Cordilheira: Vegetação e clima nas cordilheiras


Cordilheira é uma palavra que vem do espanhol “cordilellera” e é utilizada para se referir a um sistema de montanhas colado, ou ligado entre si. Este artigo irá tentar lhe explicar algumas peculiaridades destas áreas geográficas.

O que são?

Grosso modo cordilheira é um conjunto de montanhas, sendo uma área geográfica definida por um conjunto de elevações que se relacionam entre si geologicamente. Também podem ser consideradas um conjunto de serras com disposição paralela.

Cordilheira

As cordilheiras são formadas a partir do encontro, ou choque, de duas placas tectônicas. Geralmente tal fenômeno é percebido por meio de tremores de terra. Indícios apontam que tais áreas se formaram há milhões de anos.

Entre as mais famosas ou conhecidas cordilheiras está a do Himalaia (localizada na Ásia), a dos Andes (na América do Sul), as Rochosas (América do Norte) e a dos Alpes na Europa.

Vegetação e clima nas cordilheiras

O clima de diversas regiões pode ser afetado em virtude das montanhas que possui, afinal, a precipitação de fenômenos como neve e chuva podem ser, intensivamente, causados por tais montanhas.

Pode-se dizer que tais fenômenos ocorrem da seguinte maneira: se uma grande corrente de vento vai em direção ao mar o vento que está mais carregado de umidade pode deslocar-se para cima e se resfriar, assim, forma-se o que chamamos de “precipitação orográfica”, neste fenômeno o ar ”mais seco” se move para o lado do sotavento (lado oposto do qual o vento sopra).

Para, além disso, a temperatura de toda região passa a sofrer mudanças, afinal, quanto mais alto for determinado relevo mais fria será a temperatura. Outra consideração sobre tais locais é que a presença de oxigênio é escassa.

Em algumas regiões onde há a presença de cordilheiras, como em La Paz – na cidade dos Andes – a população herdou um costume dos Incas (povo pré colombiano da América do Sul), mascarem folhas de coca a fim de suportar a falta de oxigênio e também as condições do ambiente.

Sobre a vegetação podemos dizer que nas cordilheiras há um tipo específico denominado vegetação de altitude, que se assemelha a vegetação polar: com arbustos baixos, plantas rasteiras e presença de animais campestres, como o veado, por exemplo.

Geologia: cordilheiras secundárias

Como mencionado anteriormente as cordilheiras são formadas a partir da junção de placas tectônicas, as quais podem lançar ramos ou cadeias de montanhas secundárias. Portanto, tais montanhas também compõem este fenômeno.

As montas secundárias são grupos de pequenas cordilheiras que unidas formam uma principal, considerada “a mãe”, ou, “o pai”. Geralmente, a organização deste fenômeno ocorre por um sistema de topologia em árvore, responsável por determinar os diversos tipos de ramificação levando-se em consideração a complexidade de cada um.

Um bom exemplo de conjunto de montanhas secundárias acontece nos “Montes Apalaches”, afinal estes são os pais de cordilheiras secundárias a “Blue” e as “Montanhas Brancas”. Além disso, as próprias “Montanhas Brancas” tem seus filhos, a “Presidential Range” e a “Sandwich Range”, sendo assim, tal classificação pode ser aplicada de maneira sucessiva.

As cordilheiras do mundo: algumas curiosidades

Em algumas literaturas as cordilheiras também são denominadas “montanhas intercontinentais”. Pode-se dizer que em todos os continentes há um conjunto dessas montanhas.

Neste tópico iremos tratar de algumas curiosidades a cerca destes conjuntos de montanha. Começando pelas maiores cordilheiras do mundo, os cinco maiores conjunto de montanhas do planeta se localizam em continentes diferentes, vamos a eles: Andes (América do Sul), Montanhas Rochosas (América do Norte), Himalaia (Ásia), Grande Cordilheira Divisória (Oceania) e Montanhas Transantárcticas (Antárctica).

Com relação a pessoas que vivem nessas regiões podemos citar como exemplo a Cordilheira dos Andes. Mesmo em função do frio extremo e também do ar rarefeito, condições consideradas inóspitas a sobrevivência, há algumas poucas vilas instaladas em partes mais elevadas da cordilheira.

Geralmente tais povoados são pequenos e compostos, em sua maioria, por povos indígenas, descendentes de outros povos que viveram lá milhares de anos atrás. No Peru há os “quéchuas”, considerados descendentes dos Incas e que vivem em elevadas altitudes, acredita-se que o organismo de tais pessoas já esteja acostumado ao ar rarefeito, e também, às baixas temperaturas.

Na maioria dos casos as cordilheiras acabam se tornando destinos para verdadeiros aventureiros, afinal, o acesso a estes locais é muito difícil, tanto pela altitude, quanto pelos efeitos que uma caminhada até esses locais pode causar ao organismo. Mas, é claro que aqueles que conseguem chegar ao topo desses lugares terão a oportunidade de apreciar paisagens de encher os olhos e também as lentes da câmera.

Outra opção para quem deseja fazer turismo nestas áreas são as estações de esqui. No Chile, por exemplo, há diversas que acompanham luxuosos hotéis e pousadas.

Mas é sempre bom lembrar, se você deseja se aventurar e ir mais longe, quer dizer ir mais alto, a presença de equipamentos de segurança e também de um guia turístico bem treinado é essencial para tranquilidade de sua viagem.