Corpo Luminoso e Corpo Iluminado


Os corpos iluminados e luminosos estão por todos os lugares e são essenciais em nossa vida. É importante saber distingui-los, pois estes fazem parte da estrutura básica que corresponde à nossa percepção acerca do mundo. Desde a Grécia Antiga muito vem sendo discutido a respeito do que vemos e, sendo assim, é importante antes de tudo termos uma noção básica do que é a luz e de como enxergamos as coisas.

Um pouco sobre a visão e as cores

Primeiro, é preciso enfatizar que as cores não existem. É isso mesmo o que você leu, as cores tem sua definição de acordo com o nosso cérebro. Como diria Albert Einstein, “a escuridão na realidade é a ausência de luz”. Ou seja, cada pessoa pode interpretar e relacionar a luz do seu jeito de acordo com a memória. A luz, ao passar pela retina, projeta o objeto seguindo a sua composição.

Corpo Luminoso

Temos duas teorias principais que tentam explicar o que é a luz: a primeira é a ideia de que ela é feita de partículas, chamada fótons. A outra, de que ela é feita por ondas. Ambas são aceitas, já que é possível observar que a luz pode se comportar de ambos os jeitos.

Ao longo da evolução, a cor surgiu como um mecanismo. Pense no camaleão – ele utiliza as cores para poder se camuflar e assim proteger-se. É como um quebra cabeça, nosso cérebro tem determinada forma que é preenchida. Sendo assim, é por meio da luz que formamos a percepção básica acerca dos que nos rodeia e consequentemente, dos corpos que existem.

O que é corpo iluminado e corpo luminoso?

Imagine uma sala escura, onde não passe nenhum feixe de luz. De repente, você pega um fósforo e o acende, iluminando todo o quarto. Aos poucos, mesa, cadeira, cama e etc, vão ganhando forma e cor, e quanto mais se aproxima deles, é possível melhor distingui-los.

A vela (não exatamente ela, mas o fogo produzido) é um corpo luminoso, pois emite luz própria. Essa luz viaja pela sala por meio de ondas, iluminando os outros objetos, que por sua vez refletem, podendo ser identificados – esses são os corpos iluminados.

Alguns exemplos de corpos luminosos:
• Televisão
• Lâmpada
Estrelas
• Corpos aquecidos a certas temperaturas (como a lava)

Agora, vamos aplicar essa definição ao espaço.

Primeiramente temos a completa escuridão. O Sol surge aqui emitindo luz e calor por sua composição gasosa em constante transformação. Ao redor dele, temos os planetas, que por si só não emitem calor e muito menos luz. Se a Terra fosse isolada em uma área onde não houvesse nenhum corpo luminoso, ela provavelmente sumiria no breu completo. O que quero dizer com isso? Os planetas, meteoros, satélites naturais e etc, são corpos iluminados, que são projetados pela luz solar.
Em síntese, um corpo luminoso tem uma luz primária que ilumina o meio onde está sendo emitida. O corpo iluminado não possui a capacidade de emitir luz própria e por isso, apenas reflete a iluminação que recebe.

Exemplos de corpos iluminados:
Homem
• Casa
• Carro
• Planetas

Bom, já entendemos a diferença básica entre os corpos e suas fontes de luz. Agora vamos entender um pouco dos tipos de corpos iluminados, já que os luminosos apenas emitem iluminação e, portanto, não tem grandes variações.

Por refletirem a luz, os corpos que a recebem se apresentam de modos diversos, agindo de acordo com a constituição. Assim, temos variações dos corpos luminosos que são definidos por três tipos de materiais: transparentes, translúcidos e opacos.

Os transparentes deixam a luz passar totalmente por estes, resultando em uma visão através. Sendo assim, os materiais desse tipo podem formar objetos que não são totalmente visíveis. Aqui, quase não há interferência do objeto na trajetória da luz, permitindo a propagação da iluminação.
Exemplos:
Vidro
Acrílico
Papel celofane

Os translúcidos deixam a luz parcialmente passar sob o corpo. Ou seja, a iluminação consegue passar, mas sofre um desvio por conta da constituição do material.

Exemplos:
• papel vegetal
• Vidro fosco
• Gelatina

Os opacos são aqueles que não deixam a luz atravessar. Diferente dos anteriores, ele impede a propagação da luz, parcialmente absorvendo-a e parcialmente refletindo-a. Então, por meio desse material não podemos ver outros. A maioria dos objetos surge a partir deste.

Exemplos:
• Granito
• Madeira
Metais

Então, compreende-se que entender qual a diferença entre os corpos e sua interação com a visão, é essencial para sabermos o que é a luz. É com este conceito que os astrônomos conseguem observar e analisar o que se passa no universo. Deste modo, conseguimos avançar significativamente na ciência, reproduzindo as transformações pela qual o Sol passa (a bomba atômica), produzindo novas tecnologias que melhoram a qualidade de vida e avançando cada vez mais para novas descobertas a respeito da vida e como se relaciona com os objetos.