você imagina que possa ser ilegal, como o uso de drogas, o porte de armas ou a própria prostituição, são serviços oferecidos à luz do dia e para quem quer que se interesse pelos mesmos.

Sendo assim, basta dar uma volta pela cidade para encontrar vitrines que oferecem promoções de prostitutas ou maconha em formato enlatado nos supermercados. Pois é, quase tudo o que você pode imaginar ganha uma forma variada de apresentação na mais importante cidade da região dos Países Baixos.

O centro nervoso do país conta com pouco mais de 725 mil habitantes, e um dos aspectos mais interessantes da infraestrutura de Amsterdã é que cada grupo de quarteirão vai se juntando a outro – principalmente por meio de suas incríveis pontes – até que a cidade se forme por completo.

Amsterdã

A cidade de Amsterdã também é reconhecida por ser o berço de inúmeros museus, alguns dos mais importantes de todo o continente europeu. Além disso, sua cultura liberal e cosmopolita também é lembrada, especialmente desde as perseguições de judeus e guerras civis entre os grupos católicos.

A cidade com seus vários canais é repleta de cores e há quem diga que ela “respira” um ar mais jovem. A imagem “junkie” de seus arredores muitas vezes é conturbada por conta dos sex shops, pela prostituição e uso livre de narcóticos. Porém, diferentemente do que possamos, pouca é a população que se aproveita desses tipos de atributos.

Um pouco mais sobre a história da cidade

Como já sabemos, Amsterdã é a capital da Holanda. E, por mais que o estado reúna quase 17 milhões de habitantes, são pouco mais de 750 mil que moram na capital.

A área é de apenas 219 km², e a sua administração também chama a atenção, uma vez que é dividida em 15 diferentes stadsdeel, ou melhor, bairros. E, mesmo pequena, a cidade é considerada como o centro de concentração urbana em que as principais atividades financeiras não só da Holanda, como de outros Países Baixos são realizadas, principalmente no que se refere ao comércio, oferta de serviços e turismo.

O rio principal – e que também dá nome à cidade – é o Amstel. Ele corta toda a cidade e ainda deu nome para uma das mais famosas cervejas do país. ‘Dam’, por sua vez, deriva de um dos nomes de represa do país.

Fugindo um pouco das temperaturas mais baixas da Europa, em Amsterdã o clima é ameno e promete ficar na faixa dos 15 graus durante quase todo o ano. A altitude é de 2 metros, e o clima bem moderado.

E os pontos turísticos, quais são?

Agora que você já conhece as principais características de Amsterdã, certamente já deve estar curioso para conhecer também quais são os seus principais pontos turísticos e culturais.

Vamos conhecer alguns deles?

• Museu Van Gogh. Certamente, os amantes de artes não podem deixar essa visita de lado. O museu está entre os mais famosos de toda a Europa e reúne a coleção de maior importância do pintor holandês.

• A casa de Anne Frank. Quem é que conhece a história da pequena garota judia e consegue não se comover? Pois é. E já imaginou como você se sentiria ao visitar a casa em que ela escreveu o diário comovente, narrando o cotidiano de sua família até ser descoberta pelo império nazista? O livro que hoje é um dos maiores best sellers do mundo, traduzido em mais de 50 idiomas, só pôde ser publicado graças aos registros de Anne Frank, naquela casa que até hoje é mantida como símbolo de um dos períodos mais conturbados da história. Esse é o ponto turístico mais visitado da Holanda e vale a espera na fila!

• Cervejaria Heineken. Quem adora tomar uma cervejinha não pode deixar a capital holandesa sem conhecer a famosa fábrica da Heineken. É possível desfrutar da história, conhecer as máquinas utilizadas na produção e, até mesmo, ficar para uma degustação final no espaço. Aproveite!

• Museu do sexo – para os curiosos de plantão, esse museu pode ser um grande atrativo, já que reúne gibis, aberrações sexuais, histórias picantes, fotos, objetos, filmes pornô do início do século e diversas instalações verdadeiramente curiosas. Nesse sentido, o Museu da Tortura e o museu da maconha (Marijuana Museum) também podem ser lugares bem atrativos para o turista curioso!

E é claro que uma visita à cidade que oferece maior liberdade em todo o mundo certamente precisa aguçar a sua curiosidade, não é
mesmo? Por isso, não deixe de conhecer o “Red Light District”, bairro em que as prostitutas oferecem, livremente nas vitrines, o seu serviço.

Para uma visita mais histórica também não deixe de conhecer o Rijksmuseum, Museu da Casa de Rembrandt, Stedelijk Museum, Concertgebouw, Central Station, a igreja de Nieuw Kerk e o Palácio Real.