Curvas de Nível


Na cartografia, as curvas de nível são interpretações do relevo realizadas por meio de linhas ilusórias. Essas linhas recebem nomes diferentes dependendo da sua localização, quando representadas na superfície são denominadas de linhas altimétricas, já quando representadas abaixo do nível do mar recebem o nome de linhas batimétricas. Elas apresentam a virtude de retratar em uma superfície reta as inclinações topográficas e os desníveis.

O uso do processo de curvas de nível é aconselhado em áreas de grande escala, isto é, em regiões pequenas, em que o grau de detalhes é bem maior. Dessa forma, a área de um declive pode ser representada separadamente em altitudes organizadas, de maneira que cada altitude retrata uma linha do mapa.

Nível

Traçando uma linha circundando uma montanha de 800 metros vista de cima a 700 metros o desenho da curva será desigual, e menor, do que aquele que foi feito circundando-a a 100 metros, mais perto da base. O desenho feito do contorno a uma determinada altitude, que deve ser igual as demais em todos os pontos da linha, é denominada de curva de nível e auxilia na representação do relevo de um lugar nos mapas topográficos.

Normalmente, em um mapa topográfico, utiliza-se como orientação a altura média do mar para desenhar as curvas de nível conhecidas como “mestras” que são retratadas por linhas mais grossas. Além disso, podem ser usadas linhas conhecidas como intermediárias ou auxiliares para favorecer a interpretação do mapa topográfico. Todas as curas apresentam a altura em que se localizam.

As curvas de nível sempre são paralelas entre si. Uma linha mestra nunca atravessara uma linha intermediária. Mesmo que essas linhas, às vezes, se aproximem, elas sempre iram se fechar sobre si mesmas como um “O”, mas, na grande maioria das vezes, irregular. No papel devido ao efeito visual, as linhas podem parecer que se cruzar, mas, na realidade, elas não se cruzam, já que uma está localizada embaixo da outra porque cada curva de nível demonstra uma altitude. Nessas situações, normalmente se representa a curva ou linha de baixo, com um tracejado.

Pela aproximação das linhas é possível constatar se o terreno tem ou não um declínio muito evidente. Se as linhas estiverem localizadas muito perto umas das outras, quer dizer que o declínio é muito evidente, como o que acontece com os picos, já se existir um distanciamento maior entre elas, quer dizer que o declínio é leve, como por exemplo, uma planície com poucas elevações.

Porém, as curvas de nível não são usadas somente para retratas elevações no terreno ou montanhas. Se em um mapa topográfico com curvas de nível as medidas da altitude relacionadas às curvas do centro forem menores do que as medidas de altitudes das curvas de fora, quer dizer que ali está retratada uma depressão.

Quando os mapas topográficos com curvas de nível são criados, habitua-se primeiro, antes de traçar as curvas, fazer o desenho da teia de drenagem da região com o objetivo de favorecer a ilustração das curvas. No fim das contas, é a teia de drenagem que define, de maneira geral, a topografia da região. Teias de drenagem são riachos, rios, ribeirões e cachoeiras.

Elaborar mapas topográficos em curvas de nível, especialmente de áreas razoavelmente maiores, exige muito empenho na coleta de dados, como as altitudes, abrangendo uma severa exatidão matemática. Porém, com o desenvolvimento tecnológico no ramo da cartografia, tanto com as projeções de satélite como a aerofotogrametria, diversas vezes esse modelo de mapa é executado automaticamente, o que auxilia os estudos geomorfológicos e geológicos a respeito da superfície terrestre.

Outra definição relacionada às curvas de nível é a plantação em curvas de nível. É um procedimento para plantio em áreas lesionadas que acompanham as linhas das curvas.

É importante ressaltar que a Legislação Ambiental Brasileira não permite o plantio e desmate em áreas com declínio maior que 45° por se referir a Áreas de Preservação Permanente (APP) em razão da grande predisposição a erosões. O plantio em curvas de nível é um método que tem o objetivo de reduzir a velocidade de torrente e ampliar a infiltração da água no solo para impedir que ocorram erosões.

Curvas de nível na agricultura

Na agricultura, curva de nível é um procedimento de cultivo, baseando-se nas frações altimétricas do território em questão. As curvas auxiliam na retenção dos componentes solúveis do solo, possibilitando o aumento da produção. Se o declínio for muito grande, as curvas precisam ficas mais perto umas das outras e se for ao contrário, precisam ficar mais afastadas.

A água das chuvas, ao se deparar com as frestas e as plantas, não escoa e penetra no solo, deixando-o molhado e impedindo a lixiviação e a erosão.

As curvas de nível fazem com que não aconteçam grandes lixiviações dos nutrientes do solo, propiciam uma velocidade menor da água no qual se dissipariam diversos minerais que são levados pelas moléculas de água, por meio de trocas catiônicas.